quarta-feira, 4 de novembro de 2009

Presos pelo assalto ao BB de Feijó cumpriam pena e respondem a processos por outros crimes


Parte do bando ficou uma semana em Feijó planejando o assalto. Enquanto era preso na mata, Eurico Rocha do Nascimento, 28, teve prisão preventiva decretada em Rio Branco devido outro roubo, em 2004. Já Fagner Amorim da Silva recebeu progressão de pena para o regime aberto em 28 de outubro

Por EZÍ MELO


Parte do bando ficou uma semana em Feijó planejando o assalto. Enquanto era preso na mata, Eurico Rocha do Nascimento, 28, teve prisão preventiva decretada em Rio Branco devido outro roubo, em 2004. Já Fagner Amorim da Silva recebeu progressão de pena para o regime aberto em 28 de outubro

Enquanto era preso na mata, na BR 364, entre Feijó e Manuel Urbano, nesta quarta-feira (04), depois de trocar tiros com a polícia, Eurico Rocha do Nascimento, 28, um dos seis assaltantes ao Banco do Brasil em Feijó, tinha prisão preventiva decretada em Rio Branco devido ao assalto praticado à agência VT Publicidade em 2004. Fagner Amorim da Silva, que está preso desde segunda-feira (2), na manhã de 28 de outubro participou, em Rio Branco, da audiência em que recebeu progressão de pena para o regime aberto, no cumprimento de sentença por outro crime.

Em setembro, Eurico teve a progressão de regime negada por descumprir os critérios estabelecidos para obter o benefício, além de responder a outros processos. Além da condenação que já possui, ele responde a processos nas 1ª, 3ª e 4ª Varas Criminais de Rio Branco. Na 3ª, onde teve prisão preventiva decretada no final da manhã desta quarta-feira, ele é acusado de, em novembro de 2004, em parceria com Alcidney Ribeiro (funcionário da empresa) haver assaltado a agência VT Publicidades, de onde levaram R$ 40 mil, dos quais apenas R$ 10 mil teriam sido recuperados.

Por várias vezes Eurico foi citado, mas não compareceu às audiências, mesmo estando em regime semi-aberto pelo qual deveria dormir no presídio e fornecer endereço de trabalho. A 3ª Vara chegou a expedir carta precatória para que Eurico fosse intimado da audiência em Xapuri.

Sua prisão preventiva foi decreta pela juíza Maria Rosinete dos Reis Silva.

De acordo com informações da Polícia Civil, além dos crimes que já responde na Justiça, há cerca de 60 dias, Eurico foi preso em flagrante com duas pistolas automáticas e indiciado por porte ilegal de arma. Além de ser proibido o porte de arma, as pistolas, de acordo com a lei, são de uso restrito das Polícia Federal e do Exército.

Planejamento do assalto

Segundo a Polícia Civil, há cerca de duas semanas, Eurico Rocha do Nascimento pediu o carro Gol, quatro portas, azul, emprestado a um conhecido e em troca faria o conserto necessário. Com o veículo consertado, ele e mais dois assaltantes foram para Feijó. No dia 22 de outubro, se dizendo funcionários da empresa Construmil (que trabalha na pavimentação da BR 364), os três assaltantes de hospedaram em um hotel da cidade.

Na sexta-feira (30), Eurico e os outros dois comparsas seguiram pela BR 364 no sentido Manoel Urbano. No trajeto, pararam o veículo e, simulando problemas mecânicos, pediram auxílio a um grupo que passava na caminhonete L 200, de cor prata, pertencente à empresa Construmil. Os três funcionários da empresa foram rendidos, feitos reféns e a caminhonete roubada.

Os assaltantes atearam fogo no Gol e retornaram para Feijó, sendo que no caminho pegaram outros três comparsas e liberaram um dos funcionários da Construmil. Com a caminhonete e armados com metralhadoras, fuzis AR 15 e pistolas, realizaram o assalto à agência do BB de onde levaram cinco funcionários como reféns.

O grupo empreendeu fuga pela BR 364, foi liberando os reféns aos poucos e trocou tiros com a polícia. Depois os assaltantes se separaram, se embrenharam na mata e por duas vezes, Eurico e um comparsa, trocaram tiros com policiais. Na terça-feira, mataram o sargento PM Josimar da Costa Moreira, na balsa de travessia do Rio Purus, onde o policial desapareceu depois de ser alvejado e cair nas águas.

Na segunda troca de tiros, na manhã desta quarta-feira, na mata, Eurico ficou sem munição e foi preso. O comparsa conseguiu fugir. Com ele os policiais apreenderam uma pistola e dois carregadores.

Fontes: NOticiasdahora.com

SENAI forma turma em marchetaria em Cruzeiro do Sul



Foi realizada na tarde desta terça-feira, 03, a formatura de 17 jovens que concluíram o curso na primeira turma de marchetaria oferecido pelo SENAI em Cruzeiro do Sul. Para desenvolver o curso, o SENAI teve a parceria do empresário Maquesson Pereira que tem seu trabalho em marchetaria reconhecido em âmbito nacional e em diversos paises da Europa.


Foi realizada na tarde desta terça-feira, 03, a formatura de 17 jovens que concluíram o curso na primeira turma de marchetaria oferecido pelo SENAI em Cruzeiro do Sul. Para desenvolver o curso, o SENAI teve a parceria do empresário Maquesson Pereira que tem seu trabalho em marchetaria reconhecido em âmbito nacional e em diversos paises da Europa.

Pioneiro na arte de marchetaria em Cruzeiro do Sul, o empresário Maquesson Pereira teve seu trabalho reconhecido pela diversidade artística que sobrepõe as peças que confecciona a partir de decotes de madeiras. A mistura de técnica e arte desenvolvida por Maquesson exaltam, sobretudo, o paisagismo da Amazônia.

No sentido de torna a marchetaria em um ramo econômico que possa garantir a sustentabilidade para famílias de Cruzeiro do Sul, Maquesson Pereira, montou uma empresa e passou a ensinar a técnica para jovens de baixa renda. Atualmente na Marchetaria do Acre, já trabalham mais de 20 funcionários que foram capacitados e estão se tornando profissionais na atividade.

O trabalho de expansão da técnica em marchetaria iniciado por Maquesson ganhou força a partir do curso que foi realizado através do SENAI. A primeira turma começou com 20 alunos, mas, três desistiram e os 17 que se formaram receberam os certificados das mãos do instrutor, Maquesson Pereira, e da diretora geral do SENAI, Solange Chalub.

Os formandos vêem na profissão a oportunidade de ingressar no mercado de trabalho em um segmento que ainda não é tão explorado. “Quando cheguei aqui para começar o curso, não sabia nem o era marchetaria, hoje já estou empregado. Pretendo seguir essa profissão” – disse o jovem James Gomes Cordeiro, de 18 anos de idade, que concluiu o curso.

Para a diretora do SENAI, é preciso difundir a técnica em marchetaria fazendo com que outras pessoas possam desenvolver a arte. Nesse objetivo é que o SENAI está oferecendo o curso em parceria com a Marchetaria do Acre. “Estamos só iniciando a primeira turma. Teremos mais três turmas em 2010, isso porque um dos receios que a gente tem é que esse trabalho que exige técnica e arte, desenvolvido pelo Maquesson, não tenha continuidade, por isso estamos apostando nesses cursos de marchetaria” – afirmou Solange.

“Esse curso vem dentro da nossa filosofia de vida em proporcionar a oportunidade de melhorar a qualidade de vida das pessoas de Cruzeiro do Sul. Com certeza esse é mais um passo que estamos dando para o que considero uma conquista de podermos estar formando pessoas no ramo da marchetaria” – disse Maquesson Pereira.