terça-feira, 27 de abril de 2010

Banco da Amazônia oferece desconto de 60 e 70% para produtor rural quitar dívida


Os produtores rurais que fizeram financiamentos de 2004 aos anos anteriores junto ao Banco da Amazônia e não tiveram condições de efetuar o pagamento, agora terão condições de sair da inadimplência. Através de uma Lei do Governo Federal, o Banco está oferecendo descontos de 60 e 70% para que os produtores possam quitar os débitos. Na manhã desta terça-feira, (27), representantes da Secretaria de Extensão Agroflorestal e Produção Familiar – SEAPROF - e diretores do Banco da Amazônia, reuniram-se no Sindicato dos Trabalhadores Turais para esclarecer os produtores sobre as formas de negociação.


Os produtores rurais que fizeram financiamentos de 2004 aos anos anteriores junto ao Banco da Amazônia e não tiveram condições de efetuar o pagamento, agora terão condições de sair da inadimplência. Através de uma Lei do Governo Federal, o Banco está oferecendo descontos de 60 e 70% para que os produtores possam quitar os débitos. Na manhã desta terça-feira, (27), representantes da Secretaria de Extensão Agroflorestal e Produção Familiar – SEAPROF - e diretores do Banco da Amazônia, reuniram-se no Sindicato dos Trabalhadores Turais para esclarecer os produtores sobre as formas de negociação.

Os produtores que podem fazer a negociação são os que fizeram financiamento no PRODEX e no PRORURAL de 1996 a fevereiro de 2004. O presidente Lula, através do decreto 7.137 do dia 29 de março de 2010, deu a possibilidade dos produtores rurais de quitarem suas dividas com desconto. Aproximadamente 1.600 produtores em Cruzeiro do Sul estão inadimplentes.

Segundo o vice- presidente do Sindicato dos Trabalhadores Rurais, José Nogueira, essa reunião foi de grande importância para os trabalhadores rurais. “Essa reunião é de grande importância para os trabalhadores rurais. Uma das nossas agendas para abril era exatamente visitar as comunidades para fazer um levantamento das inadimplências que nós tivemos no passado.”
O Superintendente do BASA, Marivaldo Melo, afirmou que o pagamento a principio deve ser a vista.

“O pagamento é a vista, mas nós estamos fazendo a renegociação. Mas com esses descontos de 60% para o PRODEX e 70% para o PRORURAL ficará mais fácil de esses produtores que estão inadimplentes com o banco quitarem suas dividas”.
O representante da vila São Pedro, Adalgísio Vieira, com o desconto agora tem a esperança de quitar sua divida com o banco e de poder fazer um novo financiamento. “Com esse desconto eu sei que a maioria dos produtores rurais vão pagar as suas dividas. Só não vai pagar quem não quer mesmo. Se Deus quiser eu vou pagar a minha”.

De acordo com o gerente da SEAPROF, Valdemir Neto, a SEAPROF que discute com as comunidades rurais as negociações com o BASA. “Nessa situação das inadimplências, nós como assistência técnica vamos está junto com o Banco da Amazônia no desenvolvimento social, fazendo o trabalho de discussão com as comunidades rurais para que os produtores possam compreender o que está acontecendo e possa chegar até o Banco com a segurança que está fazendo um bom negocio” – disse Valdemir.

Os produtores rurais têm até dezembro deste ano para quitar suas dividas com o BASA e poderem está adimplentes podendo assim fazer novos financiamentos.

Kattiúcia Silveira


Nenhum comentário: