terça-feira, 5 de janeiro de 2010

Polícia prende traficante que empregava menor na venda cocaína



Durante uma ronda de rotina, na noite desta segunda-feira, 04, uma patrulha da Polícia Militar apreendeu um garoto, de apenas 13 anos de idade, que comercializava trouxinhas de cocaína no Bairro Artur Maia, em Cruzeiro do Sul. Ao ser abordado pelos policiais, o adolescente confessou que teria sido contratado por Adaílson Souza Mesquita, 29, para vender a droga. O acusado foi preso em seguida pelos policias militares.


Mazinho Rogerio

Durante uma ronda de rotina, na noite desta segunda-feira, 04, uma patrulha da Polícia Militar apreendeu um garoto, de apenas 13 anos de idade, que comercializava trouxinhas de cocaína no Bairro Artur Maia, em Cruzeiro do Sul. Ao ser abordado pelos policiais, o adolescente confessou que teria sido contratado por Adaílson Souza Mesquita, 29, para vender a droga. O acusado foi preso em seguida pelos policias militares.

O garoto de 13 anos caminhava por um local de risco por volta das 22h e no momento que foi abordado com 11 trouxinhas de cocaína revelou o nome do proprietário da droga. Com base nas informações do adolescente, os policiais fizeram uma vistoria na casa de Adaílson e apreenderam mais duas trouxinhas de droga, cheques que somavam um valor de R$ 260,00, um aparelho celular e mais R$ 355,00 em espécie.

De acordo com o delegado Vinicius de Almeida, responsável pela Delegacia de Flagrantes, os cheques e o dinheiro seriam frutos da venda de cocaína. “Vamos ouvir o adolescente e o rapaz acusado e se for confirmado o que apuramos até agora, o menor será encaminhado ao Ministério Público e o maior para o presídio” – afirmou.




O acusado negou envolvimento com o tráfico e tentou justificar a origem do dinheiro e dos cheques. “Sou usuário de droga e nem conheço esse menino. Vendi um aparelho de som e recebi como pagamento o dinheiro e os cheques” – argumentou.





A mãe do garoto compareceu à Delegacia na manhã desta terça-feira e afirmou que não suspeitava que o filho estivesse envolvido com traficantes. Ela prefere não ser identificada para na expor o filho e afirmou que não conhecia Adaílson.

“Sou uma empregada doméstica e trabalho todos os dias para sustentar meus sete filhos. Alguns já estão se formando na faculdade e nunca passei por um constrangimento com esse. Isso é uma prova que não conhecemos direito nem as pessoas que convivem com a gente. Jamais suspeitei que meu filho pudesse está envolvido com esse tipo de coisa. Quero pedir aos pais que tenham mais atenção com seus filhos para que não passem pelo que estou passando agora” – alertou a mãe.

Nenhum comentário: