segunda-feira, 3 de maio de 2010

Frente Popular do Acre apresenta pré-chapa majoritária: Tião-Jorge-Edvaldo


Em evento prestigiado pelo governador Binho Marques e o prefeito da capital, Angelim, prefeitos do interior, além de lideranças de quase todos os municípios do Estado, a Frente Popular apresentou nesta sexta, 30, a sua pré-chapa majoritária às eleições de outubro. Tião Viana, Jorge Viana e Edvaldo e Edvaldo Magalhães formarão o trio que vai disputar, respectivamente, o governo e as duas vagas do Senado.


Em evento prestigiado pelo governador Binho Marques e o prefeito da capital, Angelim, prefeitos do interior, além de lideranças de quase todos os municípios do Estado, a Frente Popular apresentou nesta sexta, 30, a sua pré-chapa majoritária às eleições de outubro. Tião Viana, Jorge Viana e Edvaldo e Edvaldo Magalhães formarão o trio que vai disputar, respectivamente, o governo e as duas vagas do Senado.

Jorge Viana abriu os discursos afirmando que Tião (pré-candidato ao governo) tem sido um dos melhores senadores do Brasil” e o Senado “perdeu” a boa oportunidade de mudar quando houve a disputa com José Sarney, o velho cacique do Maranhão-Amapá.

O ex-governador afirmou que a obra mais importante da Frente Popular no Acre, no entanto, não é física, de concreto, mas a do sentimento. “A obra mais importante que fizemos foi mudar o sentimento do povo, que era de pessimismo e hoje é de otimismo, com a autaestima elevada. O Acre virou a fonte de coisas boas na política”;

Sobre o quase companheiro de chapa ao Senado (falta a Convenção), Edvaldo Magalhães, deputado estadual do PCdoB, Jorge disse que a candidatura do vermelho vai tentar “recuperar a vaga perdida pela FP há sete anos, quando Geraldo Mesquita Junior pegou o mandato e foi embora” . E disse mais: “Edvaldo foi o coordenador da política nos meus oito anos de governo, foi ele quem comandou na Aleac a nossa política. É um companheiro leal. A sua candidatura é pedagógica”.

Por sua vez, Edvaldo usou os microfones diante de uma plateia atenta para dizer que “abre-se uma nova página na história da Frente Popular”. Para ele, há 20 anos o Acre precisava de uma ideia nova e “essa ideia nova foi a FP”. E incendiou ainda a plateia quando disse que “agora é a hora do volta, Jorge!”, mostrando a necessidade do retorno à política mais direta do seu já quase definidod companheiro de chapa ao Senado.

Edvaldo ressaltou também o papel do governador Binho Marques nos últimos anos e disse que ele poderia ser candidato a qualquer coisa que teria o apoio da FP, mas “decidiu que quer entregar a faixa de governador para o Tião”, contou, para entusiasmo dos presentes. Depois declarou está confiante no candidato ao governo, Tião Viana. “Tião será um candidato dedicado e sua eleição será o 4º mandato da FP”.

O deputado e presidente da Aleac, encerrou dizendo ‘estar honrado” em participar da chapa com Tião e Jorge. “Me sinto muito honrado. Não serei candidato do PCdoB, e o meu partido compreende isso, e sim candidato ao Senado da Frente Popular”.

O virtual candidato ao governo pela FP, Tião Viana, disse que o Acre tem “enorme responsabilidade com a Amazônia”. E que somente através da política é possível equacionar os problemas que ainda afligem o povo. “O nosso item mais importante é romper com a pobreza que afeta parte da população”

Tião ressaltou que o símbolo mais importante do Acre atualmente é a defesa do meio ambiente e o projeto de sustentabilidade levado a cabo nos últimos anos. “O Acre é o Estado da florestania”.

O pré-candidato ao governo da FP defendeu a candidatura do nome de Dilma Rousseff, como “o melhor para o Brasil”, ao mesmo tempo em que declarou que “José Serra não tem olhar para o Nordeste, o Norte, nem para a Amazônia. Será um governo para os ricos, para os empresários somente”.


O último a discursar foi o governador Binho Marques, que afirmou ‘está muito emocionado”, e contou que nesses anos todos de Frente Popular muitas coisas foram feitas para melhorar o Acre “até beirando à irresponsabilidade”. Afirmou ainda que a chapa majoritária Tião-Jorge-Edvaldo será uma espécie “de um único candidato, o nosso projeto”.

O governador encerrou sua intervenção afirmando: “Vou entregar o bastão no dia 1º de janeiro para um governador melhor do que, que é o Tião Viana”.

Nenhum comentário: