sexta-feira, 18 de junho de 2010

Deputado Ilderlei Cordeiro justifica decisão não concorrer à reeleição


O deputado federal Ilderlei Cordeiro (PPS) anunciou nesta quinta-feira, 17, em Cruzeiro do Sul, que não será candidato nas eleições deste ano. Durante uma entrevista coletiva concedida na residência da família, o parlamentar explicou os motivos, pelos quais, resolveu desistir de concorrer à reeleição. Segundo ele, a falta de organização entre os partidos que compõem o bloco de oposição à Frente Popular, foi fundamental para sua decisão.


O deputado federal Ilderlei Cordeiro (PPS) anunciou nesta quinta-feira, 17, em Cruzeiro do Sul, que não será candidato nas eleições deste ano. Durante uma entrevista coletiva concedida na residência da família, o parlamentar explicou os motivos, pelos quais, resolveu desistir de concorrer à reeleição. Segundo ele, a falta de organização entre os partidos que compõem o bloco de oposição à Frente Popular, foi fundamental para sua decisão. Ilderlei não deixou claro de que lado deve ficar na campanha, mas defendeu os investimentos realizados pelo Governo em todos os municípios do Estado.

Para justificar sua decisão, o deputado alegou ter sido o único parlamentar do Acre, das oposições ao Governo do Estado e ao Governo Federal, que em Brasília teve coerência em aprovar o que foi de interesse da população e ao mesmo tempo de entrar nos debates mais importantes que vieram à tona no Congresso Nacional. “Outros dizem que são oposição, mas chegam em Brasília e ficam agarrados no atual Governo” – declarou.

Aliada a essa falta de coerência dos parlamentares, Ilderlei afirmou que não viu os partidos que fazem criticas ao Governo do Estado se organizarem e apresentarem projetos políticos para concorrer as eleições, tão pouco, que apontem soluções para os problemas enfrentados pela população acreana. Em tom de crítica o deputado deu o seguinte depoimento sobre a falta de acertos entres os partidos que galgam na oposição.

“Quando a gente não encontra grupos que possa se empolgar, se animar cada vez mais e buscar projetos que beneficiem nossa população, a gente toma decisões como essa. Infelizmente, olhei para um lado e para o outro, procurei projetos e planejamento para que pudéssemos ganhar a eleição e está junto com a população unindo os partidos que dizem que são oposição, não consegui achar. Porque um grupo que não sabe nem sequer se planejar para montar a chapa de deputado estadual, nem de federal que possam dá sustentabilidade ao governo desse grupo que possa vencer a eleição, não é possível aceitar.

Digo isso e provo. Porque no meu próprio partido, fui um que corri atrás para tentar organizar as chapas de estadual e federal, mas enquanto eu tentava organizar esses nomes, outros tentavam desarticular essas candidaturas. Então dentro do nosso próprio grupo você ver pessoas desarticulando de desanimando.

Aí você olha dentro do PMN só tinha um candidato a deputado federal, agora, depois que saiu para o Senado, apareceram dois e esses a gente não consegue ver, só dizem que tem. No Democrata ninguém ver um candidato. No PSC só tem uma candidata e todo mundo sabe quem é. No PSDB só aparece um nome também e a gente vai procurar saber quem são esses candidatos, o potencial de trabalho que esses nomes têm para conquistar votos para fortalecer a chapa de federal, infelizmente não consegue”


O parlamentar também foi incisivo ao expressar sua opinião sobre o recuo do PMDB com a candidatura do vereador Rodrigo Pinto (PMDB de Rio Branco) para a disputa ao governo. “Para minha surpresa, em cima da hora, que eu nem pensava que isso ia acontecer, mas aconteceu. O PMDB corta a candidatura de governador, numa atitude irresponsável, porque como é que você toma uma decisão daquela sem nem ouvir o pré-candidato ao governo para puder discutir um projeto da oposição para o futuro. E aí, para quê trazer o PMDB para o lado dos outros partidos, se não apresenta nomes para deputado federal?, com o quadro que já tínhamos só fazíamos dois deputados e com a vinda do PMDB, só fazíamos os mesmos dois. Então, trazer o PMDB pra quê?” – questionou Ilderlei.

O Parlamentar assegurou que ainda não tomou decisões sobres seu futuro político e que para isso deve ouvir seus assessores e a família. Entretanto, elogiou o trabalho do Governo do Estado e a organização dos partidos que dão sustentação ao projeto político da Frente Popular.

“Esse governo tem feito muitas obras em todo Estado e sei que contribui para isso. São as obras da ponte sobre o Juruá, os investimentos na saúde, o estádio de futebol que inclusive tem emenda de minha autoria, os serviços de pavimentação da BR 364 que estão sendo concluídos e outros investimentos que estão sendo realizados e que sabemos que tivemos nossa parcela de contribuição. Mas, isso ainda não significa que vou apoiar o governo. Tenho que ouvir as pessoas para tomar a decisão que seja melhor para a população de nosso estado. Só sei que vou continuar trabalhando até o último dia do meu mandato para trazer os projetos que contribuem com o desenvolvimento de todos os municípios ” – garantiu.


Nenhum comentário: