domingo, 9 de agosto de 2009

Vagner Sales entre Estádio Cruzeirão reformado



O prefeito Vagner Sales e o vice-prefeito Mazinho Santiago reinauguraram na manhã deste sábado, 9 de agosto, o Estádio Municipal do Cruzeirão, na presença de autoridades e centenas de torcedores e atletas que lotaram as arquibancadas e outras dependências. Construído em terreno cedido por Adiles Maciel, estádio foi cenário onde se desenrolou toda a história do futebol em Cruzeiro do Sul.


O prefeito Vagner Sales e o vice-prefeito Mazinho Santiago reinauguraram na manhã deste sábado, 9 de agosto, o Estádio Municipal do Cruzeirão, na presença de autoridades e centenas de torcedores e atletas que lotaram as arquibancadas e outras dependências. Construído em terreno cedido por Adiles Maciel, estádio foi cenário onde se desenrolou toda a história do futebol em Cruzeiro do Sul.

Vagner Sales disse que quando chamou o desportista Camilo Secundes “tinha a certeza de que ele faria um bom trabalho pelo esporte de Cruzeiro do Sul. E contou que ao visitar o estádio antes da reforma, ficou triste ao ver que o gramado servida de pasto para cavalos e vacas, com arquibancadas, vestiários e todas as dependências depredadas.

O prefeito contou que o custo para a reforma foi o mais baixo possível, porque foi feito com mão de obra da própria prefeitura. Segundo ele, é uma vergonha para o município ver os jogos oficiais dos seus times sendo realizados em outro município (Mâncio Lima), porque não tem um estádio à altura do que é exigido pelas federações de futebol.

“Esse ainda não é o estádio que precisamos, para ficar à altura da nossa cidade. Mas o governo estadual está fazendo uma licitação para a construção de um novo estádio em Cruzeiro do Sul, mas enquanto ele não é construído, teremos o Cruzeirão para acompanhar os nossos jogos”, declarou.

Mazinho Santiago disse que ao ver o estádio todo reformado lembrou os dias em que jogou pelo São Cristóvão, “e naquela época o time do Juruá era nosso freguês”, brincou ele com o Vagner Sales, torcedor do Juruá. Segundo ele, “quando a prefeitura recupera a única praça de esporte da cidade, está cuidando da população, promovendo saúde e mantendo os jovens longe das drogas”.

Para Maciel, poucos prefeitos ousaram investir na recuperação do estádio, “como fez agora o prefeito Vagner Sales, que recupera o esporte na cidade, que passava por uma grande decadência”.

Dílson Ornelas

Trecho da BR 364 se chamará Ildefonço Cordeiro



Foi aprovado, por unaminidade, na Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania (CCJ), o projeto de lei de autoria do deputado Ilderlei Cordeiro (PPS-AC) que denomina “Deputado Ildefonço Cordeiro” o trecho da BR 364, entre as localidades de Nova Califórnia e Boqueirão da Esperança. Como foi aprovada em decisão terminativa, a matéria seguirá agora para apreciação e votação pelo Plenário do Senado Federal. O trecho de 107 km do lado brasileiro representa um passo definitivo para a tão sonhada integração rodoviária Brasil/Peru.



Brasília - Foi aprovado, por unaminidade, na Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania (CCJ), o projeto de lei de autoria do deputado Ilderlei Cordeiro (PPS-AC) que denomina “Deputado Ildefonço Cordeiro” o trecho da BR 364, entre as localidades de Nova Califórnia e Boqueirão da Esperança. Como foi aprovada em decisão terminativa, a matéria seguirá agora para apreciação e votação pelo Plenário do Senado Federal. O trecho de 107 km do lado brasileiro representa um passo definitivo para a tão sonhada integração rodoviária Brasil/Peru.

O deputado Ilderlei Cordeiro disse que a homenagem é um ato de reconhecimento ao um político engajado no desenvolvimento regional, a um empresário correto, prestativo e generoso e, acima de tudo um cidadão honrado que pautou a vida pela defesa dos interesses da população acreana, particularmente do Juruá.

Ildefonço Cordeiro, abruptamente falecido aos 57 anos de idade em desastre aéreo da Rico Linhas Aéreas, ocorrido em 2002, na cidade de Rio Branco, nasceu no município de Cruzeiro do Sul, onde constituiu numerosa família. De origem simples, o ex-deputado federal dedicou às camadas mais pobres da população a sua vocação política e a rápida passagem pela vida pública.

Com base na atuação política do pai, o deputado Ilderlei Cordeiro dedica parte de seu mandato parlamentar à defesa intransigente da integração rodoviária do Acre internamente, mas também com os países vizinhos (Peru e Bolívia) “como a única maneira de alcançar mercados para os produtos regionais e, conseqüentemente, a promoção da economia”.

(Assessoria)

Sarrad e Rabibi são condenados a mais de 19 anos de reclusão



O julgamento mais demorado, já realizado no Tribunal do Júri de Cruzeiro do Sul, se encerrou às 17 horas desta quarta-feira (6). Foram três dias de audiência para o veredicto de Sarrad Dell Armi Haibibi e Rabibi Said Haibibi, ambos de descendência árabe, responsáveis pela morte de Raimundo Ribeiro da Silva, o comerciante que era conhecido por Mineiro, assassinado em dezembro de 2006 na Vila Santa Luzia. O Conselho de Sentença acatou a tese da Promotoria e condenou os réus que receberam, cada um, uma pena de 19 anos e três meses de reclusão em regime fechado.


O julgamento mais demorado, já realizado no Tribunal do Júri de Cruzeiro do Sul, se encerrou às 17 horas desta quarta-feira (6). Foram três dias de audiência para o veredicto de Sarrad Dell Armi Haibibi e Rabibi Said Haibibi, ambos de descendência árabe, responsáveis pela morte de Raimundo Ribeiro da Silva, o comerciante que era conhecido por Mineiro, assassinado em dezembro de 2006 na Vila Santa Luzia. O Conselho de Sentença acatou a tese da Promotoria e condenou os réus que receberam, cada um, uma pena de 19 anos e três meses de reclusão em regime fechado.

Mineiro foi brutalmente assassinado no dia 21 de dezembro de 2006, vítima de golpes de marreta. Seu corpo foi jogado em uma cacimba e só encontrado quatro meses depois, quando seu filho Rogério Rodrigues veio de Minas Gerais e, desconfiado do desaparecimento do pai, procurou o delegado Ananias Pereira, hoje falecido, que conseguiu desvendar o crime que chocou toda comunidade do Projeto da Vila Santa Luzia, onde Raimundo Ribeiro trabalhava como comerciante e era bastante querido da população.

De acordo com as investigações realizadas na época, Sarrad, que era genro de Mineiro, e Raibibi, pai de Sarrad, teriam executado o comerciante para tomar posse dos bens da vítima que, a cada dia, se tornava sucedido nos negócios. No Julgamento, Sarrad ainda tentou colocar toda culpa para seu pai pelo homicídio e confessou apenas ter participação na ocultação do cadáver. No depoimento, Sarrad disse que Raibibi matou e só teria o ajudado a jogar o corpo dentro do buraco de 12 metros de profundidade.

Essa tese foi sustentada pelo advogado Heleno Farias que defendeu Sarrad e tentou absolver do réu alegando que, pelo crime de ocultação de cadáver, seu cliente já havia cumprido pena de dois anos de prisão. Rabibi que foi assistido pela Defensoria Púlbica, confessou a autoria do assassinato e também defendeu o filho.

Entrenato, o promotor público Glaúcio Ney Shiromo Oshiro, entendeu que houve contradição entre os depoimentos dos dois acusados e, com base no inquérito policial e nos depoimentos das testemunhas, convenceu o Conselho de Sentença de que, não apenas Raibibi, como também Sarrad, teve participação direta no homicídio.
Acatando a tese do Promotor, os jurados decidiram pela condenação dos réus que foram sentenciados pelo juiz, Álisson José dos Santos Braz. O advogado Heleno Farias, insatisfeito com o resultado do julgamento, afirmou que a defesa vai recorrer da sentença.

Para os familiares de Mineiro, a decisão judicial, comprovou o que todos da família e da comunidade Santa Luzia já sabiam desde que os dois acusados foram presos em 2007. “Somos pessoas de Deus e não desejamos o mal para ninguém, mas queremos que eles paguem pelo erro que cometeram. Agradecemos ao promotor que foi de uma competência sem tamanho e fez com que a morte de nosso pai não ficasse impune” – desabafou Rogério no final do julgamento.