quinta-feira, 12 de novembro de 2009

Versão indígena do Hino Acreano abre Assembleia Aberta em Marechal Thaumaturgo



Acompanhado por violão, bumbo e chocalho, o Hino Acreano em versão ashaninka abriu a sessão da Assembléia Aberta em Marechal Thaumaturgo na tarde desta quarta-feira, 11, no Centro Cultural do Município.

Acompanhado por violão, bumbo e chocalho, o Hino Acreano em versão ashaninka abriu a sessão da Assembléia Aberta em Marechal Thaumaturgo na tarde desta quarta-feira, 11, no Centro Cultural do Município.

Para chegar até aqui, os 16 deputados viajaram uma hora de Boeing de Rio Branco a Cruzeiro do Sul, mais 40 minutos de bimotor até o Aeroporto Municipal de Thaumaturgo, caminharam com suas bagagens por uma pequena estrada pavimentada com cimento e atravessaram o rio de catraia.

Depois de escalar mais de 72 degraus de uma escada de madeira para atingir o alto do barranco, a viagem ainda não tinha terminado. O translado até o Centro Cultural foi feito nas carrocerias de duas picapes Saveiro anos 80 que precisam acelerar ladeiras abaixo para concluir a subida. Duas ladeiras depois ouviriam o Hino Acreano.

Aboletados nas caçambas, vieram os deputados Edvaldo Magalhães (PCdoB), presidente da Aleac, o vice-presidente Helder Paiva (PR), vice-presidente; o primeiro-secretário, Taumaturgo Lima (PT), o segundo-secretário, Elson Santiago (PP), o líder do Governo, Moisés Diniz (PCdoB), o líder do PT, Ney Amorim, Walter Prado e Luis Tchê (PDT), Delorgem Campos (PSB), Chico Viga e Perpétua de Sá (PT), Idalina Onofre (PPS), Antonia Sales (PMDB), Luis Gonzaga (PSDB), Luiz Calixto e Josemir Anute (PSL).

Como nas edições anteriores, os deputados são acompanhados por representantes do Banco da Amazônia, Banco do Brasil, Caixa Econômica Federal e do Sebrae. Também estão participando do evento representantes de Tipisca/Breu e do Governo do Departamento de Ucayalli, no Peru.

Pela manhã, comerciantes, empresários e produtores rurais se reuniram com representantes do Sebrae para levarem suas demandas e conhecerem as perspectivas. À tarde começa uma segunda rodada de trabalhos nas áreas de infraestrutura, produção e inclusão social. O prefeito Randson Oliveira, disse que além de todos os problemas nestas áreas, os moradores estão preocupados com a questão da regularização fundiária, já que as terras da zona urbana do Município são todas do Estado. "Sem a regularização eles não têm acesso a créditos para investimentos", afirmou.

O deputado Edvaldo Magalhães explicou que este é o propósito do programa Assembleia Aberta. "A meta é se aproximar dos moradores e conhecer seus problemas, pois assim nós assumimos a sua bandeira e a transformamos em plataforma de luta da Assembleia. O mais importante é que aqui a Assembleia está unificada, não tem oposição e situação", declarou.

Nenhum comentário: