quarta-feira, 11 de novembro de 2009

Sinjac lança X Prêmio José Chalub Leite no Juruá



O presidente do Sindicato dos Jornalistas do Acre (Sinjac), Marcos Vicenti, esteve em Cruzeiro do Sul, acompanhado das jornalistas Andrea Zilo e Lamlib Nobre, para o lançamento do Prêmio de Jornalismo José Chalub Leite, segundo maior do Brasil em premiação, que aconteceu na tarde de sábado (07), no auditório da 1ª CIRETRAN, com a presença de jornalistas que atuam nos veículos de comunicação do município.

“O jornalista é um sonhador, se ele parar de sonhar, abandona a profissão”

Elson Costa

O presidente do Sindicato dos Jornalistas do Acre (Sinjac), Marcos Vicenti, esteve em Cruzeiro do Sul, acompanhado das jornalistas Andrea Zilo e Lamlib Nobre, para o lançamento do Prêmio de Jornalismo José Chalub Leite, segundo maior do Brasil em premiação, que aconteceu na tarde de sábado (07), no auditório da 1ª CIRETRAN, com a presença de jornalistas que atuam nos veículos de comunicação do município.

Na sua 10ª edição o Prêmio de Jornalismo José Chalub Leite vai distribuir o montante de R$ 33 mil aos melhores das categorias Telejornalismo (R$ 6.000,00), Jornalismo Impresso(R$ 6.000,00), Rádio Jornalismo (R$ 2.500,00), Fotografia (R$ 2.500,00), Charge (R$ 2.500,00), Melhor Imagem (R$ 2.500,00), Jornalismo Digital (R$ 2.500,00) e mais os prêmios concedidos pelo Sistema FIEAC/SESI/SENAI/IEL, Apoio à Industria - Jornalismo Impresso (R$ 3.000,00), Apoio à Indústria - Telejornalismo (R$ 3.000,00) e Apoio à Industria - Radio Jornalismo (R$ 2.500,00).

O Prêmio de Jornalismo José Chalub Leite foi criado para estimular o desenvolvimento da imprensa acreana, reconhecendo e premiando os melhores trabalhos jornalísticos, homenagear os profissionais que, por meio de seu trabalho, colaboram com a promoção da imprensa acreana e reverenciar a memória do jornalista José Chalub Leite, falecido em 1998, que deu uma grande colaboração à imprensa acreana durante 36 anos de trabalho e mesmo assim não teve seu registro profissional reconhecido.

Para concorrer os jornalistas precisam estar registrados no Sinjac e apresentar trabalhos veiculados no período de 05 de Dezembro de 2008 a 04 de dezembro de 2009, nos veículos de comunicação de jornalismo impresso, telejornalismo, web jornalismo e rádio jornalismo, sediados no Estado. As inscrições deverão ser feitas impreterivelmente até o dia 04 de dezembro, ás 18 horas, na sede do sindicato, em Rio Branco.

“Pela quarta vez estamos em Cruzeiro do Sul lançando o Prêmio de Jornalismo José Chalub Leite, que oferece a segunda maior premiação do Brasil e valoriza o trabalho dos jornalistas acreanos, distribuindo R$ 33 mil em diversas categorias. A diretoria do Sinjac nunca esteve tão presente aqui e alguns jornalistas cruzeirenses como o Leandro Altherman, Dílson, Ornellas, Genival já participaram e ganharam o prêmio. Em seguida vamos lançar um prêmio local em homenagem ao jornalista João Mariano para valorizar cada vez mais a categoria do Juruá”, disse o presidente.

Marcos Vicente destacou a conversa com os jornalistas para a organização da categoria e definir um piso salarial que será apresentado aos proprietários das empresas e discutido na próxima viagem da diretoria do Sinjac. “Vamos propor um piso salarial que as empresas possam pagar, mas também que dê condições dos funcionários sobreviverem dignamente”, afirmou.

Segundo o presidente do Sinjac a questão da não exigência do diploma para o exercício da profissão, suprimida pelo Superior Tribunal Federal (STF) foi contestada pela Federação Nacional dos Jornalistas (FENAJ) e no próximo dia 28 de novembro já vai haver a votação da PEC. “ As coisas estão andando mais rápido do que pensamos e entendemos que a exigência vai voltar, pois é preciso valorizar a catagoria, mas as próprias empresas sempre dão preferência às pessoas qualificadas. Entendo que o jornalista é um sonhador, se ele parar de sonhar abandona a profissão, pois no Brasil os profissionais da imprensa ainda ganham muito mal ”, finalizou.

Um comentário:

Anônimo disse...

realmente nossa categoria ainda não tem o valor merecido aqui no vale do jurua, mas eu tenho esperança que um dia sejamos reconhcidos e valorisado dentro do nosso mercado