quarta-feira, 26 de maio de 2010

Garantia de inclusão social em Cruzeiro do Sul



Os cerca de 88 mil habitantes de Cruzeiro do Sul irão desfrutar daquele que é considerado, hoje, o mais arrojado programa destinado a democratizar a prática esportiva em regiões carentes.

O maior programa brasileiro destinado ao combate à violência é realidade na segunda maior cidade do Acre, onde a maioria da população é de jovens.

Os cerca de 88 mil habitantes de Cruzeiro do Sul irão desfrutar daquele que é considerado, hoje, o mais arrojado programa destinado a democratizar a prática esportiva em regiões carentes. A Praça da Juventude está concebida a partir de uma parceria entre os governos municipal e federal, e estabelecida, no caso da segunda maior cidade do Acre, a partir de recursos (R$ 1,5 milhão) garantidos pela deputada Perpétua Almeida (PCdoB), alocados na rubrica extra-emenda junto ao Ministério dos Esportes na segunda quinzena de dezembro de 2008, em pleno recesso de fim de ano, quando, naquele momento, todos pensavam não haver mais chance para tal proeza.

A obra, licitada na última semana, terá início ainda este mês, e chega num momento difícil para a Segurança Pública da cidade, onde 85% das ocorrências policiais apontam um jovem como vítima ou infrator, segundo estudo realizado pela União da Juventude Socialista na região (UJS).

A praça, financiada pela Caixa Econômica Federal (CEF), ao ser vista a partir da maquete é imponente, mas nem por isso extraordinariamente cara: inclui campos de futebol, teatro arena, pista de skate com espaço para a terceira idade, quadra de vôley, ginásio poliesportivo coberto, pistas de caminhada e atletismo, dentre outros itens. De tão indispensável, é apontada em cidades como Porto Alegre como responsável pela redução de danos gerados pela violência. Seu propósito maior é acolher cidadãos de qualquer faixa etária em risco social, sobretudo.

O projeto também é destinado a comunidades situadas em espaços urbanos com reduzido ou nenhum acesso a equipamentos públicos de esporte e lazer. Alia saúde, bem-estar e qualidade de vida a atividades sócio-educativas diversificadas – atividades, aliás, que também incentivam a inclusão digital e a produção cultural e científica, constituindo-se em um amplo espaço de convivência comunitária.

A Praça da Juventude se impõe numa área 7.000 m² e destaca, entre os itens de maior interesse público, um grande ginásio poliesportivo, que, em funcionamento pleno, oferecerá um novo gás à população, possibilitando a todos reconhecerem-se como cidadãos de direitos e deveres no exercício legítimo e diário de sua cidadania.

"O foco é a juventude, mas esse tipo de investimento também atende a outras faixas etárias das áreas urbanas e rural de maior vulnerabilidade social. O que mais importa pra nós é a inclusão social e a diminuição dos índices de violência", explicou a deputada. "Quando não estiverem na escola, nossos jovens de Cruzeiro do Sul poderão praticar esporte. Isso os afastará do contato direto com o crime, com as drogas e com o álcool", concluiu a deputada.

Em Brasília, o prefeito Wagner Sales fez um agradecimento especial à deputada Perpétua Almeida. Ele reafirmou a atenção da prefeitura para finalizar o processo licitatório e prestar as informações à CEF o quanto antes, para que os repasses não sejam prejudicados, considerando o ano eleitoral.

A obra será levantada num terreno público próximo ao 61 BIS. "Eu tenho absoluta certeza de que nossos jovens terão o que fazer ao invés de procurar botecos para beber", concluiu o prefeito. Ele admite que Cruzeiro do Sul não oferece opções de lazer aos jovens, em especial, a não ser o velho estádio de futebol construído em 1972, que hoje está deteriorado.

Três objetivos prioritários:

1 - Garantir à população brasileira o acesso gratuito às práticas esportivas;

2 - Utilizar, sistematicamente, o esporte e o lazer como fatores de melhoria da qualidade de vida e
de inclusão social;

3 - Introduzir, de forma sistemática e regular, o esporte e o lazer na promoção do desenvolvimento humano em todos os segmentos sociais.

Estudo sobre violência aponta índices negativos

A notícia da liberação de uma emenda para construção da praça – a primeira no Estado do Acre - foi recebida com muita comemoração e alegria pelas principais entidades do movimento de juventude de Cruzeiro do Sul. "Por muitos anos, esta tem sido uma das principais bandeiras de nossa luta", disse o presidente da União da juventude Socialista (UJS) na região, Francisco Borges.

A população da cidade é constituída na sua maioria por jovens. Porém, é detentora de um dos maiores índices de violência do estado. "A falta de alternativas culturais e esportivas contribuem para a vulnerabilidade dos mesmos. Infelizmente, muitos fazem o caminho inverso na busca de um futuro melhor", explica o estudante.

Na cidade, o estudo mais recente sobre os índices de violência entre jovens é de 2009. Foi realizado simultaneamente a uma campanha de conscientização, sob a coordenação da própria UJS. E os números são bem negativos, em especial nos bairros periféricos, nos quais puderam comprovar que a criminalidade se explica pela ausência do poder público.

"Levantamos um dado alarmante: 85% das ocorrências policiais tinham um jovem como vítima ou infrator. Verificamos também que para cada campinho de terra batida ou espaço de lazer nos bairros visitados, existiam 5 bares ou botecos", informou o presidente da UJS.

No Bairro do Remanso, campeão de ocorrências policiais em 2008, há apenas dois campinhos para a prática de futebol, onde os jovens se reúnem nos finais de semanas para a tradicional "pelada". Porém, os terrenos são particulares e os proprietários já estão planejando construir neles.

Na região que compreende os bairros Cobal, alumínio, Várzea, Cruzeirão, Telégrafo e Remanso, há apenas um ginásio de esportes, com uso limitado, pois serve de espaço para as escolas que não possuem quadras esportivas. No bairro da Lagoa, que também aparece na pesquisa como um dos mais violentos, não há qualquer área de lazer, nem biblioteca, nem centro de cultura, muito menos associações.

UJS agradece a deputada

São inumeráveis os relatos dos jovens descontentes com a falta de políticas públicas voltadas à juventude na região. Juruá é apontado como celeiro de potencial artístico e cultural, mas, infelizmente, são negadas oportunidades de desenvolver e difundir a arte em sociedade. "Esta iniciativa do seu mandato veio com um sabor de conquista inigualável pra juventude do Juruá.

Este espaço pode ser utilizado não só pelo povo cruzeirense, mas também pela galera de Mâncio Lima e Rodrigues Alves através de memoráveis atividades regionais", diz uma nota de agradecimento encaminhada ao gabinete da deputada em Brasília. "Queremos começar daqui pra frente o caminho de uma alternativa, para melhorar a convivência da juventude bem como a qualidade de vida das pessoas", conclui a nota.

"A gente não quer só comida. A gente quer comida, diversão e arte"


Nenhum comentário: