quinta-feira, 22 de julho de 2010

Balsa de combustível alaga canoas e por pouco não causa tragédia


Uma das balsas responsáveis pelo transporte de combustível da Petrobrás tentou atracar às margens da praia no bairro da Várzea, na tarde da última quarta-feira (21) para realizar a retirada do combustível e acabou alagando mais de 15 canoas, além de deixar submerso um bote e um motor depois que passou por cima da pequena embarcação.


Depois de manobra incorreta, balsa que transporta combustível acaba alagando mais de 15 canoas e deixando submersos um bote e um motor

Uma das balsas responsáveis pelo transporte de combustível da Petrobrás tentou atracar às margens da praia no bairro da Várzea, na tarde da última quarta-feira (21) para realizar a retirada do combustível e acabou alagando mais de 15 canoas, além de deixar submerso um bote e um motor depois que passou por cima da pequena embarcação. No momento, todas as canoas estavam sem nenhuma pessoa dentro, caso contrário uma grande tragédia poderia ter acontecido, devido a grande força exercida pelos rebocadores, que atrai tudo que está por perto.

Para que a balsa chegue até a margem da praia é realizada a escavação no local, com um rebocador na frente e dois atrás, exercendo uma grande força sobre as águas e atraindo as pequenas embarcações. A força foi tão intensa que quebrou até mesmo cabos que seguravam as pequenas embarcações.

Edmilson de Matos era um dos catraieiros que estava no local no momento do acidente e segundo ele as embarcações foram arrastadas mais de 30 metros pela balsa e se alguém estivesse dentro de uma, não teria saído com vida.

“Eles saíram arrastando as balsas por mais de 30 metros, a gente ainda avisou que eles deveriam ir por outro local, mas não deram importância para o que a gente falou. Se tivesse uma pessoa dentro das canoas tinha morrido, porque o rebocador puxa tudo, e não tinha como sair.” disse o catraieiro

Segundo Elenildo Souza, presidente da Colônia de Pescadores de Cruzeiro do Sul, a forma como a balsa realiza o desembarque do combustível é incorreta, pois dessa maneira está mudando o percurso da praia, eles realizam uma escavação para chegar até a margem do rio. Elenildo disse que vai conversar mais uma vez com as pessoas responsáveis pelo transporte do combustível, caso continuem realizando o trabalho da mesma maneira,vai denunciar para os órgão competentes tomarem as medidas corretas.

“ Eles estão realizando a retirada desse combustível de uma maneira totalmente incorreta, que além de está colocando em risco a vida das pessoas, ainda está provocando danos ao meio ambiente. Vamos conversa com as pessoas responsáveis e se nada mudar teremos que denunciar o caso aos órgão competentes” falou o presidente da Colônia de Pesca.

Nenhum comentário: