sexta-feira, 4 de dezembro de 2009

Cônsul cumprimenta Aleac por vitória diplomática na Bolívia



O abrandamento das regras para concessão de vistos aos estudantes brasileiros na Bolívia foi uma vitória conjunta da diplomacia do Brasil e da política acreana. É com estes termos que o cônsul-geral do Brasil em Santa Cruz de la Sierra, Roberto Pessôa da Costa, cumprimenta a Aleac e a bancada federal do Acre em mensagem enviada quinta-feira ao presidente da Casa, Edvaldo Magalhães.


O abrandamento das regras para concessão de vistos aos estudantes brasileiros na Bolívia foi uma vitória conjunta da diplomacia do Brasil e da política acreana. É com estes termos que o cônsul-geral do Brasil em Santa Cruz de la Sierra, Roberto Pessôa da Costa, cumprimenta a Aleac e a bancada federal do Acre em mensagem enviada quinta-feira ao presidente da Casa, Edvaldo Magalhães.

“Creio que estamos neste momento de parabéns por termos solucionado antes do prazo que previ (menos de três meses) um dos principais problemas da comunidade estudantil brasileira na Bolívia”, comemora o diplomata.
Na verdade, foram exatos 32 dias. A promessa de Roberto Costa foi feita no dia 29 de outubro, em Santa Cruz de la Sierra, em duas universidades, na presença de mais de 1,5 mil estudantes e tendo como testemunhas os deputados Edvaldo, Helder Paiva, Luiz Calixto, Walter Prado e Luiz Gonzaga, uma bancada multipartidária. A flexibilização das regras foi comunicada à Aleac, primeiramente, pelo estudante acreano Adriano Marcel, por telefone, dia 1º de dezembro.

Em sua mensagem, o cônsul mostra-se realizado. “É com imenso prazer que – graças aos esforços empreendidos pela Embaixada do Brasil em La Paz, por este consulado em Santa Cruz e com o inestimável apoio das bancadas legislativas estadual e federal do Estado do Acre – transmito a Vossa Excelência a anexa documentação simplificadora dos procedimentos para a obtenção de vistos de candidatos brasileiros ao ingresso em Universidades bolivianas, bem como a gratuidade da concessão do visto e legalização dos documentos pertinentes”, comunica o cônsul brasileiro.

Edvaldo comentou que desde que conheceu o diplomata Roberto Costa, em duas audiências com estudantes nas universidades de Santa Cruz de la Sierra, notou que os problemas relativos ao Consulado daquela cidade estariam solucionados. “Mas a questão do visto teria que ser resolvida no Ministério das Relações Exteriores em Brasília”, lembrou.

Em Santa Cruz de la Sierra, Roberto Costa participou das duas audiências nas universidades, ouvindo serenamente queixas e até ataques dos estudantes contra os funcionários do Consulado. Há apenas sete meses no cargo, não sabia das arbitrariedades dos servidores que deveriam acolher os compatriotas e deixou claro que o órgão se tornaria a “casa da simpatia”.

O próximo passo do esforço da Aleac para auxiliar a diplomacia brasileira foi no dia 25 de novembro passado. Acompanhado por uma comitiva de deputados, Edvaldo entrevistou-se com o secretário-geral do Itamaraty, Antônio de Aguiar Patriota e com o subsecretário das Comunidades Brasileiras Residentes no Exterior, Oto Agripino Maia. Patriota, segundo na hierarquia da diplomacia brasileira depois do ministro, garantiu pleno apoio.

“Temos certeza de que, agora, os estudantes terão mais tranqüilidade para prosseguir seus estudantes e realizar seus sonhos de serem médicos. Infelizmente, eles têm que estudar em outro país, pois no Brasil o curso de Medicina ainda é um privilégio das elites”, comentou Edvaldo.

O diplomata Roberto Costa encerra sua mensagem solicitando sua divulgação para conhecimento dos futuros estudantes, bem como para “afastar a imagem negativa” do consulado brasileiro em Santa Cruz de la Sierra, “que vem sendo propagada em com freqüência pela mídia do Acre e repetida por órgãos da imprensa brasileira”.

João Maurício
Agência Aleac

Nenhum comentário: