quinta-feira, 8 de abril de 2010

Limpeza de 97 hectares de lagos do rio Juruá está em fase de conclusão


O Governo do Estado através da Secretaria de Agricultura e Pecuária (SEAP) está na fase final da limpeza de três dos mais importantes lagos do rio Juruá, Tatajuba, Grande e o sacado da Nova Cintra, que abastecem várias comunidades no município de Rodrigues Alves. Iniciada em janeiro, a primeira fase do trabalho foi a limpeza dos sangradouros; em seguida foi feito o corte do mato e agora, com o rio cheio, está sendo executada a última fase que é a retirada, pelos sangradouros, da vegetação, que está atrapalhando a reprodução dos peixes e a própria pesca em si.


Escrito por Flaviano Schneider
Fotos Onofre Brito

Próxima etapa será a limpeza de 50 km no Rio Juruá e afluentes

O Governo do Estado através da Secretaria de Agricultura e Pecuária (SEAP) está na fase final da limpeza de três dos mais importantes lagos do rio Juruá, Tatajuba, Grande e o sacado da Nova Cintra, que abastecem várias comunidades no município de Rodrigues Alves. Iniciada em janeiro, a primeira fase do trabalho foi a limpeza dos sangradouros; em seguida foi feito o corte do mato e agora, com o rio cheio, está sendo executada a última fase que é a retirada, pelos sangradouros, da vegetação, que está atrapalhando a reprodução dos peixes e a própria pesca em si.

Os três lagos foram indicados pelos próprios pescadores, que também participaram dos trabalhos de limpeza, contratados como mão de obra pela empresa responsável pela execução do serviço.

Segundo Maurício Queiroz, responsável pela SEAP na regional do Juruá o trabalho começou com a identificação dos lagos e a fase final é a retirada dos entulhos que descem como ilhas de vegetação pelo rio Juruá. Cerca de 300 homens participaram da limpeza dos três lagos em trabalho árduo feito apenas com foice e terçado.

Os recursos para o serviço que está sendo executado são provenientes de emenda parlamentar do senador Tião Viana - atendendo pedidos feitos pelos comunitários e pescadores - no valor de R$ 400 mil mais a contrapartida de R$ 45 mil do governo do Estado. A SEAP terceirizou o serviço, contratando empresa para executá-lo. Ao todo, o projeto contempla a limpeza de 97 hectares de lagos e ainda a desobstrução de 80 km do Rio Juruá e afluentes.

A limpeza do leito dos rios será feita apenas no verão quando as condições são ideais para execução do serviço. A desobstrução dos 80 km de rios vai beneficiar 50 km do rio Juruá, (10 km em Cruzeiro do Sul, 20 km em Porto Walter e 20 km em Marechal Taumaturgo) e mais 30 km de outros rios que banham a região de Mâncio Lima: 05 km no rio Moa, 12 km no rio Timbaúba e 13 km no rio Azul. Cerca de 1.620 famílias envolvidas nas atividades pesqueiras nos cinco municípios estão sendo beneficiadas com a ação.

Programa de governo

Centenas de pessoas, principalmente pescadores, prestigiaram no início do ano o ato de assinatura da ordem de serviço para a limpeza de lagos e rios. Na ocasião, o vice-governador Cesar Messias disse que o governo está interessado em expandir a produção de pescado na região do Juruá tanto do peixe criado em açudes quanto o peixe pescado em lagos e rios. Ele lembrou que a região do Juruá até o rio Valparaíso é a mais rica em lagos no Estado e que a limpeza dos três lagos era um bom começo, mas adiantou que vai levar ao governador Binho a proposta de que a limpeza de lagos e rios se transforme num programa de governo.

O vice-governador, no ano passado, apoiou os pescadores numa limpeza simples do sangradouro do lago Nova Cintra e do lago Verde, que hoje é o principal fornecedor de peixe para a população local. Agora, porém, o serviço é mais completo e só no assentamento existente próximo ao lago Nova Cintra há 160 famílias serão diretamente beneficiadas, podendo melhorar sua alimentação com o peixe.

Renascimento do lago Nova Cintra - A dona de casa Maria da Conceição Rodrigues tem 64 anos e é mãe de dez filhos. Moradora da região desde que nasceu foi observar a limpeza do Lago Nova Cintra, realizado ontem por quase 100 homens. Ela lembra que o lago tinha pirarucu, piau, caparari, surubim, cuiú, mas já havia quase 30 anos que o lago não produzia peixe devido a estar coberto pela vegetação, mas acreditava que a partir deste ano a coisa vai ser diferente e o lago vai garantir a subsistência de muita gente. "Eu amo esse sacado e agradeço ao governador por estar limpando o lago, para eu poder ajudar a criar meus netos" - disse.

O pescador Francisco Alves de Souza participou do trabalho de limpeza e demonstrou muita satisfação ao ver o lago livre da vegetação: "Isto aqui é o nosso mercado, nossa fonte de alimentação e nossa sobrevivência. Este trabalho é muito útil. Graças a Deus temos esse incentivo"- disse.

O presidente da Colônia de Pescadores de Rodrigues Alves, José Gomes de Lima, disse que o sentimento entre os pescadores era de que o lago Nova Cintra já tinha morrido, que nunca mais produziria peixe. "Hoje estamos vendo que valeu o interesse do senador Tião Viana e do governo do Estado e tudo isto está acontecendo. Quase ninguém acreditava mais, mas a notícia é de que já há peixe entrando no lago Nova Cintra e esperamos uma grande produção a partir de agora".


Nenhum comentário: