sexta-feira, 22 de janeiro de 2010

Vagner Sales aposta em emendas extra-orçamentárias para acabar com inundações


O prefeito Vagner Sales acredita que os administradores passados, fechavam os olhos para os problemas, que a Prefeitura de Cruzeiro do Sul tem buscado resolver com recursos próprios. Só em um trecho da Avenida 28 de Setembro, onde as alagações causavam transtornos para boa parte da cidade, as obras de canalização e pavimentação custaram mais de R$ 200 mil.

Com recursos próprios os problemas dos três pontos mais críticos que causavam inundações em Cruzeiro do Sul em dias de fortes chuvas, já foram solucionados.

O prefeito Vagner Sales acredita que os administradores passados, fechavam os olhos para os problemas, que a Prefeitura de Cruzeiro do Sul tem buscado resolver com recursos próprios. Só em um trecho da Avenida 28 de Setembro, onde as alagações causavam transtornos para boa parte da cidade, as obras de canalização e pavimentação custaram mais de R$ 200 mil.

Na Boulevard Thaumaturgo, as inundações em dias de chuva deixavam as ruas intrafegáveis, as obras já estão sendo concluídas. Na Copacabana os moradores também já se sentem aliviados, até a rua já foi pavimentada.

Vagner Sales diz que a situação dos moradores de Bairros como Remanso e Telégrafo é preocupante. Ele afirma que ficou triste, durante uma visita que fez a estes moradores e percebeu que a falta de infra-estrutura tem provocado um ambiente inadequado para muitas famílias viverem. “Sou um prefeito que não fecho os olhos, gosto de vê os problemas e tenho ficado muito triste quando vejo o povo completamente de baixo d’água, a espera de uma solução do poder público. Não estamos parados em relação a esta questão. Já fizemos levantamentos desses problemas e estamos certos de que é preciso construir galerias para a drenagem dessas águas. O que temos são bueiros, colocados em muitas vezes com um metro cúbico de vazão, quando no mínimo seriam necessários três metros”, explica.

Para resolver esses problemas enfrentados pelos moradores, o Prefeito está apostando em um projeto extra-orçamentário que está nas mãos do deputado federal Gladson Cameli (PP-AC). Ele já deu entrada no Ministério das Cidades e existe a promessa do ministro, Marcio Fortes, que até meados desse ano esses recursos que chegam a R$ 6 milhões sejam liberados. “Com esses recursos acredito que vamos resolver esses problemas de uma vez por todas. Vamos lutar, se essas emendas não forem liberadas, nós vamos buscar outra maneira. O que não pode é ficar do jeito que está”, finaliza.

Assessoria- Neto Vitalino

Gladson faz giro pelo interior do Estado


Aproveitando o recesso parlamentar e o vôo inaugural que consolidou a chegada da Trip Linhas Aéreas no Acre, em especial na rota de Cruzeiro do Sul, o deputado Gladson Cameli (PP) continuou viagem por todo o Vale do Juruá (Jordão, Taumaturgo, Mâncio Lima) onde detém algumas de suas mais fortes bases políticas.

Aproveitando o recesso parlamentar e o vôo inaugural que consolidou a chegada da Trip Linhas Aéreas no Acre, em especial na rota de Cruzeiro do Sul, o deputado Gladson Cameli (PP) continuou viagem por todo o Vale do Juruá (Jordão, Taumaturgo, Mâncio Lima) onde detém algumas de suas mais fortes bases políticas.

O objetivo, segundo o deputado, foi estreitar mais ainda o contato com todo o interior para fazer o diagnóstico das necessidades mais urgentes e traduzir este conhecimento em trabalho e resultados práticos em Brasília. ”A visita às bases traz mais combustível e responsabilidade para todo o político que tem realmente compromisso com a população”, disse o parlamentar.

Em seguida, o deputado continuou viagem a Tarauacá e Feijó, onde se encontra atualmente. Nestes municípios ,ele manteve contatos políticos com as lideranças tradicionais e aliados, e vem estimulando z novas filiações a seu partido,o PP, além de encorajar novas lideranças a assumirem uma atuação política mais engajada em suas localidades.Segundo o deputado,a proximidade com o interior dá uma visão mais realista e exata das prioridades locais e o contato direto com a população ajuda também a informar o trabalho parlamentar que é feito em Brasília.Para o deputado,é uma via de duas mãos,”onde todos,tanto o político como o cidadão saem ganhando,já que se conhecem melhor e trabalham com maior conhecimento”.

O deputado pretende correr o Estado inteiro para selecionar e diagnosticar os problemas regionais e a partir daí, elaborar um trabalho voltado especificamente para cada região. De acordo com o parlamentar,apesar do Acre ser considerado um Estado pequeno em relação aos demais,cada uma de suas regiões apresenta características próprias e problemas locais.”Por isto mesmo é preciso conhecer de preferência in loco e trazer respostas que tenham eficácia e utilidade para as populações de cada lugar.No final,o deputado revelou ainda que sua viagem pretende também fortalecer seu partido em todo o Estado,”para que nas próximas eleições o PP saia com o maior número de candidatos e com chances reais de vitória”.

Investimentos públicos e privados alavancam crescimento das cerâmicas no vale do Juruá


As muitas obras executadas pelo Governo do Estado bem como investimentos particulares no Vale do Juruá estão resultando em crescimento econômico para vários setores. Entre eles é visível o crescimento da atividade no setor de cerâmicas. No último verão, as cerâmicas da cidade tiveram dificuldades em atender a demanda por tijolos e muitos clientes tiveram que esperar para ter seus pedidos atendidos.

Por FLAVIANO SCHENEIDER

Empresários apostam na qualificação para aumentar produção e qualidade dos produtos no mercado local

As muitas obras executadas pelo Governo do Estado bem como investimentos particulares no Vale do Juruá estão resultando em crescimento econômico para vários setores. Entre eles é visível o crescimento da atividade no setor de cerâmicas. No último verão, as cerâmicas da cidade tiveram dificuldades em atender a demanda por tijolos e muitos clientes tiveram que esperar para ter seus pedidos atendidos.

Também devido à quantidade de obras executadas foi um desafio encontrar profissionais da construção civil disponíveis. Durante o verão, só com agendamento se conseguia encontrar um pedreiro para pequenas obras.

Há três anos, as oito empresas do ramo em Cruzeiro do Sul resolveram organizar-se através de uma associação, que foi denominada Associação dos Ceramistas do Vale do Juruá (ACJU). Juntos, elas fabricam mensalmente entre 1.400 a 1.500 milheiros de tijolos de três tipos: maciço, de seis furos e o de oito furos, empregando 200 trabalhadores durante o período de inverno e até 400 no período de verão. As cerâmicas de Cruzeiro do Sul atendem ainda as cidades de Guajará (AM), Rodrigues Alves, Porto Walter e Marechal Thaumaturgo.

Segundo o vice-presidente da ACJU, Vilson Correia, as construções de calçadas, de casas populares e as grandes obras - que possibilitaram obtenção de renda suficiente para que muitos trabalhadores pensassem em reformar ou ampliar suas casas - trouxeram dinamismo ao setor de cerâmicas.

O tijolo é caro?

Muita gente reclama que o preço do tijolo em Cruzeiro do Sul é muito alto: R$ 370,00 o milheiro do tijolo de seis furos e de R$ 500,00 o tijolo de oito furos. Vilson, que juntamente com o pai, Sebastião Correia, comanda a Cerâmica Juruá, a maior do vale, explica que há 20 anos o preço do milheiro de tijolo era um salário-mínimo.

Ele conta que no ano passado houve realmente dois aumentos no preço do tijolo, mas eles resultaram do aumento nos preços dos insumos. Segundo disse, em três anos sua conta mensal de energia saltou de R$ 15 mil para R$ 25 mil. A lenha também ficou mais cara. Atualmente o custo do metro de lenha sai por aproximadamente R$ 25,00. "É necessária a queima de dois a três metros de lenha para produzir um milheiro de tijolos", justificou.

Investimentos futuros

Para Vilson o setor precisa se expandir para prevenir a demanda futura. No entanto, o empresário precisa se capitalizar para ter como fazer altos investimentos. E para obter financiamento oficial é preciso que a empresa tenha uma certidão do Departamento Nacional de Produção Mineral (DNPM), o que as empresas de Cruzeiro do Sul ainda não têm.

Para obter esta licença, os ceramistas estão tendo o apoio do Sebrae. Conforme explica a gerente de projetos do Sebrae em Cruzeiro do Sul, Helen Kelma Araújo Chaves, o Sebrae iniciou em 2009 um projeto de apoio às cerâmicas de Cruzeiro do Sul, Feijó, Tarauacá e Mâncio Lima, que deverá se estender até 2011,com objetivo de aumentar a produtividade e lucratividade das empresas.

Várias ações já foram executadas na melhoria do processo produtivo, inclusive com a vinda de um expert no assunto, o consultor Amando Alves, que fez um diagnóstico das cerâmicas locais e fez capacitações abrangendo desde a queima até a secagem, passando pela disposição dos equipamentos dentro da empresa. O Sebrae estuda a possibilidade de trazer o consultor novamente em abril e junho. Em março haverá capacitação sobre controle de estoque.