quarta-feira, 2 de dezembro de 2009

Produtores do Acre aprendem técnicas para aproveitamento integral da mandioca na Bahia



Considerada a mais acriana das culturas, a mandioca representa um dos principais arranjos produtivos do Estado, com larga produção, especialmente na região do Juruá. Mas, o que fazer com os resíduos da produção ainda é um desafio para produtores e instituições ligadas à cadeia produtiva. Na busca por alternativas para uma destinação adequada para esse material, agricultores e extensionistas do município de Cruzeiro do Sul (AC) visitaram a Embrapa Mandioca e Fruticultura Tropical (Cruz das Almas/BA), no mês de novembro.

Considerada a mais acriana das culturas, a mandioca representa um dos principais arranjos produtivos do Estado, com larga produção, especialmente na região do Juruá. Mas, o que fazer com os resíduos da produção ainda é um desafio para produtores e instituições ligadas à cadeia produtiva. Na busca por alternativas para uma destinação adequada para esse material, agricultores e extensionistas do município de Cruzeiro do Sul (AC) visitaram a Embrapa Mandioca e Fruticultura Tropical (Cruz das Almas/BA), no mês de novembro.

A visita foi coordenada pela Embrapa Acre, como atividade do projeto “Transferência de tecnologias para desenvolvimento do agronegócio no estado do Acre”, financiado com recursos de emenda parlamentar de autoria do deputado federal Fernando Melo (PT/AC), que tem como principal objetivo o desenvolvimento da cadeia produtiva da mandioca no Acre. Também integraram a comitiva o técnico da Secretaria de Extensão Agroflorestal e Produção Familiar do Acre (Seaprof) Lauro Filho e o secretário de agricultura de Rodrigues Alves (AC) Anísio Barreto.

Durante a visita, o grupo participou de dia de campo sobre técnicas de aproveitamento dos resíduos da mandioca e visitou áreas de produção para conhecer as variedades de mandioca desenvolvidas pela Embrapa e uma casa de farinha modelo, com equipamentos modernos que oferecem menor risco ao produtor.

“A idéia é incorporar esses conhecimentos à atividade produtiva de comunidades do Juruá, como forma de tornar a produção de mandioca mais rentável”, diz o técnico Manoel Delson Campos, responsável pelas atividades da Embrapa em Cruzeiro do Sul e coordenador da visita.

Manipueira

No Acre, a cadeia produtiva da mandioca envolve mais de 4.500 famílias de produtores. Segundo dados do IBGE (2007), existem no estado, aproximadamente, 33 mil hectares plantados com mandioca, resultando em uma produção medial anual de 730 mil toneladas de raíz. Um dos principais Arranjos Produtivos Locais, a cultura ocupa importante papel econômico e social, principalmente para o pequeno produtor.

A região do Vale do Juruá destaca-se por produzir uma farinha de mandioca de alta qualidade. Um dos resíduos gerados durante o processo de produção é a manipueira, líquido de coloração amarela, com alta concentração de matéria orgânica e ácido cianídrico, substância tóxica que pode oferecer riscos para o meio ambiente. Em algumas regiões do Brasil, o produto já é tratado e usado na alimentação animal ou como adubo orgânico. Um dos resultados práticos da visita será a implantação de um sistema de manipulação e aproveitamento de manipueira em propriedades rurais de Cruzeiro do Sul.

Nenhum comentário: