segunda-feira, 15 de fevereiro de 2010

Diretor técnico do Deas demite sumariamente funcionário em Cruzeiro do Sul



O funcionário Francisco Nery de Jesus e Silva, do Grupo de Trabalho (GT) do Departamento Estadual de Água e Saneamento (Deas), lotado na Agência de Cruzeiro do Sul, foi demitido sumariamente na manhã desta sexta-feira (12) pelo diretor técnico do órgão, Ricardo Selva Verde, porque a instalação de água de um consumidor feita pelo mesmo não ficou de acordo com o que entendia o diretor.


Funcionários protestam contra a demissão do colega e ameaçam paralisar serviços

O funcionário Francisco Nery de Jesus e Silva, do Grupo de Trabalho (GT) do Departamento Estadual de Água e Saneamento (Deas), lotado na Agência de Cruzeiro do Sul, foi demitido sumariamente na manhã desta sexta-feira (12) pelo diretor técnico do órgão, Ricardo Selva Verde, porque a instalação de água de um consumidor feita pelo mesmo não ficou de acordo com o que entendia o diretor.

A demissão aconteceu quando o diretor - que está na direção do órgão há apenas um ano – e fazia um trabalho de campo, acompanhado do gerente local do Deas e de mais um assessor e verificou que a ligação feita pelo funcionário não estava dentro dos padrões técnicos do entendimento do diretor, apesar de não haver uma padronização técnica dos serviços especificada para os funcionários. Além disso, o diretor alegou que determinou ao funcionário para colocar um registro antes do cavalete (padrão) e o mesmo não fez.

Mas, o funcionário alega que o diretor não fez o pedido para ele refazer o serviço, dizendo apenas que estava errado, saindo do local. Em seguida voltou e constatou que sua ordem não tinha sido cumprida e retaliou contra o funcionário. Francisco Nery se defende dizendo que apesar de não ter recebido a ordem e também no momento não tinha o registro para realizar o pedido do diretor, pois o registro que tinha no local era propriedade do usuário e já estava instalado.

O funcionário demitido trabalha na empresa há mais 20 anos na empresa e não tem nenhuma restrição em sua ficha funcional e nem problemas com os colegas. A demissão causou revolta nos demais colegas que suspenderam por uma tarde o serviço de abastecimento de água da cidade. Apenas 30 % dos funcionários não paralisaram suas atividades para garantir o que preceitua a legislação.

O delegado sindical dos Urbanitários, Antonio Pereira Mesquita, ao tomar co nhecimento dos fatos, teve uma reunião com o diretor técnico e a gerência local para saber a razão da demissão e a possibilidade de haver um entendimento da situação por parte do diretor. Não havendo flexibilização da demissão, o caso foi comunicado a direção do sindicato, em Rio Branco, que entrou em contato com a diretoria do DEAS que se comprometeu vir à Cruzeiro do Sul na próxima semana, para discutir a situação do GT. A principal reivindicação dos funcionários é a reintegração do colega. Caso não aconteça já deliberaram pela paralisação dos serviços, estando no risco de também serem demitidos.

O Sindicato dos Urbanitários não concorda com a atitude do diretor que tratou de forma arbitrária um funcionário que já tem mais de 20 anos de bons serviços prestados à empresa e aguarda a visita do presidente do Deas para encontrar a melhor solução para o problema, ressaltando que o funcionário não pode ficar prejudicado.

O sindicato lamenta a decisão do diretor que gerou um sentimento de revolta dos colegas que também se sentem ameaçados e agradece a disposição do diretor presidente do Deas, Petrônio que assumiu um compromisso de vir à Cruzeiro do Sul na próxima semana para discutir o problema com o sindicato e os trabalhadores.
O diretor técnico do Deas foi procurado, mas já havia viajado para Rio Branco e seu celular não atendeu.

Um comentário:

Anônimo disse...

Absurdo o cara tá ai apenas 01 ano com moral para demitir um funcionario de 20 anos, cadê o Poder Público, cadê a sociedade organizada para colocar esse cara de volta para seu estado...