quinta-feira, 12 de novembro de 2009

Ilderlei quer Força Nacional para combater o tráfico no Juruá



A Comissão da Amazônia aprovou, ontem, o envio de indicação ao Ministério da Justiça solicitando a atuação da Força Nacional na faixa de fronteira do Vale do Juruá. A solicitação foi feita pelo deputado Ilderlei Cordeiro (PPS-AC) com a finalidade de identificar e prender grupos de traficantes de drogas e armas, que estariam agindo nos municípios de Cruzeiro do Sul, Mâncio Lima, Rodrigues Alves, Marechal Thaumaturgo e Porto Válter, aproveitando as fragilidades locais.

Brasília - A Comissão da Amazônia aprovou, ontem, o envio de indicação ao Ministério da Justiça solicitando a atuação da Força Nacional na faixa de fronteira do Vale do Juruá. A solicitação foi feita pelo deputado Ilderlei Cordeiro (PPS-AC) com a finalidade de identificar e prender grupos de traficantes de drogas e armas, que estariam agindo nos municípios de Cruzeiro do Sul, Mâncio Lima, Rodrigues Alves, Marechal Thaumaturgo e Porto Válter, aproveitando as fragilidades locais.

Segundo justificativa apresentada pelo parlamentar cruzeirense, é evidente na região do Juruá o número de ocorrências de apreensões de drogas e armas, o que fragiliza diretamente os moradores. Diante das ocorrências, muitas vezes sem resultados práticos, os habitantes desses municípios estão preocupados com a visível transformação das cidades e comunidades em áreas de trânsito e promoção do uso de drogas por quadrilhas que viciam e empregam no crime os jovens e cidadãos.

O deputado Ilderlei Cordeiro estima que uma ação de peso a partir da Força Nacional deverá identificar e desbaratar grupos formados ou em formação que estejam praticando crimes e aterrorizando as famílias que vivem honestamente há muito anos nos locais distantes e até mesmo nos bairros periféricos dos municípios do Juruá.
“Eu não vejo motivos para que a Força Nacional não seja deslocada ao Estado. A fronteira do Acre com a Bolívia e o Peru se transformou num corredor internacional de tráfico drogas. Por isso, pedi a ajuda dos governos federal e estadual para acabar de vez com o narcotráfico na região” – esclareceu Ilderlei.

Prefeitura socorre Santa Casa da Misericórdia



Entendimentos entre o prefeito Vagner Sales e a direção da instituição, tornará possível uma parceria para a revitalização da Santa Casa de Cruzeiro do Sul. A precariedade do funcionamento do hospital não é novidade para ninguém. Fileiras de formigas nas paredes dos quartos, problemas de pintura e de infra-estrutura, a falta de medicamentos e a aparência de abandono são algumas das histórias que a população tem para contar. Mas a sociedade se une para que ela não siga o exemplo da Santa Casa de Rio Branco, que fechou as portas.


Entendimentos entre o prefeito Vagner Sales e a direção da instituição, tornará possível uma parceria para a revitalização da Santa Casa de Cruzeiro do Sul. A precariedade do funcionamento do hospital não é novidade para ninguém. Fileiras de formigas nas paredes dos quartos, problemas de pintura e de infra-estrutura, a falta de medicamentos e a aparência de abandono são algumas das histórias que a população tem para contar. Mas a sociedade se une para que ela não siga o exemplo da Santa Casa de Rio Branco, que fechou as portas.

O péssimo estado de conservação da Santa Casa, fundada há 85 anos pela maçonaria de Cruzeiro do Sul, preocupava o prefeito Vagner Sales. “Todos os cruzeirenses já precisaram dela e hoje ela está precisando de ajuda. Como prefeito, eu não poderia ver a Santa Casa numa situação dessa e ficar de braço cruzado. Estamos nos informando para ver o que a prefeitura pode fazer para recuperá-la e torná-la uma casa de saúde à serviço do povo de Cruzeiro do Sul”, comenta.

Para o administrador José Rosmir Rodrigues Martins, essa parceria é muito importante para ajudar a instituição fundada no dia 28 de setembro (aniversário da cidade) de 1924. “A Santa Casa, desde a sua fundação, trabalha com as parcelas mais carentes da população”, afirmou. Segundo ele, “as instalações físicas devem ser recuperadas pela prefeitura, e isso só incentiva ainda mais a instituição a continuar lutando pelas pessoas mais carentes”.

O prefeito disse que os recursos da prefeitura são muito escassos, mas quando são tratados com honestidade, se multiplicam. “Com a força de Deus é possível a gente melhorar esse atendimento à população através da Santa Casa de Misericórdia”, garante. O convênio com a prefeitura vai recuperar o centro cirúrgico, interditado há seis meses pela Anvisa (Agencia Nacional de Vigilância Sanitária), e a cobertura de dois pavilhões. Essa situação não ocorre somente com a Santa Casa de Misericórdia de Cruzeiro do Sul. De acordo com Rosmir, o governo federal não tem ajudado essas instituições, e elas estão quebrando em todo o país. A Santa Casa de Rio Branco acabou. Foi a leilão, e não apareceu ninguém para comprar. Em Cruzeiro do Sul, a instituição vive de um convênio mensal de R$ 71 mil, que recebe do SUS. O valor seria insuficiente para cobrir todas as despesas.

Assessoria

Gladson aponta educação e saúde para os recursos do pré-sal



O deputado Gladson Cameli (PP) defendeu em Brasília a priorização das áreas de educação e saúde na alocação dos royalties do pré-sal. O Governo Federal anunciou esta quarta-feira, 11, o acordo que estabelece o regime de partilha na exploração do petróleo desta camada submarina.

O deputado Gladson Cameli (PP) defendeu em Brasília a priorização das áreas de educação e saúde na alocação dos royalties do pré-sal. O Governo Federal anunciou esta quarta-feira, 11, o acordo que estabelece o regime de partilha na exploração do petróleo desta camada submarina. Para o deputado, os recursos do pré-sal poderão servir de alavanca segura para a retomada definitiva do desenvolvimento, desde que utilizados de forma estratégica e obedecendo a uma política de longo prazo. ”O Brasil precisa investir em suas áreas fundamentais e mais sensíveis, como é o caso da educação e saúde”,disse.

De acordo com os novos percentuais, contidos no projeto de lei n°5938/09, 25% da renda ficam para os estados produtores (SP/ RJ/ES), 22% para a União, 22% para estados não-produtores (dentre eles o Acre) e 22% para municípios não produtores, seguindo os critérios do Fundo de Participação dos Municípios (FPM). Municípios produtores ficarão com 6%, enquanto 3% dos royalties vão para municípios que possuírem instalação de petróleo. Segundo o deputado, os royalties canalizados para educação e saúde devem ter seus percentuais vinculados por lei, para assegurar o fluxo contínuo e garantir novos programas para as duas áreas. Para o parlamentar acreano, o importante é ter garantido os recursos para uma aplicação segura e a longo prazo.

Gladson enfatizou ainda que tanto União, quanto estados e municípios devem realizar este esforço conjunto para suprir uma deficiência crônica que o Brasil apresenta nestas duas áreas. Para ele,deve ser feito algo parecido com o que foi feito para os impactos de exploração do meio ambiente,que deverão ficar com 3% do total dos royalties reservados á União.O Brasil ,fixou o deputado,precisa investir maciçamente nestas áreas .”São obstáculos que precisam urgentemente serem ultrapassados para que o país chegue a um grau respeitável de desenvolvimento econômico e social”.

O parlamentar ressaltou também que o Acre precisa retomar a prospecção de petróleo, sobretudo no vale do Juruá, onde a Petrobrás, em décadas recentes, já obteve resultados promissores. ”O Acre possui reservas de gás consideráveis e seu sub-solo ,muito provavelmente,possui reservas petrolíferas que podem contribuir para a produção nacional”,assegurou. Integrante da Comissão do Pré-sal na Câmara dos Deputados, Gladson finalizou ressaltando que o projeto n°5938/09, que deverá ir a plenário ainda este mês, é considerado a espinha dorsal do marco legal para a exploração do pré-sal.

Versão indígena do Hino Acreano abre Assembleia Aberta em Marechal Thaumaturgo



Acompanhado por violão, bumbo e chocalho, o Hino Acreano em versão ashaninka abriu a sessão da Assembléia Aberta em Marechal Thaumaturgo na tarde desta quarta-feira, 11, no Centro Cultural do Município.

Acompanhado por violão, bumbo e chocalho, o Hino Acreano em versão ashaninka abriu a sessão da Assembléia Aberta em Marechal Thaumaturgo na tarde desta quarta-feira, 11, no Centro Cultural do Município.

Para chegar até aqui, os 16 deputados viajaram uma hora de Boeing de Rio Branco a Cruzeiro do Sul, mais 40 minutos de bimotor até o Aeroporto Municipal de Thaumaturgo, caminharam com suas bagagens por uma pequena estrada pavimentada com cimento e atravessaram o rio de catraia.

Depois de escalar mais de 72 degraus de uma escada de madeira para atingir o alto do barranco, a viagem ainda não tinha terminado. O translado até o Centro Cultural foi feito nas carrocerias de duas picapes Saveiro anos 80 que precisam acelerar ladeiras abaixo para concluir a subida. Duas ladeiras depois ouviriam o Hino Acreano.

Aboletados nas caçambas, vieram os deputados Edvaldo Magalhães (PCdoB), presidente da Aleac, o vice-presidente Helder Paiva (PR), vice-presidente; o primeiro-secretário, Taumaturgo Lima (PT), o segundo-secretário, Elson Santiago (PP), o líder do Governo, Moisés Diniz (PCdoB), o líder do PT, Ney Amorim, Walter Prado e Luis Tchê (PDT), Delorgem Campos (PSB), Chico Viga e Perpétua de Sá (PT), Idalina Onofre (PPS), Antonia Sales (PMDB), Luis Gonzaga (PSDB), Luiz Calixto e Josemir Anute (PSL).

Como nas edições anteriores, os deputados são acompanhados por representantes do Banco da Amazônia, Banco do Brasil, Caixa Econômica Federal e do Sebrae. Também estão participando do evento representantes de Tipisca/Breu e do Governo do Departamento de Ucayalli, no Peru.

Pela manhã, comerciantes, empresários e produtores rurais se reuniram com representantes do Sebrae para levarem suas demandas e conhecerem as perspectivas. À tarde começa uma segunda rodada de trabalhos nas áreas de infraestrutura, produção e inclusão social. O prefeito Randson Oliveira, disse que além de todos os problemas nestas áreas, os moradores estão preocupados com a questão da regularização fundiária, já que as terras da zona urbana do Município são todas do Estado. "Sem a regularização eles não têm acesso a créditos para investimentos", afirmou.

O deputado Edvaldo Magalhães explicou que este é o propósito do programa Assembleia Aberta. "A meta é se aproximar dos moradores e conhecer seus problemas, pois assim nós assumimos a sua bandeira e a transformamos em plataforma de luta da Assembleia. O mais importante é que aqui a Assembleia está unificada, não tem oposição e situação", declarou.

Prefeitura começa a recolher animais das ruas



Vagner Sales, prefeito de Cruzeiro do Sul, entregou para população na manhã dessa quarta-feira o Centro de Zoonoses que, a partir dessa sexta-feira, começa a recolher os cães que forem encontrados vagando pelas ruas. Segundo Vagner, “foi necessário investir mais de R$ 200 mil para colocar a unidade de controle de animais para em funcionamento, mas ainda é preciso investir mais”. Inaugurado, às pressas às vésperas das eleições do ano passado pela gestão anterior, o Centro de Zoonoses precisava de uma série de equipamentos e dependia de uma licença do IMAC (Instituto do Meio Ambiente do Acre).

Vagner Sales, prefeito de Cruzeiro do Sul, entregou para população na manhã dessa quarta-feira o Centro de Zoonoses que, a partir dessa sexta-feira, começa a recolher os cães que forem encontrados vagando pelas ruas. Segundo Vagner, “foi necessário investir mais de R$ 200 mil para colocar a unidade de controle de animais para em funcionamento, mas ainda é preciso investir mais”. Inaugurado, às pressas às vésperas das eleições do ano passado pela gestão anterior, o Centro de Zoonoses precisava de uma série de equipamentos e dependia de uma licença do IMAC (Instituto do Meio Ambiente do Acre).

Acompanhado do vice-prefeito, Mazinho Santiago, do presidente da Câmara Municipal de Vereadores, Gilvan Freitas, entre outras autoridades, o Vagner Sales admitiu que é grande o número de acidentes provocados por cachorros que atacam motos e bicicletas. “A nossa parte estamos fazendo, que é tirar os animais das ruas. Acredito que com essa ação diminuiremos o numero de acidentes”, disse o prefeito.

O prefeito lembrou que essa era uma solicitação antiga da população, que a prefeitura retirasse os cachorros da rua. “Hoje estamos entregando esse serviço à população, autorizando a captura de cães, gatos e bois. De início faremos uma campanha para mostrar para as pessoas que elas têm que guardar seus cães em casa. Para mim é uma satisfação muito grande, porque tenho certeza que isso é um grande anseio da população”, garante.

O coordenador do Centro, Arison Rosas, informa que a captura sistemática começa a partir dessa sexta-feira, das 2:00 as 18:00 horas. Ele conta que no período da tarde ficarão três agentes de plantão, para fazer a captura solicitada.

“Conforme a legislação, os animais apreendidos serão atendidos pelo médico veterinário e após avaliação, os que forem de raça e tiverem em bom estado de saúde, serão separados para adoção. Os demais, que apresentarem algum tipo de doença ou debilitação, terão um prazo de 72 horas para que sejam resgatados. Após esse período, se o dono do animal não fizer o resgate, serão sacrificados, de segunda a sexta-feira, pelo período da manhã”, explica Arison.
A bióloga Elmaria Rabelo explicou que o Centro tem um plano de gerenciamento de resíduos. “Quando houver eutanásia (sacrifício) os animais abatidos serão embalados corretamente e depois enterrados”, declara.

CAIXA ECONOMICA INVESTE EM MARECHAL THAUMATURGO



Marechal Thaumaturgo é o municipio mais isolado do Alto Juruá, com aproximadamente 13 mil habitantes. E na manhã desta quarta-feira começou a receber vôos vindos de Cruzeiro do Sul com a comitiva de Deputados Estaduais e seus assessores para a realização da 3ª Etapa da Assembléia Aberta, que iniciou as 15 horas no Centro Cultural de Florestania.

Jaqueline Teles


Marechal Thaumaturgo é o municipio mais isolado do Alto Juruá, com aproximadamente 13 mil habitantes. E na manhã desta quarta-feira começou a receber vôos vindos de Cruzeiro do Sul com a comitiva de Deputados Estaduais e seus assessores para a realização da 3ª Etapa da Assembléia Aberta, que iniciou as 15 horas no Centro Cultural de Florestania.

Mas ainda pela manhã, por volta das 11 horas, na sala de reuniões da Câmara de Vereadores os Deputados Estaduais do Vale do Juruá, o Coordenador de Políticas Públicas do Sebrae - Acre, os Superintendentes do Banco da Amazônia e da Caixa Econômica Federal, se reuniram com o Prefeito Randson Almeida (PMDB), os vereadores da cidade, líderes comunitários e empresários locais, para discutirem as Atividades
Econômicas do Municipio.

O Superintendente da Caixa Econômica Federal no Acre, Aurélio Cruz, expôs aos presentes os investimentos da Caixa no municipio, e apresentou a planta do prédio da instituição, que está sendo construido na cidade. "O investimento da Caixa neste municipio é tão grande, que só de Bolsa Família pagamos mais de 500 mil reais por mês, a partir da próxima semana estaremos instalando um Caixa Eletrônico, e em fevereiro de 2010 iremos inaugurar a primeira agência bancária do municipio, que é a Agência da Caixa, que vai gerar centenas de empregos diretos e indiretos", esclareceu Aurélio.

Já Marivaldo Melo, Superintendente do Banco da Amazônia no Acre, falou dos trabalhos do Banco na zona rural. "Foram mais de 50 financiamentos só para a agricultura Familiar, além dos financaimentos de obras urbanas. Então eu posso dizer que o desenvolvimentos de Marechal Thaumaturgo está ligada aos investimentos do Banco da Amazonia e nós estamos de portas abertas para receber qualquer trabalhador, seja do campo ou da cidade".

A platéia que ouviu em silêncio as falações, questionou dos deputados a regularização fundiária de Marechal, que ja há 17 anos luta para que suas terras que ainda pertencem ao estado, passem definitivamente ao município. Segundo o Prefeito Randson Almeida, ja foi por várias vezes à Procuradoria Geral do Estado, mas ainda nao obteve nehuma resposta satisfatória. "Encaminhei toda documentação que me pediram, paguei mais de 15 mil reais para que fizessem uma Topografia Georeferênciada do município, mas até agora nao me responderam nada", questionou Randson