segunda-feira, 17 de maio de 2010

Duas vítimas no trânsito e dois homicídios só neste fim semana em Cruzeiro do Sul



A cidade de Cruzeiro do Sul teve um dos finais de semana mais sangrentos dos últimos anos. Na tarde deste domingo, 16, um acidente trágico acabou com a tranqüilidade das pessoas que se dirigiam para o Igarapé Preto e tirou a vida de uma jovem e um rapaz que retornavam do balneário em uma motocicleta.



A cidade de Cruzeiro do Sul teve um dos finais de semana mais sangrentos dos últimos anos. Na tarde deste domingo, 16, um acidente trágico acabou com a tranqüilidade das pessoas que se dirigiam para o Igarapé Preto e tirou a vida de uma jovem e um rapaz que retornavam do balneário em uma motocicleta.

A tragédia envolveu um caminhão guincho da Companhia de Trânsito. À noite dois corpos foram levados ao Necrotério da cidade. De homem que foi atingido com um disparo de arma de fogo durante uma caçada em uma comunidade rural e o outro que foi esfaqueado no Bairro Cruzeirinho.

O acidente aconteceu às 16 horas no quilômetro 5 da estrada que segue em direção ao Igarapé Preto, passa para o aeroporto e dá acesso aos municípios de Rodrigues Alves e Mâncio Lima. Antônio Vilson Ferreira da Silva, 26, voltava do Igarapé em uma motocicleta e ao tentar ultrapassar outra moto, invadiu a pista da esquerda e bateu contra um caminhão guincho que é alugado para a Companhia de Trânsito da cidade.

Segundo o que foi apurado no local, o motociclista bateu na lateral do caminhão e a moto entrou debaixo do carro que passou por cima do rapaz esmagando a cabeça. A jovem Gracinês Costa de Matos, 23, que estava na garupa, também foi atingida pelo carro e teve fratura no crânio. O policiamento de trânsito foi acionado e chegou ao local da tragédia no momento em que muitos curiosos já se aglomeravam para presenciar as cenas tristes dos dois corpos, com partes esmiuçadas, estendidos ao chão.

Segundo informações de pessoas que chegaram logo em seguida, a massa cefálica das duas vítimas se espalhava pelo asfalto. Os dois corpos ficaram totalmente irreconhecíveis. A polícia só teve conhecimento do nome do condutor da motocicleta através da carteira de habilitação que estava na bolsa da garota.

O corpo de Gracinês foi levado ao Necrotério sem a polícia ter nenhuma informação sobre a identidade da vítima. Só às 23h chegaram ao Necrotério os primeiros familiares da jovem. Uma prima dela fez o reconhecimento e informou o nome de Gracinês à polícia.

A motocicleta e o caminhão foram levados para a CIRETRAN. O guincho é utilizado para remoção de veículos apreendidos para o pátio da Companhia. O carro estava seguindo para o Posto Rodoviário, localizado próximo ao Igarapé Preto, para guinchar uma motocicleta que foi apreendida durante fiscalização de rotina.

Agricultor é atingido com disparo durante caçada























O corpo de Marinaldo Santos de Souza foi encontrado na tarde deste domingo, 16, em uma área de floresta, na comunidade Pentecostes. O agricultor foi atingido pelo disparo de uma espingarda durante uma caçada que realizava na companhia de mais dois moradores da comunidade. A polícia investiga para saber se o rapaz foi vítima de disparo acidental ou se foi atingido por um dos colegas.

De acordo com as informações que chegaram até agora à polícia, Marinaldo teria saído para caçar com os colegas na manhã de sábado, 15, e não havia retornado para casa. Só na tarde deste domingo, o rapaz foi encontrado dentro da mata, baleado e já sem vida.

Até as 23h deste domingo a polícia ainda não tinha informações se o agricultor foi atingido com a sua própria espingarda ou se teria sido vítima de um dos companheiros de caçada. O delegado Elton Futigami comandou uma diligência da Polícia Civil que prosseguiu pela madrugada para investigar detalhes do caso.

Homicídio no Cruzeirinho

Outro crime que tirou o sossego da população de Cruzeiro do Sul neste domingo, 16, aconteceu no Bairro Cruzeirinho Novo às 22h. Dois rapazes que moram próprio bairro não tiveram pena nem dor para acabar com a vida de João da Rocha Cabral, o João Cananga. A vítima participava de uma bebedeira e no meio de um desentendimento foi cruelmente esfaqueado.

Cananga bebia cachaça desde cedo na companhia da turma, todos moradores do Cruzeirinho, e, quando a pinga acabou, resolveu pedir dinheiro de um rapaz, de nome Ronaldo, para tomar mais uma dose. Como Ronaldo afirmou que não tinha mais dinheiro, Cananga se revoltou e partiu para agressão tentando atingir o rapaz com um soco. Nesse momento Ronaldo deu de mão a uma peixeira que portava na cintura e deu início a sessão de sangramento.

Se não bastasse a voracidade demoníaca do primeiro agressor sobre a vítima, no mesmo instante, um colega de Ronaldo, de apelido “Homenzinho”, que estava ao lado, também resolveu depositar sua ira em Cananga, e, com outra faca, deu seqüência ao extermínio do homem que morreu pela sede de um copo de cachaça.

Logo em seguida a execução, policiais militares chegaram, mas os dois endiabrados já haviam deixado o local às pressas e o corpo estava estatelado sob os olhos de quem teve coragem de observar a cena. Uma ambulância do SAMU fez o traslado da vitima para o Pronto Socorro da cidade e só após um minucioso exame no cadáver foi possível contabilizar um total de 16 golpes distribuídos pelo corpo do infeliz.

Assim que tomaram conhecimento do crime, tanto a Polícia Civil, quanto a Polícia Militar, iniciaram uma caçada na tentativa de capturar os dois carrascos de Cananga. No entanto, em pouco tempo as buscas tiveram fim. Com pouco mais de uma hora do homicídio, Homenzinho e Ronaldo bateram à porta da Delegacia de Flagrantes e se entregaram para responder pelo crime. Já sob a guarda da polícia, Ronaldo contou tudo como aconteceu e disse que não economizou em facadas para não deixar seu desafeto com vida temendo uma possível vingança. Segundo ele, decidiu junto com o colega se apresentar na delegacia, para não ficar correndo com medo da polícia.

Da Redação

2 comentários:

Leandro disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Anônimo disse...

Esse Advogado la Vale de Alguma Coisa ?kkkkkkk