terça-feira, 29 de junho de 2010

Catraieiro some nas águas do rio Juruá


Edilson Alves Ferreira, 35, participava das festividades da Semana dos Pescadores, em Cruzeiro do Sul, e logo após o encerramento das atividades do primeiro dia de comemoração, neste domingo (27), tentou atravessar o rio Juruá a nado, mas não teve fôlego para chegar à outra margem. De acordo com a família o catraieiro estava sob efeito de bebida alcoólica. Homens do Corpo de Bombeiros realizam buscas na tentativa de encontrar o corpo.


Edilson Alves Ferreira, 35, participava das festividades da Semana dos Pescadores, em Cruzeiro do Sul, e logo após o encerramento das atividades do primeiro dia de comemoração, neste domingo (27), tentou atravessar o rio Juruá a nado, mas não teve fôlego para chegar à outra margem. De acordo com a família o catraieiro estava sob efeito de bebida alcoólica. Homens do Corpo de Bombeiros realizam buscas na tentativa de encontrar o corpo.

Eram 4 da tarde quando o rapaz resolveu nadar saindo da praia, em frente à cidade no local chamado de Porto do Buraco, em direção ao barranco. Ao chegar à metade do caminho, na parte mais funda do rio, Edilson começou a gritar pedindo socorro. “Mirrai, Mirrai, me acuda! Meu irmão gritava pedindo ajuda e ninguém socorreu” – disse a irmã do catraieiro, Maria Enilda de Souza que confessou que Edilson havia ingerido bebida alcoólica durante a tarde.

Desde a hora do ocorrido, uma equipe do Corpo de Bombeiros está em missão na tentativa de encontrar corpo. Dois mergulhadores vasculham o fundo do rio em uma extensão de 250 metros. No entanto, as buscas se tornam difíceis em razão de vários fatores.

“A água turva impede a visibilidade e os balseiros dificultam os trabalhos dos mergulhadores. Além disso, a correnteza forte pode ter levado o corpo a uma distância de quilômetros e assim se torna difícil encontrar” – alegou o comandante da missão Sargento Lima.

Enquanto isso, familiares aguardam com ansiedade na beira da praia na esperança de ver Edilson pela última vez e providenciar o sepultamento. “Não posso imaginar que meu irmão se foi para sempre e não vamos puder ver nem o corpo” – lamentou a irmã.

De acordo com o Corpo de Bombeiros, as buscas no fundo do rio devem se encerrar na tarde de hoje. Mas, caso a vítima não seja encontrada, a equipe vai se manter em vigilância na tentativa de encontrar o corpo submerso. “Pedimos até aos ribeirinhos que fiquem atentos e se alguém ver o corpo, avise” - alertou o sargento Lima.

Nenhum comentário: