terça-feira, 8 de setembro de 2009

Preço de passagens da Gol é vergonhoso, diz Gladson

Visivelmente irritado, o deputado Gladson Cameli ocupou ontem à tarde a Tribuna da Câmara Federal para protestar contra as tarifas praticadas pela Gol Linhas Aéreas, principalmente na linha para a região do Juruá (Cruzeiro do Sul), onde detém o monopólio do transporte aéreo. Para o deputado,é a chance de expressar o inconformismo de toda uma população contra preços que não levam em conta a realidade econômica local.”È o protesto de toda uma região”,resumiu o parlamentar.

Visivelmente irritado, o deputado Gladson Cameli ocupou ontem à tarde a Tribuna da Câmara Federal para protestar contra as tarifas praticadas pela Gol Linhas Aéreas, principalmente na linha para a região do Juruá (Cruzeiro do Sul), onde detém o monopólio do transporte aéreo. Para o deputado,é a chance de expressar o inconformismo de toda uma população contra preços que não levam em conta a realidade econômica local.”È o protesto de toda uma região”,resumiu o parlamentar.

O deputado lembrou ainda que já foram realizadas diversas reuniões incluindo Infraero, bancada federal, Aneel e a direção da empresa sem que até agora fosse dada uma solução adequada para o caso. Sem esquecer, alegou o deputado, que a Gol eleva os preços num trajeto cuja ocupação de assentos garantiria um preço preferencialmente estável e razoável. Para o parlamentar, o importante agora é , mais que nunca, estimular ao máximo a concorrência, ”única forma de garantir preços de mercado. Por isto mesmo, nosso esforço em levar outras companhias para a região”.

Em seu discurso, Gladson destacou que o transporte aéreo para a região do Juruá, muitas vezes, é o único meio de deslocamento já que a BR 364 só garante trânsito entre o vale do Acre e Juruá no máximo quatro meses por ano. ”Neste caso, o resto do tempo a única via de transporte é mesmo a aérea ou fluvial.Em caso de doença,carga muito perecível ou deslocamento sazonal, o jeito é apelar para o avião”, revela. Segundo o parlamentar, a Gol deveria ter um senso mais social de seu trabalho, ”já que foi contemplada com um trecho distante, estratégico e no extremo Ocidente brasileiro”.


Prefeito Vagner Sales investe na educação

“Até o final deste ano construiremos, com recursos próprios, onze escolas. Em oito meses colocamos dentro das salas de aula 1420 alunos a mais do que foi a crescido no ano passado. Isso não é pouco”, afirmou o secretário de Educação de Cruzeiro do Sul, Ivo Galvão, em entrevista a uma emissora local. Ele ressaltou que até agosto, comparando com o mesmo período de 2008, a Secretaria recebeu este ano 30% a menos em recursos, mas mesmo assim, todas as promessas de campanha do prefeito Vagner Sales vão se cumprindo uma a uma.

“Até o final deste ano construiremos, com recursos próprios, onze escolas. Em oito meses colocamos dentro das salas de aula 1420 alunos a mais do que foi a crescido no ano passado. Isso não é pouco”, afirmou o secretário de Educação de Cruzeiro do Sul, Ivo Galvão, em entrevista a uma emissora local. Ele ressaltou que até agosto, comparando com o mesmo período de 2008, a Secretaria recebeu este ano 30% a menos em recursos, mas mesmo assim, todas as promessas de campanha do prefeito Vagner Sales vão se cumprindo uma a uma.

O secretário declarou que na zona rural crianças de 4 a 5 anos estão sendo alfabetizadas e os demais alunos ganham melhor qualidade no ensino.“Colocamos dez turmas de educação infantil no interior e começamos a receber computadores para escolas rurais, para onde enviamos nosso técnico de informática para capacitar os professores da BR-307, para que eles possam usar da melhor maneira possível esses computadores com os alunos”, disse.

Galvão informou que existem quinze laboratórios de informática prontos, e que uma equipe irá para os Rios Juruá e Juruá Mirim, resolver problemas de energia solar em duas escolas. Segundo ele, após a implementação de energia solar, os computadores serão instalados na zona rural. Ele lembra que na área urbana do município escolas públicas municipais também receberam dezesseis computadores. Ivo conta que em algumas escolas os ofícios eram feitos a mão. “Estamos trabalhando com a avaliação das escolas urbanas e rurais para verificar o nível de aprendizagem do aluno. Não queremos apenas escolas novas, merenda escolar e transporte, queremos qualidade na aprendizagem do aluno”,

“Às vezes recebemos críticas, mas não podemos resolver todos os problemas em sete ou oito meses. Ao invés de criticar que ainda não implantamos a escola de informática, os críticos precisam olhar o que já temos feito. Precisam verificar que estamos colocando laboratório de informática para funcionar nas escolas das áreas urbana e rural. Que estamos trabalhando a educação infantil, e até o final do ano, colocaremos para funcionar os laboratórios da escola Terezinha Savedra, Maria da Conceição Lima, e estamos ampliando o laboratório da escola Thaumaturgo de Azevedo e Marcelino Champagnat. Todos estes que estavam parados irão funcionar”, garante.

Ivo garantiu ainda que a partir dessa segunda-feira uma turma de gari será alfabetizada, e as aulas serão dentro da garagem da prefeitura, as 19:00h. “Isso tem impacto, e é importante”. Além disso, ele contou que mais de 450 pescadores estão sendo alfabetizados através de um programa em parceria com a Colônia de Pescadores, o Banco do Brasil, intermediado pelo o gabinete do senador Tião Viana. “Esses pescadores são alfabetizados nas escolas municipais, estaduais, gerenciado pelo município. É um programa importante, porque eles vão deixar de carimbar o dedo quando vão receber o pagamento, quando vão fazer o contrato e quando buscam financiamento. Daqui a seis meses essas 450 estarão alfabetizadas.”, finaliza.


Câmara Municipal de Rodrigues Alves realiza primeira sessão itinerante

A primeira sessão da Câmara Municipal de Rodrigues Alves, em uma comunidade rural, foi realizada na Escola Francisco Lino Ribeiro no Ramal da Bananeira, na última sexta-feira (04). Participaram da sessão itinerante, o prefeito Burica e o deputado Thaumaturgo Lima. Mas, os vereadores que eram os mais esperados pela população, faltaram em grande maioria. De um total de nove, apenas três compareceram, o presidente, Darimar Rocha, o peemedebista Demétrio, e o comunista Jailson. Mesmo assim, os trabalhos transcorreram normalmente.

A primeira sessão da Câmara Municipal de Rodrigues Alves, em uma comunidade rural, foi realizada na Escola Francisco Lino Ribeiro no Ramal da Bananeira, na última sexta-feira (04). Participaram da sessão itinerante, o prefeito Burica e o deputado Thaumaturgo Lima. Mas, os vereadores que eram os mais esperados pela população, faltaram em grande maioria. De um total de nove, apenas três compareceram, o presidente, Darimar Rocha, o peemedebista Demétrio, e o comunista Jailson. Mesmo assim, os trabalhos transcorreram normalmente.Durante a sessão, as solicitações foram variadas, no entanto, modestas. Os lideres de sete comunidades representadas na sessão, utilizaram a tribuna para reivindicar o mais básico para cada comunidade. Recuperação das estradas, assistência técnica para apoio à produção, programas de açudagem, atendimento à saúde e merenda de qualidade para os alunos, foram os pedidos do povo aos seus representantes.

O prefeito Burica, também elogiou a iniciativa da Câmara e disse que o contato com a população é importante para tornar o seu mandato participativo e garantiu que vai participar de todas as sessões que foram realizadas nas comunidades. “Sempre falei que queria governar o meu município ouvindo a voz da população e para isso estou aqui participando dessa sessão que é uma forma brilhante da Câmara se aproximar dos interesses das comunidades. Quero participar de todas que forem realizadas para acompanhar de perto as reivindicações dos produtores” – garantiu Burica.

Na avaliação do Presidente da Câmara, Darimar Rocha, a sessão alcançou o objetivo. Segundo o presidente, outras comunidades do município também vão receber a presença do parlamento. “Nossa pretensão é realizar mais três sessões em outras comunidades ainda esse ano e continuar com esse trabalho no durante os 4 anos de mandato para que possamos sentir de perto as dificuldades da população e cobrarmos as ações dos gestores” – disse Darimar.