sexta-feira, 7 de maio de 2010

Diarista morre asfixiado ao descer para limpar cacimba


Um rapaz de 18 anos de idade morreu asfixiado na manhã desta sexta-feira, 07, ao descer em uma cacimba para fazer a limpeza. Jhonata Silva de Souza descia por uma corda quando sentiu que estava faltando oxigênio. Outro rapaz que segurava a corda disse que Jhonata ainda reclamou que a cacimba estava ficando quente e desmaiou antes de chegar ao fundo do poço.


Mazinho Rogerio
Fotos Aureo Neto


Um rapaz de 18 anos de idade morreu asfixiado na manhã desta sexta-feira, 07, ao descer em uma cacimba para fazer a limpeza. Jhonata Silva de Souza descia por uma corda quando sentiu que estava faltando oxigênio. Outro rapaz que segurava a corda disse que Jhonata ainda reclamou que a cacimba estava ficando quente e desmaiou antes de chegar ao fundo do poço.

O incidente aconteceu no Bairro Formoso às 9h30m. Os dois diaristas foram contratados pelo dono de um terreno, que iniciou a construção de uma casa esta semana, para tirar a sujeira de dentro da cacimba. Jhonata amarrou um pedaço de galho na ponta da corda e descia sob o controle do colega de trabalho que controlava a descida através de um mecanismo chamando na região de “Bolinete”.

Passando da metade do poço que tem 13 metros de profundidade, o rapaz começou a reclamar da temperatura que, segundo o outro, estaria muito quente. Logo em seguida afirmou que estava faltando oxigênio e com dificuldades para respirar. Mesmo assim, o diarista continuou na tentativa de ir até ao fundo, mas desmaiou antes de da chegada.

Homens do Corpo de Bombeiros foram acionados e em poucos minutos estavam no local. Para entrar no poço e retirar o rapaz, um bombeiro teve que utilizar uma garrafa com oxigênio. Fora da cacimba a equipe de resgate ainda tentou reanimar o diarista, mas não teve jeito.

“As pessoas que fazem esses serviços em poços nessas profundidades correm sérios riscos. A água comprime um gás que diminuir a concentração de oxigênio e causa a asfixia” – disse o Sargento Édem, do Corpo de Bombeiros, que comandou a missão de resgate do diarista.

O colega de Jhonata foi à casa da família para informar do ocorrido. A mãe do rapaz entrou desespero e ficou em estado de choque no momento que identificou o corpo do filho que já havia sido levado ao Necrotério da cidade para a realização do exame cadavérico.

Nenhum comentário: