quinta-feira, 27 de maio de 2010

Capitania da Marinha fiscaliza embarcações no Vale do Juruá


Nesta segunda-feira, (24), uma Capitania da Marinha veio a Cruzeiro do Sul para fazer a fiscalização das embarcações no Alto Juruá. A Capitania tem sede no município de Eirunepé-AM e tem sobre jurisdição 13 municípios.


Nesta segunda-feira, (24), uma Capitania da Marinha veio a Cruzeiro do Sul para fazer a fiscalização das embarcações no Alto Juruá. A Capitania tem sede no município de Eirunepé-AM e tem sobre jurisdição 13 municípios.

Dos 13 municípios que estão sobre a jurisdição da capitania, oito são do Acre e cinco do Amazonas. Na maioria ainda não existe uma representação da Marina. Por isso, periódicamente, equipes visitam cada região para atender as demandas das comunidades.

Em quase uma semana em Cruzeiro do Sul, a Capitania da Marinha abordou e notificou 40 embarcações. Além da fiscalização estão sendo proferidas nesses locais palestras sobre a preservação do meio e sobre o uso do colete salva-vidas.
Segundo o Capitão da Marinha, Luiz Carlos, a vinda da Marinha a Cruzeiro do Sul tem dois focos.

“O primeiro foco é o educativo, nós precisamos levar a população ribeirinha e aos donos de embarcações de pequeno, médio e grande porte, a necessidade do uso do colete salva-vidas e da necessidade da preservação do meio ambiente. O segundo é a necessidade da salva guarda da vida humana e da segurança do tráfico aquaviário”.

No primeiro moment, está sendo procedido apenas um trabalho educativo pela Marinha aos proprietários das pequenas embarcações. “Por questão de lealdade as pessoas que tem pouca informação, nós notificamos os grandes empresários que já têm essa noção, mas os canoeiros, as pessoas que começaram há pouco tempo ainda não têm essa noção.

Eles não sabem usar o colete. Então percebendo isso ao haveria necessidade nesse primeiro momento de nós tomarmos uma atitude mais severa e nem apreender embarcações, mas trazer as pessoas que utilizam esse modal aquaviário para explicar o motivo da nossa presença, para que em um segundo momento já possamos fazer a inspeção naval” – explica o capitão.

Ainda de acordo com o capitão, é de grande importância para os donos das embarcações legalizarem-se junto à marinha.

“É importante para nós para termos o controle das embarcações que estão navegando e eles mesmos devem está conscientes, porque no dia que a Marinha for fiscalizar eles vão está com os documentos e ele ficarão com mais segurança para navegar sem ter problemas”.

Devido à demanda ser maior em Cruzeiro do Sul, a Marinha está estudando a possibilidade do município também ter uma sede da Capitania.

“A alta administração naval já está conversando, já está havendo um estudo sobre Cruzeiro do Sul ter uma sede da Capitania da Marinha. A realidade é que a Marinha já percebeu que há uma necessidade e inclusive está no seu planejamento, mas como todo órgão público nós precisamos está encaixados em um plano de metas do governo”- afirma.
O capitão ainda deixa um alerta aos ribeirinhos e aos donos das embarcações.

“Eu considero eles como marinheiros, marinheiros do rio ou do mar, como meus amigos e espero que eles sejam elementos multiplicadores dessas informações que eu estou passando. Gostaria que eles fizessem um esforço para preservar o nosso rio, para legalizar a sua embarcação, para adquirir colete salva-vidas e para estarem documentados. E que eles passem que a Marinha está presente, que a Marinha quer que todos estejam regularizados para que possamos ter uma navegação segura no Juruá”–conclui.

Kattiúcia Silveira

Nenhum comentário: