sexta-feira, 23 de abril de 2010

Binho Marques prestigia III Fórum dos Povos Indígenas do Acre e assina convênios com as aldeias



O III Fórum dos Povos Indígenas do Acre reuniu cerca de 100 lideranças de 15 povos indígenas representantes de todas as aldeias do estado. O evento teve início no dia do índio, 19 e abril, e se encerrou nesta quinta-feira (22). Durante os quatro dias, foram realizados debates sobre as políticas públicas voltadas para as aldeias em todos os setores, com ênfase na educação, saúde, produção e cultura.


O III Fórum dos Povos Indígenas do Acre reuniu cerca de 100 lideranças de 15 povos indígenas representantes de todas as aldeias do estado. O evento teve início no dia do índio, 19 e abril, e se encerrou nesta quinta-feira (22). Durante os quatro dias, foram realizados debates sobre as políticas públicas voltadas para as aldeias em todos os setores, com ênfase na educação, saúde, produção e cultura. O encontro contou com a participação de 10 secretários de estado que participaram dos debates e do governador Binho Marques que esteve presente no encerramento e assinou convênios que somam quase três milhões de reais para investimentos nas aldeias.

Na tarde desta quinta-feira, o governador desembarcou no Aeroporto de Cruzeiro do Sul e seguiu direto para a comunidade Poyanawa para firmar vários convênios e acordos com os povos indígenas. O Governo do Estado liberou um total de R$ 2.996,997 que serão investidos em saúde, educação, cultura, esporte e produção agrícola nas aldeias. Os recursos serão aplicados em projetos que contemplam todas as comunidades do estado.


Para os povos indígenas, os investimentos representam a atenção do governo com as diversas etnias e, segundo o líder da comunidade Poyanawa, Joel Ferreira Lima, são resultados de um forte movimento de luta travado pelas organizações indígenas. “Realmente isso é fruto da luta travada pelas lideranças no passado. Tivemos uma luta de resistência que hoje nos dá essa conquista que marca a consideração dessa nova geração de gestores do estado em contemplar cada comunidade” – disse.

Para tornar o movimento indígena ainda mais sólido, durante o encontro realizado em Mâncio Lima, as lideranças deliberaram que o Fórum dos Povos Indígenas será uma entidade permanente. O governador garantiu que o estado vai instituir o Fórum por lei para garantir que os indígenas estejam cada vez mais organizados para os debates.

“Esse Fórum está desenhando uma nova forma de organização dos povos. Está se concretizando como fórum permanente. Nós temos feito, desde 2007 pra cá, fóruns mais demorados e nesse tivemos um debate intenso das aldeias, dos povos, sobre seus projetos, sobre a construção da política indígena. Acaba sendo um mecanismo de relacionamento dos povos indígenas com os governos para a construção das políticas públicas” – afirmou Binho.

Nenhum comentário: