quarta-feira, 7 de abril de 2010

Gladson defende aprovação do projeto Ficha Suja


O deputado Gladson Cameli decidiu redobrar o esforço de articulação e mobilização para levar o projeto Ficha Suja (PLP 518/09 e outros) em plenário para votação. A decisão se deu em virtude da notícia, dada ontem na Câmara dos Deputados, que os líderes partidários decidiram adiar a votação do matéria para a primeira semana de maio.


O deputado Gladson Cameli decidiu redobrar o esforço de articulação e mobilização para levar o projeto Ficha Suja (PLP 518/09 e outros) em plenário para votação. A decisão se deu em virtude da notícia, dada ontem na Câmara dos Deputados, que os líderes partidários decidiram adiar a votação do matéria para a primeira semana de maio.”É preciso muita determinação política para que o projeto chegue a votação.É fundamental dar uma resposta à população”, disse o deputado.O projeto de iniciativa popular, com mais de 1,6 milhão de assinaturas, impede a candidatura de políticos com ficha suja na Justiça.

De acordo com o deputado, a proposta contida no projeto Ficha Suja foi encaminhada nesta terça-feira (2), para a Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Câmara dos Deputados para eventuais mudanças no texto do relator. A CCJ terá até o dia 29 deste mês para aprovar um parecer sobre as propostas. Caso não sejam aprovadas neste período, as propostas serão analisadas diretamente pelo Plenário em regime de urgência. Apresentado pelo DEM nesta terça-feira, o pedido de urgência terá o apoio do PT e PMDB, que já se comprometeram no esforço de apressar a tramitação.

Para o deputado, o esforço em levar a Ficha Limpa à votação se dá, sobretudo pela resistência que a matéria vem enfrentando, conforme declarou o próprio presidente da Casa, Michel Temer. A própria analise do projeto pela CCJ já é considerada como uma manobra para protelar ao máximo a análise do projeto pelo plenário. O próprio Temer já prometeu celeridade ao projeto, caso não seja dado o regime de urgência e a matéria tenha de ser formatada pela CCJ. O temor, segundo Gladson, é que a proposta receba tantas emendas na CCJ que venha a ser desfigurada em seu conteúdo básico de impedir a candidatura de quem tenha contas a pagar na Justiça. ”É um projeto que veio para mudar o quadro político”, garantiu o parlamentar.

Nenhum comentário: