quarta-feira, 2 de dezembro de 2009

Vereadores de Cruzeiro do Sul recebem agentes de endemias na última sessão ordinária de 2009



Na última sessão ordinária da Câmara Municipal de Cruzeiro do Sul, realizada nesta terça-feira (1), os vereadores receberam uma turma de agentes de endemias que foram em busca de apoio para permanecerem exercendo as atividades de controle da malária. Eles foram surpreendidos pelo governo que demitiu mais de 200 servidores do controle de endemias de Cruzeiro do Sul. Os parlamentares se comprometeram em apoiar o movimento dos trabalhadores e em seguida finalizaram os trabalhos de rotina da casa durante o ano de 2009.



Na última sessão ordinária da Câmara Municipal de Cruzeiro do Sul, realizada nesta terça-feira (1), os vereadores receberam uma turma de agentes de endemias que foram em busca de apoio para permanecerem exercendo as atividades de controle da malária. Eles foram surpreendidos pelo governo que demitiu mais de 200 servidores do controle de endemias de Cruzeiro do Sul. Os parlamentares se comprometeram em apoiar o movimento dos trabalhadores e em seguida finalizaram os trabalhos de rotina da casa durante o ano de 2009.

Logo no início da sessão os parlamentares ouviram atentamente os agentes de endemias que questionaram o governo do estado sobre a demissão em massa. Os funcionários das endemias, que já haviam realizados várias manifestações tentado evitar a demissão, tiveram a notícia que estavam despedidos das funções ao chegarem para trabalhar na sede do órgão nesta terça-feira. Na tribuna da Câmara, ao solicitar apoio dos vereadores, eles questionaram a forma em que foram informados das demissões.

“Nem oficializaram que estávamos demitidos através de um documento. Simplesmente nos informaram assim de uma hora para outra quando chegávamos todos preparados para desempenhar aquilo que aprendemos fazer ao longo desses anos que foi trabalhar na tentativa de combater a malária na nossa região que está aumentando. Nem tivemos direito de sermos avisados a tempo que iríamos ficar desempregados a nem nos deram um aviso prévio. Existem pais de família aqui que estão há 10 anos nesse trabalho e agora está seno dispensado. O governo poderia, pelo menos, deixar para dispensar esses pais de família depois do natal e do ano novo para que pudéssemos nos preparar para fazer outra coisa e ter condições de comprar ao menos uma ceia para nossas famílias” – disse o representante dos agentes. Marcilio.

Os vereadores garantiram que vão lutar junto ao governo do estado para que os servidores das endemias possam voltar ao trabalho e possam permanecer até o final do ano. “Não é admissível que o governo dispense os trabalhadores logo no período em que mais necessitam de um emprego para sustentar suas famílias. Esse é um péssimo presente de natal para quem tanto contribui arriscando a vida para combater uma doença que maltrata a nosso população. Estaremos sempre do lado dos servidores apoiando no que for preciso para que possam continuar trabalhando” – disse Romário Tavares (PSDB).

Após a reunião com os agentes de endemias os parlamentes deram seqüência aos trabalhos regimentais da Casa Legislativa e a sessão se voltou basicamente para as avaliações dos vereadores do ano de trabalho e agradecimentos para as entidades e pessoas que contribuíram com as ações desenvolvidas na Câmara.

O presidente, Gilvan Freitas, afirmou que encerra o primeiro ano de seu mandado como vereador e responsável pelo Poder Legislativo Municipal, ciente de que todos os parlamentares se esforçaram e cumpriram com a função delegada pelo pela população.

“Ressalto, em poucas palavras, ações que os vereadores foram fundamentais para que daqui a pouco o Poder Executivo possa melhorar muitos aspectos em nossa cidade, como por exemplo, aprovamos vários projetos de interesse da população que serão colocados em prática. Um deles foi para a criação do PROCON, que agora só depende da prefeitura para ser instalado no nosso município. Aprovamos também um projeto que autoriza ao Poder Executivo a realizar empréstimos junto a instituições financeiras como Banco do Brasil e BNDES, da ordem de 4,5 milhões para a execução de obras que vão trazer benefícios para nosso povo, e, muitos outros” – disse Gilvan.

Nenhum comentário: