sexta-feira, 10 de setembro de 2010

Núcleo Móvel de Tecnologias da Embrapa capacita produtores na Expojuruá

Agricultores familiares, profissionais do ramo da panificação, donas de casa, representantes de associações rurais e pequenos empresários do setor de alimentação de diversos municípios do Vale do Juruá estão aprendendo como preparar produtos derivados da mandioca e do leite.
Agricultores familiares, profissionais do ramo da panificação, donas de casa, representantes de associações rurais e pequenos empresários do setor de alimentação de diversos municípios do Vale do Juruá estão aprendendo como preparar produtos derivados da mandioca e do leite. Eles participam do ciclo de oficinas sobre processamento de alimentos, realizado pela Embrapa Acre, em parceria com o Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar) e Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae), durante a Expojuruá 2010, em Cruzeiro do Sul (AC).

As oficinas acontecem no Núcleo Móvel de Transferência de Tecnologias Agroindustriais (Nutec Móvel), carreta escola equipada com laboratórios, minifecularia, minipadaria e sala de treinamento com cozinha adaptada para atividades de capacitação. O veículo percorreu cerca de 700 quilômetros, de Rio Branco até Cruzeiro do Sul, onde cumprirá uma agenda de treinamentos, no período de 9 a 12 de setembro, com 12 oficinas sobre as tecnologias desenvolvidas pela Embrapa para o processamento de alimentos.

O Nutec Móvel é uma alternativa encontrada pela Embrapa Acre, Unidade da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária, vinculada ao Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), para atender as demandas tecnológicas das comunidades rurais do interior do Estado. Até domingo (12) diversos públicos vão aprender técnicas de elaboração de alimentos, subprodutos da mandioca e do leite. As oficinas também abordam as boas práticas no processamento de alimento, requisito essencial para garantir a qualidade alimentar e a saúde do consumidor. As atividades de capacitação acontecem das 8h às 21h, na sala de treinamento do Nutec Móvel, instalado junto ao estande da Embrapa, no espaço da Feira.

O pesquisador da Embrapa Mandioca e Fruticultura (Cruz das Almas/BA) e o chef de cozinha Layr Marins, parceiro nas iniciativas com receitas de mandioca, vão ensinar os segredos da fabricação de pão à base de fécula de mandioca e castanha-do-brasil, famosos beijus coloridos, pizza de mandioca (pizzaioca), o peti gaioca (versão brasileira da sobremesa francesa peti gateou) e outros subprodutos da raiz mais consumida no Brasil.

Durante a Feira, a Embrapa Acre também apresenta as tecnologias desenvolvidas para as culturas da banana, café e pecuária leiteira, além das pesquisas que embasaram o processo de indicação geográfica da farinha de mandioca de Cruzeiro do Sul, produto conhecido nacionalmente pela sua qualidade e pelo modo tradicional de fabricação.
A Expojuruá é um evento anual que reúne expositores de diversos municípios do Vale do Juruá, da capital acriana e países vizinhos, apresentando as novidades dos setores agrícola, pecuário e florestal, culinária, artesanato e cultura. O evento, realizado pelo governo do estado e diversos parceiros, gera oportunidades de negócios e movimenta a economia local.

Pão com fécula

Um dos temas mais procurados pelo público das oficinas é a fabricação de pão com fécula de mandioca. A técnica é simples e envolve a substituição parcial do trigo por esse derivado da mandioca. Segundo o pesquisador Joselito Motta, esta alternativa pode mudar a realidade dos produtores que investem no cultivo desta cultura.

O Brasil está entre os maiores consumidores de trigo do mundo, mas importa cerca de 80% do produto, principalmente do Canadá, Estados Unidos e Argentina. “Tecnicamente é viável a substituição de 10% do trigo pela fécula para fabricação do pão francês, considerado o carro-chefe da indústria de panificação. Essa porcentagem pode aumentar para 20 a 30% para os produtos de massa doce como os pães de hambúrguer e cachorro quente, bolachas e biscoitos, e chegar a 40% para as massas de pizza”, explica Motta.

Ainda de acordo com o pesquisador, a adição da fécula de mandioca ao trigo melhora a qualidade do pão, tornando-o mais crocante, consistente, leve e saboroso. Além disso, aumenta o tempo de prateleira do produto. “A inovação representa uma alternativa para baratear os custos de produção de um alimento básico da dieta da população”, diz.

O pão com fécula de mandioca será apresentado ao público durante a Expojuruá. Ao lado de outras delícias da mandioca e do leite, o produto fará parte de uma mesa preparada para degustação, nesta sexta-feira (10), a partir das 20h30. Quem passar pelo estande da Embrapa Acre poderá experimentar, além do pão com fécula de mandioca e castanha-do-brasil, receitas como escondidinho de mandioca com carne seca, pizzaioca, doce de leite e queijo regional.

Texto: Diva Gonçalves (Mtb-0148/AC)
Embrapa Acre
Contato: (68) 3212-3200

Nenhum comentário: