sábado, 4 de setembro de 2010

Complexo Materno-Infantil de Cruzeiro do Sul: referência para a saúde da mãe e do bebê no Juruá

Acompanhado de técnicos, gestores e envolvidos na questão da saúde pública, Binho visitou as obras do Complexo Materno-Infantil de Cruzeiro do Sul, que também estão em ritmo adequado. O hospital terá 93 leitos e área total é de 4,7 mil metros quadrados.
Acompanhado de técnicos, gestores e envolvidos na questão da saúde pública, Binho visitou as obras do Complexo Materno-Infantil de Cruzeiro do Sul, que também estão em ritmo adequado. O hospital terá 93 leitos e área total é de 4,7 mil metros quadrados.

Os espaços são constituídos de sete consultórios, 4 leitos para parto cirúrgico, 5 leitos de pré e pós parto, 1 leito para parto normal, 5 salas de observação, 6 salas de exame, 4 leitos para recuperação de pós-anestésico, 2 leitos UTI materna, 9 leitos de UTI neonatal, 1 leito UTI isolamento, 4 leitos mãe coruja, 23 leitos para alojamento conjunto, 10 leitos de enfermaria, 1 leito de enfermaria de isolamento, e 11 leitos de enfermaria pediátrica. Sua construção tem custo estimado em cerca de R$ 4 milhões. Os recursos são provenientes do Tesouro Estadual e do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES III). Em equipamentos, devem ser investidos pelo menos R$ 2,4 milhões.

Devido às adequações que visam melhorar o projeto, a obra deve ser entregue no próximo mês de novembro. Será referência para todo o Vale do Juruá e municípios de outros Estados, como Guajará, no Amazonas, de onde chega demanda para atendimento em saúde no Acre. O CMI fica no antigo hospital Geral do município, próximo ao centro de Cruzeiro, e quando concluído terá ampliação da capacidade do atendimento especializado, o que diminui a necessidade de transferência de mães e crianças para Rio Branco, contando com UTI neonatal com 10 leitos, cinco centros cirúrgicos. Segue os padrões da maternidade de Rio Branco mas tem alguns diferenciais importantes.

O Acre, conforme destacou o governador, avançou substancialmente no enfrentamento à mortalidade infantil. Em 1999 a mortalidade era de 37 crianças para cada mil nascidos vivos; em 2006 caiu para 20,5 e em 2008 para 17,6, tirando o Estado da faixa de alto risco. A política de saúde do governo Binho Marques prioriza os serviços voltados para o atendimento de mulheres e crianças. Um dos destaques é o Plano Vida, um investimento do governo do na melhoria da qualidade do pré-natal e primeiro ano de vida da criança, através do repasse às prefeituras de até R$ 80 por cada mulher grávida que realize o pré-natal de forma adequada, com o devido acompanhamento por parte do sistema de saúde. O sistema público de saúde realiza 95% de todos os partos realizados no Acre.
"É uma grande alegria para mim e meus colegas de trabalho, ver esta obra. Eu ainda me lembro da primeira vez que o governador visitou nossa unidade; foi quando ele prometeu que iria fazer aqui um hospital materno-infantil e está aí a prova. Estamos todos felizes e ansiosos esperando pela inauguração", afirmou Odete Lima, técnica de enfermagem que há 22 anos trabalha na maternidade de Cruzeiro do Sul.

"A obra está ficando melhor do que esperávamos. As mulheres do Juruá serão bem atendidas aqui. A gente vai ter uma sala especializada para receber os recém-nascidos. Também teremos um setor de pediatria para atendimento às crianças. E ainda teremos uma UTI materna, para aquelas mães que tiverem uma intercorrência no parto", disse Fabiana Ricardo, gerente-geral da maternidade.

O Governo do Estado alugou um espaço para assegurar atendimento de qualidade para mulheres e crianças da região. De acordo com Fabiana, estão sendo realizados média de 200 partos naquela unidade.

Integralidade é o diferencial

De acordo com o secretário de Estado da Saúde, Osvaldo Leal, o atendimento integral à saúde da mãe e do bebê é o diferencial proposto pelo Complexo Materno-Infantil de Cruzeiro do Sul. Atualmente, modalidades de serviços típicos desse sistema são feitos separados, mas no CMI tanto a mulher quanto a criança encontrarão na mesma unidade os serviços que precisam. "Vai ser, sem dúvida a melhor do Acre", disse o governador.

Quando concluído, o Acre contará com dois hospitais de referência no atendimento materno-infantil, em Rio Branco e Cruzeiro do Sul. Uma das preocupações do governo é garantir a identidade do Vale do Juruá. No final do ano, o Estado terá o sistema completo para atendimento em saúde, culminando com coordenação de rede no Hospital das Clínicas do Acre [antiga Fundhacre] que vai dar assistência aos hospitais regionais.
Escrito por Edmilson Ferreira
Fotos: Gleilson Miranda/Secom

Nenhum comentário: