domingo, 4 de abril de 2010

Acre ganha voo internacional para o Peru


O dia primeiro de abril será guardado na história do turismo acreano como o dia em que um grande e antigo sonho se tornou realidade. Nesta quinta-feira, pela primeira vez, pousou em solo acreano a aeronave da empresa peruana Star Perú, que faz, a partir de agora, a conexão aérea entre o Acre, Cusco e Lima.

Escrito por Tatiana Campos

Autoridades acreanas prestigiam voo inaugural neste feriado prolongado

O dia primeiro de abril será guardado na história do turismo acreano como o dia em que um grande e antigo sonho se tornou realidade. Nesta quinta-feira, pela primeira vez, pousou em solo acreano a aeronave da empresa peruana Star Perú, que faz, a partir de agora, a conexão aérea entre o Acre, Cusco e Lima.

A aeronave foi "batizada" com um jato de água por um caminhão do Corpo de Bombeiro assim que pousou no aeroporto de Rio Branco, que teve o alfandegamento precário concedido para que a operação pudesse acontecer.

Foram necessárias dezenas de reuniões entre representantes do Governo do Estado (através da Secretaria de Turismo, Esporte e Lazer - Setul), o trade turístico acreano e a empresa aérea interessada em operar a rota, a Star Perú até que o voo pudesse ser realizado. O esforço da Assembleia Legislativa e do Governo do Estado, com o apoio do Ministério das Relações Internacionais, para promover as condições necessárias para a operação do voo internacional junto a órgãos federais como a Infraero, Receita Federal, Ministério da Agricultura e Pecuária foi determinante. Muitas dificuldades precisaram ser superadas, num grande esforço conjunto, para que o voo internacional entre os dois países de fato acontecesse.

Para o vice-governador Céssar Messias, a conexão aérea entre os dois países realiza um velho sonho dos acreanos e vai proporcionar, além do crescimento do turismo, o desenvolvimento das relações comerciais entre os dois países. "O dia 1 de abril passa a ser agora, para o Acre, o dia de uma grande verdade, um dia que ficará marcado para o turismo e para a integração entre os dois países. E não temos apenas os turistas acreanos para frequentar este voo: entre o Acre, Amazonas e Rondônia temos cinco milhões de pessoas, que passarão pelo estado ou partirão daqui para chegar ao Peru".

O presidente Regional de Cusco, cargo que equivale ao de governador no Brasil, Hugo Gonzalez, veio a Rio Branco no voo inaugural. "Hoje Cusco está em festa. Primeiro porque reabrimos Machu Picchu, fechada há mais de dois meses por conta das fortes chuvas que destruíram o acesso, e porque, iniciamos hoje, esta conexão aérea entre o Brasil, através do Acre, e o Peru. Não estamos mais de costas um para o outro e temos muito orgulho e estreitar os laços com uma nação que é a décima economia mundial".

O voo inaugural trouxe a Rio Branco autoridades e jornalistas peruanos e levou ao Perú jornalistas e muitos turistas acreanos. A conexão aérea soma-se à ligação terrestre - feita através da Estrada do Pacífico e operada pela Movil Star com saídas diárias, e promove o turismo entre os dois países de forma cada vez mais intensa e confortável.

"O voo é a consolidação do Acre enquanto destino turístico. Agora o Acre passa a ser escala área, destino e ponto de partida na Rota Internacional Amazônia Andes Pacífico, atraindo para o Estado turistas que já frequentam o Peru", disse o secretário de Turismo, Esporte e Lazer, Cassiano Marques, um dos grandes articulares para que o voo acontecesse.

Para o presidente da Associação Brasileira das Agências de Viagem no Acre (Abav), José Raimundo Moraes, a conexão aérea é essencial para o desenvolvimento do turismo e consolidação da Rota Internacional Amazônia Andes Pacífico. Os turistas podem comprar as passagens através das agências.

Voo internacional Rio Branco/Cusco/Lima

Rio Branco/Cusco - 1h10m de voo
Cusco/Lima - 55m
Empresa: Star Perú

Cuidados ao embarcar

As regras de embarque para voos internacionais são diferenciadas e alguns cuidados precisam ser observados para evitar transtornos na hora do embarque ou desembarque. Segundo o chefe da Vigilância Sanitária Internacional do Ministério da Agricultura e Pecuária (MAPA), Augusto Jorge Simões e Silva, não é possível trazer na bagagem nenhum tipo de produto de origem animal ou vegetal. Ou seja, nada de enlatados como atum, sardinhas ou outro tipo de pescado, ou queijos, por exemplo.

"São regras para os voos internacionais preconizadas entre os países. Esses cuidados são necessários para evitar o risco de entrada de pragas e outras enfermidades que não existem no Brasil", explica Augusto.

Outro cuidado a ser observado é quanto a bagagem de mão. Nada de levar perfumes ou cosméticos - shampoos, condicionadores, produtos para o rosto ou corpo - que contenham mais de 100 ml. Desodorantes em aerosol também não são permitidos, assim como objetos cortantes - alicates, tesouras.



Nenhum comentário: