terça-feira, 1 de dezembro de 2009

Vitória do esforço.



O problema do transporte no Acre sempre foi prioritário independente de época, governos e partidos. Um Estado de posição geográfica estratégica -no extremo Ocidente brasileiro- por décadas isoladas pela distância dos grandes centros,que ainda hoje vive na dependência da época favorável para utilização de suas estradas e navegabilidade de seus rios.

O problema do transporte no Acre sempre foi prioritário independente de época, governos e partidos. Um Estado de posição geográfica estratégica -no extremo Ocidente brasileiro- por décadas isoladas pela distância dos grandes centros,que ainda hoje vive na dependência da época favorável para utilização de suas estradas e navegabilidade de seus rios. Que o diga o Vale do Juruá,onde a comunidade ainda luta pela uma pavimentação completa e perene da BR 364 e a navegação do Juruá ainda consome um tempo demasiado longo.Por sito mesmo, desde o início de meu mandato venho me esforçando junto ás autoridades federais para trazer mais empresas aéreas para o Acre, a fim de garantir uma concorrência que traga maior oferta de vôos.maior capacidade de carga e uma tarifa mais em conta.

A chagada da Trip Linhas Aéreas no Acre nesta primeira quinzena de dezembro é uma prova disto. Desta vez, é uma linha área regional que coloca o Acre em seu trajeto e promete facilitar a vida de toda a comunidade do Estado com vooos que vão interligar a região a todo o resto do Brasil. A entrada da Trip vem implementar uma nova política de oferecer maior integração entre pequenas localidades. Acontece que muitas cidades de fronteira, ainda que próximas, não tem ligação aérea e o acesso por via terrestre é precário.O ministro da Defesa,Nelson Jobim. tem trabalhado com empresas regionais brasileiras em duas frentes e já tem demonstrado um firme propósito de mudar o mapa aéreo da Amazônia.

Primeiramente, o objetivo é criar um projeto de integração regional entre estes locais. Um exemplo clássico é a ligação entre a cidade de Cruzeiro do Sul,no Acre,e Pucalpa,no Peru.O projeto, já conta com a troca de mercadorias via aérea iniciada já na Expo - Juruá deste ano.São, por enquanto, hortifrutigranjeiros peruanos trocados por carne acreana.Em segundo lugar,o Ministério da Defesa já tornou pública sua vontade em criar novas linhas regionais com incentivo direto no barateamento de seus custos operacionais,em particular no preço do combustível de aviação auxiliado com o estímulo de governos locais,na diminuição de impostos incidentes. Será, sem duvida, uma nova era no mercado aéreo amazônico, aos poucos tomado por empresas regionais ,nacionais e internacionais.

O que importa mesmo é que agora, já a partir deste dezembro, o acreano poderá contar com uma empresa aérea a mais para o deslocamento de passageiros e transporte de mercadorias. Operando com aeronaves do tipo ATR 72,turbo-hélice de 68 lugares,a Trip deverá sair pela manhã de cruzeiro do Sul com destino a Rio Branco,chagando a Cuiabá por volta de 10:00 hs.Os passageiros terão ainda direito a conexão direta para Guarulhos,em jato 175 da Embraer.Quero ter o prazer e a satisfação de participar do vôo inaugural deste empresa para o Acre.Uma vitória do esforço na quebra de monopólios e na tentativa determinada de fortalecer a concorrência.Parabéns a todos os acreanos.

Gladson Cameli é engenheiro civil e deputado federal pelo PP do Acre.

Nenhum comentário: