quinta-feira, 17 de junho de 2010

Prefeitura de Cruzeiro do Sul quer reduzir a produção de lixo e todo tipo de poluição na cidade


A Secretaria de Meio Ambiente e a Secretaria de obras de Cruzeiro do Sul são responsável pela limpeza da cidade. O município que ainda não possui aterro sanitário produz por mês 20.724 toneladas de lixo. Para reduzir essa quantidade de lixo produzido e evitar a poluição na cidade, a prefeitura, em parceria com outras instituições, está desenvolvendo campanhas de conscientização que se estendem até o mês de setembro.


A Secretaria de Meio Ambiente e a Secretaria de obras de Cruzeiro do Sul são responsável pela limpeza da cidade. O município que ainda não possui aterro sanitário produz por mês 20.724 toneladas de lixo. Para reduzir essa quantidade de lixo produzido e evitar a poluição na cidade, a prefeitura, em parceria com outras instituições, está desenvolvendo campanhas de conscientização que se estendem até o mês de setembro.

Por mês o município de Cruzeiro do Sul gasta com limpeza pública R$ 207.874,05 e recolhe 20.724 toneladas de lixo. Oito caminhões de lixo realizam a coleta de domingo a domingo na cidade, além de possuir caminhões que fazem a coleta de ossos nos açougues e restaurantes. O serviço de limpeza é feito por 128 pessoas.

Segundo o chefe do departamento de limpeza pública, Amauri Barbosa, o gasto com a limpeza da cidade é grande. “Para se ter uma idéia dividindo o valor gasto com limpeza pelas toneladas de lixo, cada tonelada sai a R$10,03. Além de recolher o lixo doméstico, nós fazemos o serviço de capinagem, varrição e agora vamos montar uma equipe de pintura para pintar as ruas”.

No centro da cidade os números são mais altos do que nós outros bairros. São recolhidos por dia mais de cinco toneladas de lixo. De acordo com a chefe do departamento de controle ambiental, Francisca Rodrigues, nós produzimos mais lixo do que alimentos. “Não se produz cinco toneladas de alimento por dia, porque a produção é feita por safra e dividindo a safra não dá cinco toneladas por dia. Você percebe que como tem um acumulo de pessoas no centro da cidade consecutivamente o volume de lixo aumenta”.

O lixo é coletado nos bairros de segunda a sábado, o dia todo, e aos domingos pela manhã. Nas avenidas a coleta é feita de noite. “É importante a colaboração das pessoas a respeito do horário da coleta. Faça chuva ou faça sol, nós estamos recolhendo. É difícil porque é gasto bastante dinheiro e não há uma grande arrecadação na cidade na questão do lixo. É a primeira a vez que está sendo cobrada a taxa de lixo da população e as pessoas ainda não querem contribuir, mas querem uma cidade limpa. Nós temos que pagar aquilo que nós produzimos para que alguém recolha e funcione corretamente” – explica Amauri Barbosa.

Educação ambiental começa no seu quintal

Para resolver a questão de educação ambiental na cidade, a Secretaria do Meio Ambiente em parceria com o IBAMA, Ministério Público Estadual, IMAC, Secretária Municipal de Educação, Corpo de Bombeiros, Secretaria Municipal de Obras, AMAJ e a Imprensa, está realizando, no período de 21 de maio a 5 de setembro, um projeto para conscientizar a população sobre a preservação do meio ambiente.

O projeto que tem como slogan “Educação ambiental começa no seu quintal”, envolve alunos das escolas estaduais e municipais e também contará com palestras para toda a população sobre como preservar o meio ambiente. Desde o processo de reciclagem até evitar queimadas urbanas.

“Não precisa queimar as folhas ou o capim quando você limpa o seu quintal, os caminhões recolhem todos os resíduos. Só precisamos ficar atentos ao calendário da coleta porque os cachorros, ou as próprias pessoas mexem no lixo e deixam as ruas sujas. Como 95% das pessoas aqui moram em casas, os resíduos de comida podem ser reaproveitados como adubo, isso serve para reduzir o acumulo de lixo na nossa cidade ou mesmo quando for recolhido que haja a separação do reciclável do orgânico porque facilita o processo de reaproveitamento, mesmo que não seja ordenado, mas existem pessoas que fazem esse processo para a sua sobrevivência” explica a chefe do departamento de controle ambiental.

No município ainda não existe o processo de reciclagem, mas nos dias 28 a 30 de junho serão realizadas palestras explicando como deve ser feita a separação do lixo. Outro investimento feito para redução do lixo são as sacolas retornáveis para que haja a diminuição de sacolas plásticas.

Poluição da Água

Outro ponto que a Secretaria do Meio Ambiente também vem se preocupado bastante é a poluição da água. Como o Cruzeiro do Sul foi construída em uma área de muitos mananciais, muitos igarapés desaguam no rio Juruá. Com a poluição desses igarapés o rio poderá se tornar impróprio para a atividade pesqueira

“A base da alimentação da região vem da atividade pesqueira, então como aproveitar essa conscientização para que também resolva a questão de lançamentos de resíduos sólidos nesses igarapés: construa fossas sépticas para que elas não cheguem aos igarapés. Não é porque todo mundo joga que você tem que jogar, cada um tem que assumir a sua responsabilidade. Como cuidarmos do nosso planeta: Cuidando do nosso próprio quintal, cuidando do nosso próprio espaço” - alerta Francisca.

Poluição Sonora

A respeito da poluição sonora a Secretaria de Meio Ambiente irá fiscalizar os carros volantes que circulam na cidade.

“Se você vê algum carro ou algum lugar que esteja excedendo o limite de barulho permitido, pode entrar em contato com a Secretaria de Meio Ambiente, ou a Polícia Militar, ou com o IMAC em horário comercial. No caso se for um carro anota a placa e passa para o atendente” – conclui Francisca Rodrigues.

Kattiúcia Silveira


Nenhum comentário: