quinta-feira, 9 de setembro de 2010

Bocalom visita Cruzeiro e Petecão, Sena Madureira.

O candidato a Governo da Coligação Liberdade e Produzir para Empregar, Tião Bocalom(PSDB), voltou a Cruzeiro do Sul esta quinta-feira((9)para mais um contato direto com a população da capital do Juruá.Logo cedo pela manhã, Bocalom esteve no comércio local ,onde teve a oportunidade de falar com milhares de pessoas e expressar seu agradecimento pela receptividade que sua candidatura vem recebendo nesta reta final de campanha.
O candidato a Governo da Coligação Liberdade e Produzir para Empregar, Tião Bocalom(PSDB), voltou a Cruzeiro do Sul esta quinta-feira((9)para mais um contato direto com a população da capital do Juruá.Logo cedo pela manhã, Bocalom esteve no comércio local ,onde teve a oportunidade de falar com milhares de pessoas e expressar seu agradecimento pela receptividade que sua candidatura vem recebendo nesta reta final de campanha.Para o candidato, nada é mais compensador que a aceitação que a mensagem da oposição vem recebendo junto ao povo em geral, ”que tem manifestado o desejo claro de mudar e voltar a produzir”.Aliás, a proposta de retomada da produção,segundo o candidato, é a que vem tendo a maior ressonância, principalmente junto a juventude,que vê na produção rural uma forma de criar emprego e gerar renda.

Bocalom disse que o Juruá é uma das prioridades de seu Governo pela importância econômica, política e social que a região representa em todo o Estado. É no Juruá onde o candidato pretende, caso eleito, concentrar seu esforço de retomada da produção rural de gêneros de primeira necessidade como arroz, feijão e milho,que hoje estão sendo comprados a preços absurdos no Sul, Sudeste e Centro-Oeste do Brasil. De acordo com o candidato, a falta de uma política agrícola que garantisse a distribuição de sementes, a assistência técnica , o preço mínimo e a manutenção dos ramais para distribuição da produção fez com que muitos produtores rurais deixassem o ramo e fossem tentar outra ocupação. Com isto, disse Bocalom, o abandono do meio rural encareceu produtos e deixou o Acre numa dependência extrema principalmente de Rondônia, que passou a concentrar não só o comércio , mas também o transporte dos produtos essenciais para os acreanos.

Em Cruzeiro, Bocalom afirmou que a BR 364 terá a prioridade que merece como elo de integração definitiva com o resto do Brasil, ”e não como peça de manipulação e chantagem política”. Em sua visita ao mercado municipal, Bocalom falou que vai desenvolver uma política de desburocratização, desoneração e facilitação da vida dos pequenos comerciantes e micro empresas em geral.O objetivo, conforme o candidato, é estimular a criação de novas empresas genuinamente acreanas que possam criar postos de trabalho, aumentar a circulação de riquezas e a própria arrecadação local.

Em seguida, ao meio-dia Bocalom concedeu uma entrevista especial a uma estação de rádio local onde felicitou a região pela realização da Expo-Juruá. Uma iniciativa, segundo ele, que tem tudo a ver com o espírito empreendedor que pretende imprimir em seu futuro Governo.

Petecão

Dando continuidade a série de visitas que vem realizando em todos os municípios do Estado, o candidato a Senado Federal, Sérgio Petecão(PMN), esteve esta quarta-feira em Sena Madureira para diversas reuniões com lideranças, aliados e simpatizantes de sua candidatura. Sena, aliás, é um dos municípios-chave para qualquer candidatura majoritária por sua importância político eleitoral e o papel que o município desenvolve na economia acreana. Em todas as reuniões e palestras, Petecão tem dito que pretende ser o senador independente, de todos os acreanos, sem distinção político-partidária. E garantiu que vai continuar canalizando recursos para Acre, como vem fazendo como deputado federal , para melhorar a qualidade de vida no Estado.”Como senador da República meu compromisso vai continuar sendo com os 22 municípios acreanos e sua população”, resumiu.

Petecão voltou a alertar para que a população vote em candidatos com identidade própria e ação política definida,”do contrário se corre o perigo de votar em pessoas manipuladas pelos poderosos”.E voltou a defender a escolha de nomes que tenham o reconhecimento e prestígio político junto á população,” e não de pessoas que queiram se eleger na garupa dos famosos”. Ele lembrou ainda que o Acre já teve esta experiência que, politicamente, “não rendeu os frutos esperados, muito pelo contrário”. E disse que um senador da oposição em Brasília vai servir de equilíbrio ao conjunto de forças políticas do Estado, até mesmo para reforçar o jogo democrático e consolidar os novos grupos políticos atuantes.”É sempre bom ter dois lados para saber o que escolher e com quem anda a verdade”.

Nenhum comentário: