quinta-feira, 13 de maio de 2010

Prefeitura de Cruzeiro do Sul inicia a doação de vacina contra aftosa



Este ano a Secretaria Municipal de Agricultura, está doando a vacina para criadores que têm um rebanho com até 30 cabeças de gado. Além de ajudar os pequenos criadores, o município faz questão de contribuir com a sanidade animal.



Este ano a Secretaria Municipal de Agricultura, está doando a vacina para criadores que têm um rebanho com até 30 cabeças de gado. Além de ajudar os pequenos criadores, o município faz questão de contribuir com a sanidade animal.

Pelo segundo ano consecutivo, os pequenos criadores de gado bovino do município de Cruzeiro do Sul, estão recebendo gratuitamente da Prefeitura, as doses da vacina contra a febre aftosa para imunizar o rebanho. Em 2009, que foi o primeiro ano de administração do prefeito, Vagner Sales, ele autorizou a doação para criadores com até 20 cabeças. Mesmo assim, alguns pequenos pecuaristas que se encaixam em outras faixas quanto ao tamanho do rebanho, deixaram de vacinar. Este ano o prefeito decidiu ampliar o atendimento, doando a vacina para criadores que possuem até 30 animais.

“Essa ação da Prefeitura e a nossa decisão de doar a vacina, é porque conhecemos a realidade dos pequenos, que não trabalham diretamente na pecuária. Muitos criam algumas cabeças de gado apenas para alimentar a família e em alguns casos as propriedades são muito distante, nas margens dos rios. Além de doar, estamos informando direitinho, os procedimentos para adquirir a vacina e a importância de imunizar o gado”, diz o prefeito Vagner Sales.

O secretário municipal de agricultura, Erni Dombrowiski, explica que os criadores com até 30 cabeças de gado, devem procurar a Secretaria onde receberão uma autorização, que deve ser apresentada em uma das lojas agropecuárias credenciadas para fornecer a vacina. “O criador pega a nota fiscal, em seguida vai até a propriedade, vacina o rebanho e depois apresenta a nota no Idaf, para declarar a vacinação. No ano passado tivemos quase dois mil atendimentos e muitos dos que vacinaram não compareceram para declarar”, lembra Dombrowiski.

Ainda de acordo com Erni Dombrowiski, este ano técnicos do Idaf e da Secretaria de Agricultura, vão selecionar alguns criadores que não vacinaram o rebanho no ano passado, para acompanhar nessas propriedades a vacinação nesta etapa. “É uma forma de incentivar para que ele conheça a importância de ter o rebanho vacinado contribuindo com a sanidade animal e a qualidade do produto que o consumidor precisa ter em sua mesa”, finaliza.

Nenhum comentário: