sexta-feira, 8 de janeiro de 2010

Produtos da agricultura familiar vão parar no cardápio de escolas da rede pública



Feijão, banana-comprida, macaxeira, frango e leite pasteurizado. Estes são os produtos da agricultura familiar do Acre que estão entre os itens que compõem o cardápio da merenda escolar dos alunos da rede pública de ensino. E para este ano já está assegurada a entrega de alimentos provenientes das propriedades rurais do Estado. Na primeira chamada de compra foram habilitados 165 produtores para o fornecimento da merenda escolar. O Grupo de Produtores Novo Ideal entrega às escolas a banana-comprida, já os associados do Grupo de Agricultores Ecológicos do Humaitá fornecem a macaxeira, enquanto o leite e o frango são entregues pela Coopel e pela Agroindústria de Aves, respectivamente.


Viviane Teixeira

Primeira chamada de compra direta habilitou 165 produtores para o fornecimento da merenda escolar


Feijão, banana-comprida, macaxeira, frango e leite pasteurizado. Estes são os produtos da agricultura familiar do Acre que estão entre os itens que compõem o cardápio da merenda escolar dos alunos da rede pública de ensino. E para este ano já está assegurada a entrega de alimentos provenientes das propriedades rurais do Estado. Na primeira chamada de compra foram habilitados 165 produtores para o fornecimento da merenda escolar. O Grupo de Produtores Novo Ideal entrega às escolas a banana-comprida, já os associados do Grupo de Agricultores Ecológicos do Humaitá fornecem a macaxeira, enquanto o leite e o frango são entregues pela Coopel e pela Agroindústria de Aves, respectivamente.


A aquisição de gêneros alimentícios diretamente dos produtores familiares para a merenda escolar é uma determinação de lei federal, segundo a qual no mínimo 30% dos recursos repassados pelo Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação deve ser utilizado na compra direta. “Essa ação garante a alimentação saudável e de qualidade para os estudantes, além de fomentar o fortalecimento da agricultura familiar”, ressaltou o secretário de Extensão Agroflorestal e Produção Familiar, Nilton Cosson.

O processo de compra dos produtos da agricultura familiar começou em agosto do ano passado e é coordenado pelo Governo do Estado, através das secretarias de Educação e de Extensão Agroflorestal e Produção Familiar. Até o fim do ano letivo, foram entregues diretamente nas escolas e no armazém de alimentos do Departamento de Programas Complementares da SEE seis mil quilos de feijão, mais de 27 mil litros de leite, 20 mil quilos de frango e aproximadamente seis quilos de banana e de macaxeira.

A quantidade restante dos alimentos que já foi contratada deve ser entregue logo no início do ano letivo. “Esse é apenas o começo. A perspectiva é de que nos próximos cardápios da merenda escolar sejam inseridos mais produtos da agricultura familiar”, completou Cláudia Gomes, da Seaprof.

Laudecesar Ribeiro de Araújo mora no ramal Granada, em Acrelândia, e é uma das produtoras do Grupo Novo Ideal. Ela conta que é importante para a produção familiar a garantia de compra dos produtos. “É um dinheiro que a gente usa para se manter e também estamos ajudando as crianças a terem uma alimentação saudável com produtos da região. Temos muitas expectativas nos resultados desse programa”, afirma.

Os produtores da Associação dos Agricultores Ecológicos do Humaitá também fazem parte do programa Compra Direta. De acordo com o presidente da associação, Valdir Silva, os produtores do Ramal Linha 10 têm vários motivos para continuar trabalhando com garra, em razão da certeza de que os produtores terão mercado e também a segurança de escoamento da produção. “O asfaltamento do nosso ramal, a participação em programas de governo e o nosso trabalho sem o uso do fogo e de agrotóxicos garantem o trabalho diferenciado.”