sexta-feira, 6 de novembro de 2009

Cruzeiro do Sul tenta reduzir número de fumantes no município



Parceria entre a Prefeitura Municipal, o Ministério da Saúde e a Secretaria Estadual de Saúde, deverá reduzir o número de fumantes em Cruzeiro do Sul. Inicialmente dois postos de saúde (na Avenida 25 de Agosto e no Jesuíno Lins) darão total apoio a tabagistas que queiram parar de fumar. Para isso, técnicos da Secretaria Estadual de Saúde e de um laboratório conveniado ao Ministério da Saúde se reúnem com médicos e enfermeiros dias 9, 10 e 11, no auditório do 61º Batalhão de Infantaria de Selva.

Parceria entre a Prefeitura Municipal, o Ministério da Saúde e a Secretaria Estadual de Saúde, deverá reduzir o número de fumantes em Cruzeiro do Sul. Inicialmente dois postos de saúde (na Avenida 25 de Agosto e no Jesuíno Lins) darão total apoio a tabagistas que queiram parar de fumar. Para isso, técnicos da Secretaria Estadual de Saúde e de um laboratório conveniado ao Ministério da Saúde se reúnem com médicos e enfermeiros dias 9, 10 e 11, no auditório do 61º Batalhão de Infantaria de Selva.

A idéia é habilitar essas pessoas para usar nos pacientes o método de medicamentos através de uso de adesivos na pele e goma de mascar. As pessoas que desejarem largar o vício serão distribuídas em grupos e receberão primeiro um apoio psicológico. Depois ganharão medicamentos que contenham nicotina, para que possam trocar o cigarro pelo medicamento à base de goma de mascar e adesivos, com doses cada vez menores de nicotina. Todo o tratamento deverá levar 12 meses e cada grupo será composto por 15 pessoas.

Para a secretária de Saúde Léia de Oliveira o setor público tem a obrigação de explicar à população o quanto o cigarro é nocivo à saúde das pessoas, provocando uma série de doenças como câncer de boca, câncer de pulmão, além das doenças respiratórias e circulatórias. Ela admite que não é fácil para as pessoas deixarem de fumar, por causa de stress e tantas preocupações, mesmo sabendo que o cigarro faz mal à saúde.

Se depender do prefeito Vagner Sales, amante de caminhadas e da prática de esportes, todos os servidores públicos que fazem uso de cigarro, devem ser orientados sobre os benefícios e a melhoria na qualidade de vida que poderão receber, caso façam opção para abandonar o habito de fumar. “Ele tem nos dado total apoio e tem incentivado as pessoas a participarem desse projeto, graças a Deus muitos funcionários já estão se integrando a esse esforço para diminuir o numero de fumantes”.

De acordo com Rosinei Alves Pequeno, responsável pela área de combate ao tabagismo e pela saúde do idoso, programas de hipertensão e diabetes na Secretaria Municipal de Saúde, “cerca de trinta profissionais da área de saúde se inscreveram para fazer o curso”. Além disso, explica ela, “muitos fumantes procuram a Secretaria para pedir ajuda porque querem deixar de fumar, mas não conseguem”.

Assessoria

Deputado aprovou na Câmara debate sobre posição brasileira em Copenhague



A Câmara dos Deputados vai realizar audiência pública para discutir as medidas de redução do desmatamento e distribuição de benefícios para os estados da região Amazônica que constarão na proposta do Brasil para Convenção das Nações Unidas sobre Mudança do Clima (COP 15) em Copenhague, na Dinamarca, em dezembro, conforme proposto pelo deputado Henrique Afonso (PV-AC). A audiência está prevista para 18 de novembro, logo após o Governo Federal definir suas propostas a serem apresentadas na Conferência da ONU.

Edicarlos Costa

A Câmara dos Deputados vai realizar audiência pública para discutir as medidas de redução do desmatamento e distribuição de benefícios para os estados da região Amazônica que constarão na proposta do Brasil para Convenção das Nações Unidas sobre Mudança do Clima (COP 15) em Copenhague, na Dinamarca, em dezembro, conforme proposto pelo deputado Henrique Afonso (PV-AC). A audiência está prevista para 18 de novembro, logo após o Governo Federal definir suas propostas a serem apresentadas na Conferência da ONU.

Segundo o deputado, a importância deste debate a ser promovido pela Comissão da Amazônia é que o desmatamento na região responde por mais de 50% das emissões de poluentes do Brasil, o quarto maior emissor mundial de gases de efeito estufa e o governo brasileiro está definindo algumas propostas que deverão ser levadas pelo país à Copenhague, dentre as quais a meta de redução de 80% do desmatamento da Amazônia até 2020, proposta que ainda não é consensual internamente.

Para Henrique Afonso, assim como para setores sociais e para o próprio Governo, há uma expectativa nacional e internacional que o Brasil lidere proposições e debates na Conferência. "É muito importante para nossos estados da Amazônia a definição de medidas de redução do desmatamento, mas ao mesmo tempo o Governo e o Congresso precisam definir medidas compensatórias para os estados que mais preservam, a exemplo do FPE Verde que está pronto para ser votado pelo Plenário da Câmara desde abril de 2006.

Serão convidados para participar do debate a Senadora Marina Silva (PV-AC) e representantes dos ministérios do Meio Ambiente; das Relações Exteriores; da Ciência e Tecnologia; e do Conselho Empresarial Brasileiro para o Desenvolvimento Sustentável (CEBDS), que reúne em torno de 50 grandes empresas que atuam com capital financeiro, energia, transporte, siderurgia, metalurgia, construção civil, bens de consumo em geral e prestação de serviços, e que fizeram um documento proposta para o Governo.