segunda-feira, 17 de maio de 2010

Empresários denunciam suspeita de fraude em licitação da Prefeitura de Cruzeiro do Sul

Um grupo formado por cinco empresas prestou queixa na Delegacia Geral de Polícia Civil, em Cruzeiro do Sul, na tarde desta segunda-feira (17), contra o proprietário de outra empresa de construção civil que participava de uma licitação para a construção de duas quadras poliesportivas. De acordo com o Boletim da Noticia Crime apresentada no Departamento Policial, o empresário Raimundo Jonas Fernandes Leitão teria tentado fraudar o processo licitatório no momento do pregão.


Um grupo formado por cinco empresas prestou queixa na Delegacia Geral de Polícia Civil, em Cruzeiro do Sul, na tarde desta segunda-feira (17), contra o proprietário de outra empresa de construção civil que participava de uma licitação para a construção de duas quadras poliesportivas. De acordo com o Boletim da Noticia Crime apresentada no Departamento Policial, o empresário Raimundo Jonas Fernandes Leitão teria tentado fraudar o processo licitatório no momento do pregão.

Seis empresas compareceram à Prefeitura para apresentar os documentos e a planilha com os valores propostos para realizar a obra. Entretanto, apenas a de propriedade de Jonas teria fornecido os documentos exigidos e, com isso, foi considerada habilitada para participar do processo.

As outras cinco foram reprovadas porque não teriam preenchido todos os requisitos legais para concorrer à licitação pública.
Desta forma, o empresário Jonas Leitão seria o único a prosseguir com a possibilidade de executar a obra que deve custar em torno de R$ 800 mil. Mas, no momento em que foi entregar o envelope com a planilha indicando os valores cobrados pela empresa, Leitão teria trocado o envelope. O representante de uma das empresas reprovadas afirmou ter visto quando o empreiteiro fez a troca dos envelopes.

Na tese do advogado Jairo Teles, que representou contra a empresa de Jonas Leitão, o empresário teria apresentado, no início da reunião, um envelope com valores reduzidos que foi assinado por todos e, na tentativa de aumentar o valor da obra, teria substituído por outro com uma planilha bem mais elevada. O que levou aos presentes a descobrirem a manobra, foi que o segundo envelope continha apenas a assinatura de Jonas e todos os empresários que participavam do processo haviam assinado o primeiro envelope lacrado.

O advogado afirmou que já acionou o Ministério Público e vai provocar o indiciamento criminal de Jonas Leitão. “A princípio apenas o empresário será representado criminalmente. Pode ser que no decorrer das investigações seja comprovado que responsáveis pelo processo de licitação da Prefeitura estivessem envolvidos no esquema” – afirmou o advogado. Jairo Teles informou ainda que vai entrar com uma ação na justiça solicitando o cancelamento do processo de licitação.

Da Redação


Um comentário:

Anônimo disse...

Esse Advogado heim, kkkkkk