segunda-feira, 1 de junho de 2009

Polícia investiga quadrilha que derrama cédulas falsificadas no Juruá


Duas apreensões de cédulas de Real falsificadas que foram efetuadas neste fim de semana em municípios do alto Juruá, levam à Polícia Civil a abrir um processo de investigação para tentar prender os integrantes de uma quadrilha responsável pela falsificação das notas. Uma apreensão aconteceu em Cruzeiro do Sul e a outra em Mâncio Lima. Dois homens já estão presos.

Duas apreensões de cédulas de Real falsificadas que foram efetuadas neste fim de semana em municípios do alto Juruá, levam à Polícia Civil a abrir um processo de investigação para tentar prender os integrantes de uma quadrilha responsável pela falsificação das notas. Uma apreensão aconteceu em Cruzeiro do Sul e a outra em Mâncio Lima. Dois homens já estão presos.

Em Mâncio Lima foi detido por policiais militares, Leomar da Silva Lima com um valor de R$ 250 em cédulas de 50 e 10 reais. Uma patrulha da Polícia Militar foi informada que Leomar estava tentando passar o dinheiro em comércios da cidade e realizou a prisão.

Delmar Gomes de Azevedo, foi preso ao tentar entrar em um Clube, localizado em frente à Delegacia Geral de Polícia Civil, em Cruzeiro do Sul. Agentes do Departamento Policial foram acionados e realizaram a prisão. Com ele a foram apreendidos R$ 410 em notas de 50 e 10 falsificadas. De acordo com o delegado Cleílton Videira, Delmar já havia distribuído vários notas falsas de R$ 100 nos comércios da cidade.

Com a prisão dos dois, a polícia espera chegar aos outros integrantes de uma quadrilha responsável pelo derramamento de cédulas falsificadas nos dois municípios. “Queremos chegar aos responsáveis pela confecção das cédulas para apreender todo o material utilizado na falsificação” – disse o delegado.

Leomar e Delmar foram encaminhados à Penitenciária de Cruzeiro do Sul na tarde de domingo. De acordo com o delegado, eles vão responder por estelionato e formação de quadrilha. Se condenados poderão passar até oito anos na cadeia.

Adolescente de 15 anos mata jovem de 17 em festa caipira


O jovem Glauber Xavier da Cunha, 17, foi assassinado na noite de sábado (30) por um adolescente de 15 anos. O crime chocou a multidão que participava de uma festa caipira na Escola São José. Glauber que também participava da festa foi esfaqueado no momento que deixava o colégio e se dirigiu para casa.

O jovem Glauber Xavier da Cunha, 17, foi assassinado na noite de sábado (30) por um adolescente de 15 anos. O crime chocou a multidão que participava de uma festa caipira na Escola São José. Glauber que também participava da festa foi esfaqueado no momento que deixava o colégio e se dirigiu para casa.

De acordo com a polícia, a vítima estava a uma distância aproximada de 100 metros da escola, em um local escuro quando foi atingido com uma facada na região do abdômen. Depois de ferido o rapaz ainda conseguiu correr em busca de socorro até a entrada do colégio onde caiu e foi socorrido por uma equipe do SAMU.

No Pronto Socorro da cidade, Glauber foi submetido a uma cirurgia de emergência, mas não resistiu à gravidade do ferimento e morreu às 23he35m da mesma noite.

O acusado pelo homicídio, o menor de 15 anos que mora no Bairro do Telegrafo, foi apreendido logo em seguida ao assassinato. De acordo com o delegado Cleilton Videira, responsável pelas investigações, o adolescente alegou que teria esfaqueado o rapaz para se vingar de um desentendimento que tiveram, há alguns dias, durante uma partida de futebol. Disse ainda que teria sentido-se ameaçado pela vítima que olhou para ele durante a festa caipira.

O delegado afirmou ainda que a vítima não teve condições de se defender da facada, pois teria sido atacado de surpresa. O acusado foi conduzido à Casa de Medidas Sócio Educativas na manhã desta segunda-feira (30). Videira afirmou que o adolescente pode cumprir uma Medida Sócia Educativa máxima que pode chegar a três anos de internação.

Empresários do Juruá se reúnem com servidores do Ministério da Agricultura e da Receita Federal para tirar dúvidas sobre intercâmbio com o Peru


Em um encontro realizado na última sexta-feira (29) na sede da Associação Comercial de Cruzeiro do Sul, o superintendente da Secretaria Nacional de Agricultura no Acre, Jorge Luiz Hessel, prestou esclarecimentos aos empresários da cidade sobre os entraves burocráticos do Ministério da Agricultura em relação ao processo de intercâmbio comercial entre Brasil e o Peru. Participou da mesma reunião o chefe da Agência da Receita Federal, Luis Carlos Emídio, que fez uma explanação sobre a atuação da Recita no processo de comercialização internacional.

Reunião foi proposta pelo deputado federal Ilderlei Cordeiro

Em um encontro realizado na última sexta-feira (29) na sede da Associação Comercial de Cruzeiro do Sul, o superintendente da Secretaria Nacional de Agricultura no Acre, Jorge Luiz Hessel, prestou esclarecimentos aos empresários da cidade sobre os entraves burocráticos do Ministério da Agricultura em relação ao processo de intercâmbio comercial entre Brasil e o Peru. Participou da mesma reunião o chefe da Agência da Receita Federal, Luis Carlos Emídio, que fez uma explanação sobre a atuação da Recita no processo de comercialização internacional.

Hessel explicou que muitos produtos estão liberados para exportação e importação e garantiu que o Ministério da Agricultura vai dá todo suporte necessário aos empresários do Juruá que quiserem importar produtos do país vizinho. “Assim que os empresários interessados tiverem a iniciativa de fazer a importação de produtos do Peru, mandaremos técnicos do Ministério da Agricultura para realizar todo procedimento” – garantiu o superintendente.

O chefe da Receita Federal em Cruzeiro do Sul disse que para fazer a transação comercial entres os dois pais é precisa o retorno da Alfândega para o Aeroporto de Cruzeiro do Sul. Ressaltou ainda que é preciso ampliar a capacidade atuação da Receita na cidade para atender demanda. “Precisaríamos no mínimo de mais dois servidores para garantir o atendimento” – disse Luis Carlos.



Os empresários acreditam que o intercâmbio com o Peru em breve pode se tornar realidade. Valmiro Carvalho o Mirim, vice-presidente da Associação Comercial, afirmou que já outro uma relação comercial com a cidade de Pucalpa e explica qual o principal interesse dos comerciantes de Cruzeiro do Sul. “Produtos como tomate, cebola, batata e outras verduras são bastante interessantes para importarmos do Peru. Além disso, podemos fazer um intercâmbio turístico e cultural com a região de Pucalpa e Lima para desenvolver a região do Juruá” – disse Mirim.

Ilderlei Cordeiro disse que esta cobrando do governo a estrutura necessário para facilitar a comercialização com o Peru e cobra mais empenho por parte da classe empresarial. “Os empresários precisam se empenhar mais e tomar a iniciativa que nosso papel de cobrar das autoridades competentes as condições necessárias para que possamos concretizar o intercâmbio com nossos irmãos peruanos, vamos fazer. No Peru tem muitos produtos que são mais baratos do que os que compramos no Sul do Brasil para trazer para nossa região. Portanto, com essa relação comercial com os empresários peruanos vamos melhorar as condições de vida da nossa população” – garantiu Ilderlei.

PM forma novos sargentos no Juruá


A formatura de uma nova turma de sargentos da Polícia Militar foi realizada na última sexta-feira (29) no auditório da Escola Flodoardo Cabral. Vinte e oito policiais mudaram de posto. O comando do Batalhão ofereceu o coquetel aos familiares e militares que elevaram a graduação.

Mazinho Rogerio

A formatura de uma nova turma de sargentos da Polícia Militar foi realizada na última sexta-feira (29) no auditório da Escola Flodoardo Cabral. Vinte e oito policiais mudaram de posto. O comando do Batalhão ofereceu o coquetel aos familiares e militares que elevaram a graduação.

Foram quinze anos de trabalho mais cinco meses de curso para receber mais uma divisa e elevar o posto na carreira militar. A formatura dos 28 novos sargentos da PM contou com a presença dos comandantes do 3º Batalhão, de autoridades locais e de familiares que prestigiaram a formatura.

Durante o evento o comandante da PM na região do Juruá, coronel Aires, afirmou que a partir de agora aumenta a responsabilidade de cada formando com a sociedade e que a corporação ganha mais experiência para a realização dos trabalhos. “Com certeza durante o período do curso esses policiais receberam novos conhecimentos para utilizar na missão de garantir a segurança da população” – disse o coronel.

Os novos sargentos assumiram a função conscientes das responsabilidades de contribuir para a melhoria dos serviços da Polícia Militar. Odair José Nogueira, o sargento recém formado, falou dos desafios do militar durante a carreira até chegar ao posto de sargento. “Sabemos que aumenta a nossa responsabilidade e estamos preparados para continuar nossa missão” – afirmou Nogueira.

No evento foram feitas homenagens para o policial militar Damasceno que assim que se formou sargento, já vai deixou a corporação. Depois de cumprir sua missão na PM, o sargento Damasceno afirmou que vai para a revserva ciente do dever cumprido. “Deixo agora para os meus companheiros essa missão que é tão importante para a população. Sei que durante o período que estive na corporação me empenhei ao máximo para cumprir meu dever com responsabilidade” – disse Damasceno.

Na solenidade de formatura, o comandante do 3º Batalhão da Polícia Militar, Major Nascimento anunciou a realização de um novo curso para formação de novos sargentos da PM no Juruá. “A partir do dia 8 de julho teremos uma nova turma iniciando com 16 colegas daqui e mais 4 de Feijó e Tarauacá que também vão se formar sargentos” – anunciou Nascimento.



IBAMA entra em acordo com pescadores sobre proibição de pesca com tarrafas e malhadeiras


De acordo com a Instrução Normativa número 192 de 25 de setembro de 2008 do Instituto Brasileiro de Meio Ambiente, fica proibida a pesca com malhadeiras e tarrafas no perímetro que compreende a área urbana dos municípios de Guajará, Cruzeiro do Sul Rodrigues, Alves e Mancio Lima. A medida causou revolta aos pescadores que na última sexta-feira (29) se manifestaram contra a determinação do órgão ambiental.

Mazinho Rogerio

De acordo com a Instrução Normativa número 192 de 25 de setembro de 2008 do Instituto Brasileiro de Meio Ambiente, fica proibida a pesca com malhadeiras e tarrafas no perímetro que compreende a área urbana dos municípios de Guajará, Cruzeiro do Sul Rodrigues, Alves e Mancio Lima. A medida causou revolta aos pescadores que na última sexta-feira (29) se manifestaram contra a determinação do órgão ambiental. Depois de muita conversa, em uma reunião com uma comissão de representantes dos pescardoes, o chefe do escritório do IBAMA decidiu realizar uma Audiência Pública para debater o assunto.

Com faixas afirmando que estão sendo perseguidos, os profissionais em pesca solicitavam a liberação da pesca em toda extensão do Rio Juruá. Os pescadores afirmaram que terão prejuízos se a medida entrar em vigor. Seu Maciel Furtado que pesca há mais de 20 anos disse que nem todo pescador pode se deslocar a longas distantes para capturar o pescado. “São poucos os pescadores que vão pegar peixe nos municípios do baixo Juruá. Minha canoa é pequena e não posso sair daqui para pescar longe porque a despesa é muito alta” – disse o pescador.

O movimento teve o apoio de vereadores de Cruzeiro do Sul, de dirigentes das Colônias de pescadores, do representante da Secretaria Especial de Aqüicultura e Pesca e do deputado Federal Gladson Cameli que intermediou um acordo com os representantes do IBAMA. Durante a reunião que durou mais de duas horas, os servidores do IBAMA ouviram a comissão e explicaram os objetivos da Instrução Normativa. Mas, no final da reunião, o chefe do escritório do IBAMA apresentou uma proposta para resolver o impasse.

Marcio Venicio Oliveira sugeriu a realização de uma grande audiência publica para analisar os impactos da medida. “Decidimos pela a Audiência Pública para que os pescadores dos outros municípios que também dependem do pescado que sobe no Juruá, possam dizer o que acham dessa Instrução Normativa que tem o objetivo de evitar o desperdiço como aconteceu em anos anteriores” – justificou Márcio que garantiu que a pesca com tarrafas e malhadeiras estará liberada em toda região até a realização da Audiência.

De acordo com o IBAMA, a proibição da pesca com tarrafas e malhadeiras no perímetro que compreende os quatro municípios, tem a finalidade facilitar o controle da atividade na região e garantir que a piracema possa seguir até os municípios mais distantes. Além disso, de evitar o desperdício de pescado como aconteceu nos anos anteriores.

Na reunião, o defensor público Jonathan Donadone, contestou a legalidade da Instrução Normativa do Instituto de Meio Ambiente. “Instrução Normativa serve para orientar ao cumprimento de algo que já é determinado por Lei e na Legislação não tem nada que se refere à Piracema Trófica” – ressaltou Donadone.

O presidente da Colônia de pescadores de Cruzeiro do Sul, Elenildo Nascimento, acredita que o IBAMA precisa fiscalizar para evitar a ação das pessoas que não são pescadores que invadem o rio durante as piracemas e disse que a categoria não pode ser penalizada por uma ineficiência do órgão de proteção ambiental. Mas, concordou com a realização de uma audiência publica para discutir o assunto. “Já existe uma Legislação Ambiental que regulamenta a atividade pesqueira. O que é preciso o IBAMA fazer é cumprir o que já está determinado” – disse Elenildo.

Gladson Cameli concordou com a realização da Audiência Pública. O parlamentar colocou o seu gabinete a disposição para organizar o debate entre o IBAMA e os pescadores. “Chegamos ao acordo que os pescadores esperavam. O IBAMA precisa ser mais compreensível com os trabalhadores da região” – disse Gladson.

Fedegoso perde a “perereca” e oferece recompensa para quem a encontrar


Pela primeira vez na história da imprensa do Juruá se divulga uma reportagem oferecendo recompensa para quem encontrar uma dentadura. A reportagem que mais parece uma comédia, no entanto é uma realidade.

Francisco Rocha

Pela primeira vez na história da imprensa do Juruá se divulga uma reportagem oferecendo recompensa para quem encontrar uma dentadura. A reportagem que mais parece uma comédia, no entanto é uma realidade.

Raimundo Galdino de Matos, o popular fedegoso - o fera, procurou a imprensa através de uma rádio local para oferecer recompensa a quem encontrar sua dentadura. Ainda lombrado, Fedegoso disse que não sabe onde perdeu a dentadura, pois estava chapado e tinha tomado dois litros de álcool tampa azul.

“ Provoquei e a chapa foi junto. Sinto como se estivesse perdido parte da minha vida”, reclamou.

Galdino é pescador e agora com a boca careca afirma que fica constrangido quando vai sorrir para seus amigos, faltando os cincos dentes, perdidos com a dentadura.

“ Preciso recuperar o meu sorriso, por isso, peço se alguém a encontrar que me devolva, pois ela não vai servir para ninguém, só serve para mim”, apelou.

Completamente embriagado Fedegoso garante que a recompensa será com dinheiro e corda de coração.

“ Não deixo o número do telefone para contato porque não consigo me lembrar do número”, disse.

Galdino conta que o apelido de Fedegoso, começou porque ele chamava os colegas pescadores de fedorentos e acabou recebendo o apelido de Fedegoso.

Tomado pelo álcool, Fedegoso diz que os cinco dentes perdidos com sua chapa fazem parte de sua vida e se não a encontrá-la, a partir de agora vai ter que utilizar as unhas para abrir as garrafas de cachaça.

Raimundo Galdino finalizou a entrevista dizendo: “ minha chapa é tudo na minha vida”.

Projeto de Ilderlei recebe apoio de vereadores paulistas


A Câmara Municipal de Matão (SP) encaminhou à Mesa Diretora da Câmara dos Deputados moção de apoio ao projeto de lei, de autoria do deputado Ilderlei Cordeiro (PPS-AC), que dispõe sobre a doação de óculos e aparelhos auditivos aos alunos carentes matriculados na rede pública, como política afirmativa de contribuição ao desempenho escolar.

Brasília – A Câmara Municipal de Matão (SP) encaminhou à Mesa Diretora da Câmara dos Deputados moção de apoio ao projeto de lei, de autoria do deputado Ilderlei Cordeiro (PPS-AC), que dispõe sobre a doação de óculos e aparelhos auditivos aos alunos carentes matriculados na rede pública, como política afirmativa de contribuição ao desempenho escolar. O documento foi solicitado pelo vereador José Edinardo Esquentini (PSB), extensivo a todos os líderes com representação partidária no Legislativo.

A presidência da Câmara Municipal de Matão considera que um dos principais obstáculos para o desenvolvimento da apredizagem dos estudantes, principalmente da rede pública, é a deficiência visual ou auditiva, notoriamente foramada por pessoas de baixa renda familiar, que limita esses estudantes de terem um desempenho igualitário nas salas de aula.

Argumenta ainda que a proposta do parlamentar acreano trata de medida coerente como dever do Estado incluir entre os benefícios concedidos pelo SUS, assim como tratamentos de prevenção e medicamentos, a doação de aparelhos corretivos e auditivos, visando a recuperação e manutenção da capacidade de aprendizado do estudante carente.

O projeto de lei do deputado Ilderlei Cordeiro que propõe a doação de óculos e aparelhos auditivos a alunos carentes foi apresentado a Mesa Diretora da Câmara dos Deputados na semana que antecedeu o último recesso parlamentar. A matéria tramita normalmente nas comissões permanentes e vem recebendo uma atenção especial, pelo grande alcance social que ela representa.

Ao justificar o projeto, Ilderlei Cordeiro disse que as deficiências visuais e auditivas vêm ao longo do tempo se constituindo num importante fator de liitação da capacidade de aprendizado dos estudantes, especialmente os da rede pública, notoriamente formada por pessoas carentes. “O meu projeto pretende beneficiar o estudante, cuja família dispõe de renda mensal familiar inferior a dois salários mínimos” – enfatizou.

(Assessoria)