terça-feira, 2 de junho de 2009

Binho visita obras da Avenida Japiim em Mâncio Lima


Durante visita à região do Juruá no último final de semana, o governador Binho Marques aproveitou para fazer uma visita às obras da Avenida Japiim, em Mâncio Lima. O projeto de urbanização contempla o alargamento da avenida, a mais importante da cidade e que passará a contar com duas pistas de rolamento com sete metros, ciclovia de 2,50 metros e calçada nas duas laterais.

Governador apresentou sugestões que irão melhorar ainda mais o projeto que eleva a qualidade de vida e embeleza a cidade de Mâncio Lima

Durante visita à região do Juruá no último final de semana, o governador Binho Marques aproveitou para fazer uma visita às obras da Avenida Japiim, em Mâncio Lima. O projeto de urbanização contempla o alargamento da avenida, a mais importante da cidade e que passará a contar com duas pistas de rolamento com sete metros, ciclovia de 2,50 metros e calçada nas duas laterais.

A via contará com mais 1.280 metros de rede de águas pluviais. A revitalização da Praça do Hospital conta com a implantação de dois quiosques, área verde, playground, calçadas e bancos. A obra emprega cerca de 100 trabalhadores e está sendo executada por uma empresa da região.

Marques apresentou sugestões para melhorar o projeto. O prefeito da cidade, Cleidson Rocha, acompanhou o governador. "Esta obra traz melhoria na infraestrutura da cidade, proporciona lazer e deixa a cidade mais bonita. Temos muita gratidão ao governo do Estado", disse Rocha.

"Às vezes, detalhes fazem grande diferença. Estas nossas obras tem sempre a preocupação com a qualidade de vida e busca atender à todos", afirmou Binho Marques.

NÚMEROS DA NOVA AVENIDA JAPIIM

Extensão: 1.280 metros
Trecho: Praça do Hospital ao Igarapé da Sanacre
Características do projeto: Alargamento da via com implantação de duas faixas de rolamento; execução de uma faixa de ciclovia com 2 metros de largura; execução de calçadas com 2,50 metros de largura em ambos os lados da via; paisagismo e iluminação pública diferenciada, além da urbanização da Praça do Hospital e a construção de dois pórticos.
Valor: R.454.864,87
Fonte de recurso: Governo do Acre e Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) Fase III.
Postos de trabalho: 100 empregos diretos no período de maior atividade
População beneficiada: 11.028 pessoas


Pescadores artesanais recebem crédito do Pronaf para apoio à atividade em Cruzeiro do Sul


Pela primeira vez no Brasil pescadores artesanais tiveram acesso aos benefícios do Pronaf, que antes era restrito apenas aos agricultores familiares. Em Cruzeiro do Sul, município com uma tradição pesqueira forte no Acre, 118 pescadores assinaram o financiamento no último sábado, na presença do governador Binho Marques.


Tatiana Campos

Governador Binho Marques assina financiamento que irá beneficiar 118 pescadores do município


Pela primeira vez no Brasil pescadores artesanais tiveram acesso aos benefícios do Pronaf, que antes era restrito apenas aos agricultores familiares. Em Cruzeiro do Sul, município com uma tradição pesqueira forte no Acre, 118 pescadores assinaram o financiamento no último sábado, na presença do governador Binho Marques.

A meta é beneficiar mais de 200 pescadores da região. O governador Binho Marques destacou dois diferenciais do crédito do Pronaf para os pescadores artesanais: "Este é um empréstimo muito diferente dos demais. Primeiro, porque o banco não tem lucros com ele. Vocês vão pagar ainda menos do que receberam, pois pagam o mesmo valor que receberam, só que ao longo do tempo o dinheiro desvaloriza", disse o governador aos pescadores.

Binho também destacou que a preocupação do governo não é apenas oferecer crédito aos produtores. "Queremos melhorar a qualidade de vida e para isso vamos melhorar a oferta da educação, da saúde, da segurança pública em todas as comunidades".

Segundo o secretário de Extensão Agroflorestal e Produção Familiar, Nilton Cosson, "este é um momento muito especial, de muita alegria, pois, pela primeira vez, conseguimos colocar crédito para a pesca artesanal. Graças a Governo Lula os recursos do Pronaf chegam a todos que fazem produção familiar no Brasil, pescadores, quilombolas, agricultores", disse ele.

O presidente da Colônia de Pescadores, Elenildo de Souza, estava emocionado durante a solenidade de assinatura dos créditos. "Todas as minhas palavras não seriam suficientes para expressar minha alegria. Desde o governo do Jorge Viana, e também no Governo Binho Marques nós somos respeitados e valorizados pela nossa profissão. O que está acontecendo hoje aqui nunca aconteceu antes. Hoje temos a honra de receber estes créditos na presença do governador do Estado", disse.

Segundo Elenildo, o financiamento servirá para a compra de implementos de pesca como barcos, varas, tarrafas, malhadeiras, motores. Para o superintendente do Banco do Brasil, Edvaldo Souza, o Pronaf atende produtores visando uma produção economicamente sustentável e ambientalmente correta. "Aqui no Acre temos 37 planos de negócios, onde procuramos contribuir com mais de sete mil famílias que estão sendo atendidas com recursos superiores a R$ 15 milhões", comentou. O Banco da Amazônia, segundo o superintende Marivaldo Melo, atende 25 mil famílias com financiamentos do Pronaf e a meta é atingir 40 mil.

Os recursos do Pronaf são oriundos do Governo Federal, através do Ministério do Desenvolvimento Agrário (MDA). Os bancos - Banco do Brasil e Banco da Amazônia no caso do Acre - operam os recursos, que para serem liberados precisam de um projeto técnico aprovado.

Para elaborar o projeto e garantir assistência técnica aos pescadores e agricultores beneficiados, o Governo do Estado, através da Seaprof, entra em ação e dá todo suporte necessário.

Os financiamentos para os pescadores artesanais variam de R$ 1,5 mil a R$ 18 mil, com três anos de carência e oito anos para pagamento. Estiveram presentes à solenidade de assinatura dos créditos o vice-governador César Messias, a deputada federal Perpétua Almeida, o deputado estadual Thaumaturgo Lima e o presidente da Assembléia Legislativa, deputado Edvaldo Magalhães.

O que é o Pronaf

Criado em 1995, apenas como uma linha de crédito de custeio, o Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar passou por grandes mudanças e ampliou seus instrumentos de atuação. Ao longo de 13 anos, passou de 150 mil contratos e R$ 350 milhões emprestados a agricultores familiares para mais de 1,6 milhões de operações e R$ 8,4 bilhões aplicados (dados da safra 2006/2007).

IDAF dá mais um prazo para criadores vacinarem seus rebanhos


O Ministério da Agricultura, através de solicitação do Instituto de Defesa Agro-florestal do Acre – IDAF – deu mais um prazo para que os criadores que ainda não vacinaram seus rebanhos contra a febre aftosa possam fazer a imunização dos animais bovinos e bubalinos. A campanha que era para ter se encerrado no dia 30 de maio vai se estender até o dia 15 de junho.


Mazinho Rogerio
O Ministério da Agricultura, através de solicitação do Instituto de Defesa Agro-florestal do Acre – IDAF – deu mais um prazo para que os criadores que ainda não vacinaram seus rebanhos contra a febre aftosa possam fazer a imunização dos animais bovinos e bubalinos. A campanha que era para ter se encerrado no dia 30 de maio vai se estender até o dia 15 de junho.

O gerente do IDAF em Cruzeiro do Sul, Marcos Pereira de Souza, explica que o Governo decidiu adiar o prazo devido às dificuldades que os criadores tiveram para vacinar o rebanho durante o período de inverno. “O Governo que atingir a meta de vacinar no mínimo 90% do rebanho do estado e como tivemos muitas chuvas atrapalhou a vida dos criadores, principalmente no Juruá onde muitos não têm estrutura adequada para manusear o gado durante o período de inverno” – disse Marcos.

Nas três lojas de produtos veterinários de Cruzeiro do Sul, que colocaram a vacina à disposição dos criadores, à procura até agora foi inferior do que nas campanhas anteriores. Mesmo assim, em algumas lojas o estoque já se esgotou. Marcos Alan Néri de Souza, proprietário de um comércio, afirma que a venda foi bem abaixo do que no ano passado. “A média de venda todos os anos era de 20 mil doses e esse ano até agora só vendemos 11 mil” – disse o comerciante.

Para vacinar todo rebanho bovino de Cruzeiro do Sul serão necessárias mais de 70 mil doses de vacina. Até agora cerca de 40 mil doses foram comercializadas com os criadores. Se essa quantidade fosse levada em consideração até agora apenas 55% do rebanho bovino da cidade estariam vacinados, mas o IDAF estima que esse percentual já seja bem superior porque a maioria dos grandes fazendeiros compra a vacina em outros estados.

Marcos Pereira alerta que os criadores devem obedecer aos novos prazos da campanha para não sofrerem sansões em suas propriedades. “O dia 15 de junho é o último prazo para quem ainda não realizou a vacina em seu rebanho comprar a vacina nas casas agropecuárias e para apresentar a declaração ao IDAF é até o dia 25 deste mês. O criador que não obedecer a essas datas será notificado e poderá até ser multado por não ter vacinado seus animais” – disse o gerente do IDAF.

Polícia Militar divulga relatório de crimes com armas brancas cometidos em 2008 no Juruá



O comando do 3º Batalhão da Polícia Militar divulgou esta semana um relatório com o número de crimes praticados nos municípios de Cruzeiro do Sul, Rodrigues Alves, Mâncio Lima, Porto Walter e Marechal Thaumaturgo, no ano passado, em que os criminosos utilizaram armas brancas.

Mazinho Rogerio


O comando do 3º Batalhão da Polícia Militar divulgou esta semana um relatório com o número de crimes praticados nos municípios de Cruzeiro do Sul, Rodrigues Alves, Mâncio Lima, Porto Walter e Marechal Thaumaturgo, no ano passado, em que os criminosos utilizaram armas brancas. De acordo com o levantamento feito pelo Centro de Operações Integradas de Segurança Pública – CIOSP - mais de 350 pessoas foram feridas, durante o ano de 2008, por faca, terçado ou outro tipo de material cortante na segunda maior cidade do estado do Acre.

Dos homicídios que aconteceram nos cinco municípios da região do alto Juruá no ano passado, a grande maioria foi cometida com armas brancas. De um total de 28 pessoas assassinadas, 21 foram vítimas desse tipo de arma. Os outros setes homicídios foram praticados com arma de fogo.

De acordo com o relatório, que contém dados dos registros diários do CIOSP, no mês de fevereiro foi registrado um dos maiores índices com 36 ocorrências. Sendo que houve dois assassinatos e dez tentativas de homicídio. Empatado, com o mesmo número de ocorrências, ficou o mês de setembro. Nesse mês, não houve nenhum homicídio e foram registradas sete tentativas.

Já em outubro teve o menor número com 14 ocorrências, nenhum homicídio e apenas uma tentativa. No documento estão incluídos ainda os crimes de porte de arma, ameaça, agressão, extorsão, condução, furto, invasão a domicílio, lesão corporal, roubo e vias de fato, nos quais os infratores utilizaram de faca terçado ou outro arma da mesma natureza para cometer o delito.

O comandante do Batalhão da PM em Cruzeiro do Sul afirmou que vários fatores contribuem para o alto índice de uso de armas brancas na região. Um deles é extensa área rural onde a população das comunidades utiliza muito esse tipo de arma para o trabalho e as pessoas acabam utilizando seus próprios utensílios para cometer crime.

Outro fator contribuinte seria a impunidade ou a fragilidade do Código Penal que facilita a liberdade dos delinqüentes. “Muitas vezes as pessoas cometem um crime e em pouco tempo estão soltas. Já tivemos casos de homicídios aqui que em menos de seis meses o autor foi posto em liberdade e matou outra pessoa” – afirmou o major Nascimento.