terça-feira, 1 de dezembro de 2009

Semifinal do campeonato Cruzeirense de futebol termina com pancadaria



Estádio Cruzeirão ficou lotado para a partida entre São Cristóvão e Palmeiras, na noite de quinta-feira (26) que disputavam à segunda vaga da final do 2º turno do Campeonato Cruzeirense. A equipe vencedora enfrentaria a equipe do Juruá que já havia se classificado com uma vitória sobre o Grêmio por 3x2. O Palmeiras venceu o São Cristóvão por 1x0, mas os dirigentes da equipe derrotada reclamaram da atuação do árbitro que teria beneficiado o adversário ao não expulsar o zagueiro Mauricio que derrubou o atacante do Palmeiras o que era o último homem da zaga em uma jogada de ataque. Inconformado com a derrota o técnico do São Cristóvão, Ronivon, partiu para a agressão contra árbitro Fabio Santos, mas foi impedido pelos seguranças. Na confusão o segurança Mauri Amaral acabou sendo atingido por Ronivon com um soco no rosto.

Francisco Rocha

O Estádio Cruzeirão ficou lotado para a partida entre São Cristóvão e Palmeiras, na noite de quinta-feira (26) que disputavam à segunda vaga da final do 2º turno do Campeonato Cruzeirense. A equipe vencedora enfrentaria a equipe do Juruá que já havia se classificado com uma vitória sobre o Grêmio por 3x2. O Palmeiras venceu o São Cristóvão por 1x0, mas os dirigentes da equipe derrotada reclamaram da atuação do árbitro que teria beneficiado o adversário ao não expulsar o zagueiro Mauricio que derrubou o atacante do Palmeiras o que era o último homem da zaga em uma jogada de ataque. Inconformado com a derrota o técnico do São Cristóvão, Ronivon, partiu para a agressão contra árbitro Fabio Santos, mas foi impedido pelos seguranças. Na confusão o segurança Mauri Amaral acabou sendo atingido por Ronivon com um soco no rosto.

A tentativa de agressão ao árbitro no final da partida causou um grande tumulto envolvendo muitos jogadores. Depois que o técnico do São Cristóvão não conseguiu atingir o árbitro Ronivon, investiu contra o segurança o atingindo com um soco no rosto que causou um corte sobre o supercílio. O presidente do clube, o ex-vereador e policial civil, Estevão Silva e jogadores do São Cristóvão também se envolveram na pancadaria e os seguranças e três policiais militares que estavam no estádio não conseguiram conter os torcedores que também invadiram o gramado e participaram da briga. Apesar de toda a confusão a `Polícia Militar não prendeu nenhum dos envolvidos, apenas registrou um boletim informativo relatando o que aconteceu no Estádio.

O segurança agredido registrou um Boletim de Ocorrência (BO) na Delegacia Geral de Policia, assim também como a liga Cruzeirense de Futebol (LCF) e o Departamento de Esporte da Prefeitura de Cruzeiro do Sul onde relataram à situação citando o nome dos autores da confusão que deverão ser punidos pela LCF.

“O técnico do São Cristóvão agrediu o bandeirinha e partiu em direção ao árbitro, sendo impedido por mim, que fui agredido e sofri um corte na região frontal da cabeça e vários hematomas pelo corpo. Quando o Ronivon veio para cima do árbitro não deixei ele agredi-lo. Então, ele me deu um soco no rosto, me aguarrei com ele, foi quando veio para cima de mim o Estevão, sua mulher, a filha, o filho, além dos jogadores. Não pude fazer nada’’, contou Mauri.

Um comentário:

Anônimo disse...

RAPAZ A LIGA DEIXOU PASSAR O CAMPEONATO E NÃO MONTOU UMA JUNTA DISCIPLINAR, ENTÃO FICA AQUI UMA CRÍTICA: SE PREOCUPARAM EM MONTAR UMA ESTRUTUTA BOA E AS COISAS MENORES , OS DETALHES, FICA A LIÇÃO PRO PRÓXIMO ANO.