quarta-feira, 7 de julho de 2010

Educação de qualidade: Acre fica entre os 10 melhores estados no índice do MEC


O Acre está entre os 10 Estados com os melhores resultados no Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb). Os números foram apresentados na manhã desta terça-feira, 6, pela secretária de Educação Maria Corrêa, em entrevista coletiva. Os dados foram repassados aos Estados na última segunda-feira, 5, pelo Ministério da Educação (MEC). O Ideb é um indicador que mostra um retrato de como está a educação no país.


Escrito por Ernani Baracho e Mariama Morena

"A educação só mudou porque ela virou um valor para os acreanos", afirmou Binho sobre resultados que revelam evolução em todos os níveis de ensino

O Acre está entre os 10 Estados com os melhores resultados no Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb). Os números foram apresentados na manhã desta terça-feira, 6, pela secretária de Educação Maria Corrêa, em entrevista coletiva. Os dados foram repassados aos Estados na última segunda-feira, 5, pelo Ministério da Educação (MEC). O Ideb é um indicador que mostra um retrato de como está a educação no país.

O Acre mais uma vez foi aprovado com louvor, superando todas as metas estabelecidas para 2009 na avaliação do ensino da rede pública. Na primeira etapa do ensino fundamental (5ª ano), obteve 4,5, nota prevista apenas para 2013, o mesmo ocorrendo no Ensino Médio, com 3,5. Na nota de 5ª a 8ª foi de 4,1, acima da média projetada para 2011, que é de 4,0

Na avaliação do 5º do ano da rede estadual, o Acre saiu do 15º lugar obtido na edição 2007 do exame, para a décima colocação, tendo o município de Brasiléia alcançado a maior média entre os municípios com nota 5,2, seguido de Rio Branco, com 4,8 e Senador Guiomard (4,7). O destaque do Ideb no âmbito do ensino municipal fica por conta de Manoel Urbano, que saiu de 1,8 em 2005, para 4,0. A capital manteve a primeira colocação com nota 5,0, acompanhada de perto pelos municípios de Senador Guiomard (4,7) e Brasiléia (4,6).

"O resultado do Acre é surpreendente. Surpreendeu o MEC, surpreendeu muita gente". A declaração do governador Binho Marques revela o salto de qualidade obtido pela educação do Acre nos últimos doze anos após esforço que, como ele costuma dizer, envolveu muita gente e agora mostra os resultados: o Ideb do Acre está cada vez mais entre os melhores do País. Binho fez agradecimentos especiais aos pais, professores e alunos: "Hoje as escolas são ambientes agradáveis, os pais cobram mais e os alunos gostam de ir para a escola. A educação virou uma paixão dos acreanos".

Para a secretária de Educação, os bons índices do Acre são resultado do esforço da comunidade escolar e dos investimentos em educação que se consolidam como política pública prioritária neste Governo. O que fez o Acre sair entre os últimos lugares no ranking nacional da educação, para hoje estar entre os 10 primeiros do país. "É o melhor resultado que nós tivemos nos últimos 12 anos. E mostra uma política de educação em curso que está se consolidando e está no caminho certo. Se até aqui conseguimos essas mudanças, eu não tenho dúvida de que continuando com esse projeto, o Acre irá superar antecipadamente as metas que o MEC coloca para 2021", avaliou.

São investimentos como a formação continuada de professores das redes estadual e municipal, e a formação superior de docentes que impulsionam o bom desempenho. O Acre será o primeiro estado do Brasil a ter 100% dos professores da rede pública com curso superior, graças a uma parceria firmada entre Governo do Estado e Universidade de Brasília. A prática de regime de colaboração através do ProAcre e Pró-Município também são ações que fomentam a melhoria educacional e algumas das muitas iniciativas para a evolução do Acre na Prova Brasil. Investimentos que levam professores e sala de aula para todos os municípios do Estado e até para os lugares mais isolados, como acontece com o projeto Asas da Florestania Infantil ao possibilitar o ensino às crianças de 4 e 5 anos de idade, mesmo que morem muito distante das margens dos rios, atendendo também o ensino fundamental e médio.

Para se ter uma ideia do bom desempenho do Acre, cerca de 45% das escolas de 5ª série obtiveram índices superiores ao do Brasil no resultado. E 4 escolas obtiveram Ideb maior que 6,0 previsto para ser alcançado apenas em 2021: Luiz de Carvalho Fontenelle (6.5), Neutel Maia (6.2), Samuel Barreira (6.1) e a Escola Rural Monte Castelo (6.1).

A Escola de Ensino Fundamental Luiz de Carvalho Fontenelle, a melhor do Acre no Índice, fica localizada no Bairro da Alegria, em Rio Branco. No índice anterior a unidade tinha tirado nota 4,9. Para a coordenadora de ensino, Socorro Melo, o avanço da escola se deve ao trabalho focado em leitura e escrita, além de muito comprometimento de todos. "Visualizamos um acompanhamento diário do aluno. O que nos faz avançar é a avaliação diagnóstica que fazemos para identificar as necessidades de cada criança".

Professora há 17 anos na Luiz de Carvalho, Anatalícia Pinto, avalia que o sucesso na avaliação do Ideb deve-se ao trabalho coletivo dos professores na busca pela identificação das dificuldades dos alunos. "Atribuo ao diagnóstico inicial este resultado. Ensinamos matemática relacionada ao cotidiano do aluno, trazendo o mundo real para o mundo do conhecimento", explica Anatalícia.

Durante coletiva, a secretária de Educação ressaltou o empenho dos profissionais nas escolas e alertou: o bom resultado do Acre não pode ser motivo para acomodação. "Não podemos relaxar. Alcançar melhores índices deve continuar sendo nosso desafio", finalizou Maria Corrêa.


''Hoje as escolas são ambientes agradáveis, os pais cobram mais e os alunos gostam de ir para a escola. A educação virou uma paixão dos acreanos''.
Binho Marques, Governador

"A educação melhorou porque o Acre está melhorando", afirma Binho

O governador Binho Marques acredita que o acreano tem muito o que comemorar com os resultados apresentados pelo MEC. Isso porque mostram que o Estado está melhorando como um todo e o bom desempenho na educação é um reflexo disso.
"Não se consegue melhorar a educação da escola se há investimento só na escola. Tem que ter envolvimento de toda a sociedade. O Acre teve investimento numa rede pública de comunicação, em uma escola de música, em ambiente para leitura - as nossas Bibliotecas estão entre as melhores do Brasil. Ou seja, a melhoria da educação do nosso Estado é porque o Acre também está melhorando", avaliou.

Binho parabenizou professores, diretores de escola, pais e alunos. "Porque esse resultado é uma mudança que acontece só quando isso vira um movimento. Os pais hoje se preocupam com a educação dos filhos, cobram mais, e os alunos começaram a gostar mais de estudar, o que não se via antes. A educação só mudou porque ela virou um valor para os acreanos. E nós não paramos aqui. A gente vai continuar no mesmo ritmo, intenso, para que o Acre continue melhorando".

Para o governador, a próxima etapa é intensificar ainda mais a formação e qualificação dos professores, a informatização e o acesso aos dados da Internet nas escolas, para que o resultado seja ainda melhor nas próximas avaliações.

"Nós temos pela frente um projeto de desenvolvimento sustentável que não é simples. É um trabalho complexo, que pretende fazer com que toda a população possa viver com qualidade de vida. E isso só é possível quando a educação for de qualidade".

O que é o Ideb?

O Ideb (Índice de Desenvolvimento da Educação Básica) é a nota do ensino básico e foi criado em 2007 com duas funções principais: a primeira é apontar o diagnóstico da qualidade do ensino brasileiro e a outra é mostrar quem precisa de mais atenção para se desenvolver, recebendo mais recursos financeiros, tecnológicos e pedagógicos do Ministério da Educação. Os municípios que receberem as notas mais baixas terão prioridades. A escala do MEC vai de 0 a 10 e a média estipulada como objetivo a ser alcançado em todo o país até 2021 é 6 pontos. O índice é divulgado a cada dois anos.

Como é calculado?

O Ideb é calculado a partir de dois componentes: taxa de rendimento escolar (aprovação) e médias de desempenho nos exames padronizados aplicados pelo Inep. Os índices de aprovação são obtidos a partir do Censo Escolar, realizado anualmente pelo Inep. As médias de desempenho utilizadas são as da Prova Brasil (para Idebs de escolas e municípios) e do Saeb (no caso dos Idebs dos estados e nacional).

Nenhum comentário: