segunda-feira, 24 de maio de 2010

Produtores Rurais acampam na sede do INCRA para exigir mais agilidade no processo de desapropriação de terra


Cerca de 50 produtores rurais montaram acampamento na sede do INCRA, em Cruzeiro do Sul, na manhã desta segunda-feira, 24. São agricultores que foram instalados no Projeto de Assentamento Porfílio Ponciano, em Rodrigues Alves, e tiveram que deixar o local pelas dificuldades de acesso. Há quase 4 anos as famílias lutam pela desapropriação de uma fazenda para que possam se instalar e ter uma área de terra para produzir.


Cerca de 50 produtores rurais montaram acampamento na sede do INCRA, em Cruzeiro do Sul, na manhã desta segunda-feira, 24. São agricultores que foram instalados no Projeto de Assentamento Porfílio Ponciano, em Rodrigues Alves, e tiveram que deixar o local pelas dificuldades de acesso. Há quase 4 anos as famílias lutam pela desapropriação de uma fazenda para que possam se instalar e ter uma área de terra para produzir.

O INCRA tentou instalar as 50 famílias no Projeto de Assentamento Porfilio Ponciano, mas teve que fechar o Projeto devido às dificuldades para abrir uma estrada até a comunidade. Com isso, os produtores tiveram que deixar o local e foram para as margens do Rio Juruá onde vivem aglomerados em uma área de apenas 3 hectares.

“Não temos como produzir nesse local, por isso, estamos enfrentando muitas necessidades. Queremos que o INCRA resolva logo essa situação e consiga um terreno para que tenhamos condições de produzir para sustentar nossa família” – disse o presidente da Sociedade Agrícola do Projeto de Assentamento, Jonasfah Matos de Souza.

Os agricultores armaram redes e jogam carteado como forma de passatempo. Eles afirmam que, se até a tarde desta segunda-feira, não tiveram uma resposta que seja favorável, vão trazer as famílias para ficar até o dia em que o INCRA providenciar uma área de terra para que possam se instalar.

O vereador Noé Matos, do PP de Rodrigues Alves, acompanha o movimento e afirma que não é possível aceitar as condições em que as famílias se encontram no local aonde vivem atualmente. “O INCRA tem que tratar essa situação com mais agilidade porque não dá mais para que essas famílias fiquem como estão. Sem ter nem como plantar nem para a alimentação” – cobrou o vereador.

O chefe a Unidade Avançada do INCRA, José Augusto Correia da Silva, disse que já está sendo providenciada a desapropriação de uma fazenda para instalar os produtores. Mas a previsão é que o processo seja concluído só em novembro.

“O que aconteceu para ocasionar essa demora foi que houve problema na documentação da Fazenda Agro Juruá que está sendo desapropriada e fez com que o processo demorasse. Mas tudo que dependia da Unidade Avançado em Cruzeiro do Sul já foi feito e a previsão é que o processo, que se encontra na Advocacia Geral da União, seja concluído até novembro” – disse o representante do INCRA.

No entanto, os agricultores não querem mais esperar tanto tempo. De acordo com o presidente do Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Rodrigues Alves, Ruster Batista, vão permanecer acampados até que a situação seja resolvida. “Queremos que seja resolvida ainda hoje porque nosso desejo não é ficar aqui por muito tempo e esperamos que os produtores possam ter um local para trabalhar o mais rápido possível. Agora, se o INCRA não apresentar uma solução urgente, vamos ficar aqui o tempo que for preciso” – afirmou Ruster.


Nenhum comentário: