quarta-feira, 21 de outubro de 2009

Escolas da área urbana ganham laboratórios de informática


Através da Secretaria de Educação, a prefeitura de Cruzeiro do Sul continua revolucionando a Educação na área rural, agora com a implantação de quinze laboratórios de informática nas escolas municipais. “Em dois anos informatizaremos todas as nossas escolas”, prevê o secretário Ivo Galvão, que assinou contrato com a empresa OI, de telecomunicações, nessa terça-feira, para a instalação de internet ADSL (Banda larga), nas escolas das zonas rural e urbana.


Através da Secretaria de Educação, a prefeitura de Cruzeiro do Sul continua revolucionando a Educação na área rural, agora com a implantação de quinze laboratórios de informática nas escolas municipais. “Em dois anos informatizaremos todas as nossas escolas”, prevê o secretário Ivo Galvão, que assinou contrato com a empresa OI, de telecomunicações, nessa terça-feira, para a instalação de internet ADSL (Banda larga), nas escolas das zonas rural e urbana.

Para Ivo Galvão, “esse é um processo ininterrupto na busca de melhoria da qualidade de ensino”. Ele recorda que “em janeiro desse ano tinha comunidades sem escolas, outras que tinham escolas, mas sem condição de funcionamento, os alunos não tinham sequer um caderno ou um lápis, e os professores estavam desprovidos de ferramentas pedagógicas e treinamentos, sem a condição mínima para desenvolver um trabalho de qualidade”.

Escolas ao longo da BR-364, no Ramal 307, nas comunidades de Assis Brasil, Badejos, e nas margens dos rios Juruá e Juruá Mirim, entre outras, receberam nos últimos dias laboratórios com cinco computadores, impressora multifuncional e estabilizadores de energia. O secretário explica que para atender todo ensino fundamental, em todas as matérias, foi instalado o programa Línux Educacional.

“Estamos treinando os professores para que possam ensinar e orientar aqueles alunos, que nunca tiveram acesso à informática”, diz. Galvão comentou que o primeiro passo do prefeito Vagner Sales foi construir e reconstruir escolas, fornecer material escolar para os alunos, possibilitar o acesso às escolas e oferecer aos professores cursos de capacitação. “Agora sim, estamos modernizando o ensino dessas localidades”, comemora Ivo.

“Os filhos da mata, os pés descalços, as mãos calejadas que abastecem nossa cidade e nossas mesas com produtos do cabo da enxada e do terçado, terão a partir dessa administração uma nova perspectiva de vida. Agora esses jovens trabalhadores são ouvidos, respeitados e incluídos”, afirma.

Além da zona rural, as escolas Artur Maia, Corazita Negreiros, Darci Bezerra e Rita de Cássia, na área urbana, também ganharam laboratórios, cada um com dez computadores. O investimento nessas quatro escolas será de R$ 291,424,00, com recursos da prefeitura de Cruzeiro do Sul e do Ministério de Ciência e Tecnologia.

Assessoria



Câmara aprova projeto que define atividades privativas dos médicos

O Plenário aprovou, nesta quarta-feira, o Projeto de Lei 7703/06, do Senado, que define quais são as atividades privativas de médico e quais podem ser realizadas por outros profissionais da área de saúde. Conhecido como Ato Médico, o projeto volta ao Senado devido às alterações feitas na Câmara.
Câmara aprova projeto que define atividades privativas dos médicos
O Plenário aprovou, nesta quarta-feira, o Projeto de Lei 7703/06, do Senado, que define quais são as atividades privativas de médico e quais podem ser realizadas por outros profissionais da área de saúde. Conhecido como Ato Médico, o projeto volta ao Senado devido às alterações feitas na Câmara.

Aprovado na forma do substitutivo da Comissão de Trabalho, de Administração e Serviço Público, o projeto lista as atividades privativas do médico. Entre elas estão: emissão de laudo de exames feitos por meio de endoscopia e de imagem (ecografia, por exemplo); prescrição de órteses e próteses oftalmológicas; e realização de perícia médica e exames médico-legais, exceto os exames laboratoriais de análises clínicas, toxicológicas, genéticas e de biologia molecular. O texto foi aprovado com as emendas da Comissão de Seguridade Social e Família.

Procedimentos invasivos
Atividades privativas mais óbvias também são explicitadas pelo texto, como indicação e execução de cirurgias; bloqueios anestésicos e anestesia geral; e execução de procedimentos invasivos, sejam da pele (com uso de produtos químicos ou abrasivos) ou do tecido abaixo da pele (como drenagem, enxerto ou sucção), assim como em orifícios naturais do corpo, atingindo órgãos internos.

Para o deputado Eleuses Paiva (DEM-SP), relator pela Comissão de Seguridade, a aprovação do projeto significa um momento histórico para a profissão. "Esse é um momento histórico porque estamos regulamentando uma das mais antigas profissões, cuja prática, no Brasil, está no nível das melhores medicinas internacionais", afirmou.

Outras profissões
O substitutivo define como não privativos de médicos os diagnósticos realizados por outros profissionais, tais como os diagnósticos: psicológico, nutricional, de avaliações comportamental e das capacidades mental, sensorial e psicomotora.
Segundo o texto, todos os procedimentos definidos como privativos de médico não se aplicam ao exercício da odontologia, no âmbito de sua área de atuação.

Competência resguardada
As competências específicas de várias profissões regulamentadas também são resguardadas. Incluem-se nesse caso as de assistente social, biólogo, biomédico, enfermeiro, farmacêutico, fisioterapeuta, fonoaudiólogo, nutricionista, profissional de educação física, psicólogo, terapeuta ocupacional e técnico e tecnólogo de radiologia.

Outras profissões correlatas que vierem a ser regulamentadas também têm suas competências específicas resguardadas pelo texto.

Na opinião do deputado Lobbe Neto (PSDB-SP), relator do projeto pela Comissão de Educação e Cultura, o texto aprovado provoca uma tutela dos médicos sobre outras profissões da área de saúde. Ele citou como exemplo o destaque rejeitado que pretendia retirar do texto a atividade de emissão de diagnósticos citopatológicos da lista das privativas de médico.

"Somos contrários ao corporativismo que pretende tutelar outros profissionais, como na área laboratorial. Queremos regulamentar a profissão de médico, mas não a tutela que proíbe a assinatura de laudos que somente esses outros profissionais de saúde têm competência para emitir", disse.

Injeções
Atividades mais simples, normalmente feitas por outros profissionais ligados ao setor da saúde, são explicitamente citadas como não privativas de médico.

Entre elas podem ser citadas: aplicação de injeções subcutâneas, intramusculares ou intravenosas; coleta de material biológico para análise laboratorial; realização de exames citopatológicos (análise de amostras de células) e seus laudos; e realização de cateterismo sem cirurgias (no esôfago ou no nariz, por exemplo). Será necessária, entretanto, a indicação médica para o procedimento.

Também está excluído das ações privativas de médicos o atendimento à pessoa sob risco de morte iminente.

Administração e ensino
O PL 7703/06 torna privativos de médicos outros trabalhos, como a direção e a chefia de serviços médicos; a perícia e a auditoria médicas e a coordenação e supervisão vinculadas, de forma imediata e direta, às atividades privativas da carreira.

Na área de ensino, as disciplinas especificamente médicas são garantidas a esses profissionais, assim como a coordenação dos cursos de graduação, dos programas de residência médica e dos cursos de pós-graduação específicos para médicos.

Está de fora, entretanto, da condição de privativa a direção administrativa de serviços de saúde.

Reportagem - Eduardo Piovesan
Edição - Regina Céli Assumpção

Agência Câmara

Postos da prefeitura ampliam atendimentos a famílias


Depois de levar atendimento médico a todas as unidades de saúde e comunidades de difícil acesso, e após modernizar o laboratório de analises clinicas, a prefeitura de Cruzeiro do Sul surpreende novamente com atendimento às comunidades de profissionais como, psicólogos, nutricionistas fisioterapeutas, ginecologistas, professor de educação física, e assistente social, através do NASF (Núcleo de Apoio à Saúde da Família).


Depois de levar atendimento médico a todas as unidades de saúde e comunidades de difícil acesso, e após modernizar o laboratório de analises clinicas, a prefeitura de Cruzeiro do Sul surpreende novamente com atendimento às comunidades de profissionais como, psicólogos, nutricionistas fisioterapeutas, ginecologistas, professor de educação física, e assistente social, através do NASF (Núcleo de Apoio à Saúde da Família).

O programa vem sendo implantado em três unidades de saúde de Cruzeiro do Sul, um deles, tem previsão para iniciar as atividades dia 1º de novembro, no Centro de Saúde de Média Resolutividade Manoel Bezerra da Cunha, mais conhecido como Posto da 25, outro na Unidade Jesuíno Lins e um terceiro na Unidade São Braz. A secretaria de Saúde Léia de Oliveira, disse nessa terça-feira, que “o Ministério da Saúde propôs o projeto a alguns municípios, e o prefeito Vagner Sales, percebendo a demanda no município, aceitou a idéia de imediato”.

Segundo a secretária, no Acre, até o momento apenas três municípios contam com essas ações. Além de Cruzeiro do Sul, o único com três núcleos, também foram contemplados os municípios de Acrelândia e Plácido de Castro.

Léia conta que “a intenção é viabilizar uma assistência não somente do acompanhamento de pacientes que estejam acamados em suas residências, mas também acompanhar os exercícios físicos, no Centro do Idoso, por exemplo, por profissionais devidamente capacitados que possam esclarecer qualquer dúvida e fazer uma avaliação”.

Ela afirma que o acompanhamento de um psicólogo também é muito importante. “No município percebemos que a demanda na saúde mental tem se elevado. Têm muitos casos de depressão e síndrome do pânico, até em crianças”, lembra. Além de psicólogo, a população poderá contar com o atendimento de fisioterapeuta. Idosos que sofreram AVC (Acidente vascular cerebral, popularmente conhecido como derrame), crianças com deficiência de locomoção, pessoas vítimas de acidentes, que ficaram com seqüelas. Terão a oportunidade de diminuir os danos causados por traumas como esses.

“No caso de diabéticos e hipertensos, por exemplo, que às vezes não sabem ao certo o que devem ou não comer, o nutricionista fará essa orientação. Muitas vezes essas pessoas ficam carentes de nutrientes, porque sem orientação, acabam tirando do cardápio alimentos que lhe fazem falta”, ressalta. Entre essas e outras demandas, Léia declara que os casos de câncer de colo uterino e câncer de mama foram os primeiros aspectos a serem levantados.

Assessoria