terça-feira, 23 de fevereiro de 2010

Estudantes da UFAC levam às escolas novos recursos para ensinar matemática


Duas turmas de estudantes da Universidade Federal do Acre apresentaram esta semana o resultado de um trabalho desenvolvido em sala de aula que tem como finalidade atrair os alunos do ensino fundamental para a aprendizagem da matemática. Na manhã de segunda-feira, 22, os universitários levaram os jogos que ele mesmos confeccionaram e servem como recurso didático, para a escola Antônio de Oliveira Dantas, em Mâncio Lima, e nesta terça-feira, 23, os trabalhos foram apresentados aos alunos da Escola Madre Adelgundes Becker, no Bairro Miritizal, em Cruzeiro do Sul.


Duas turmas de estudantes da Universidade Federal do Acre apresentaram esta semana o resultado de um trabalho desenvolvido em sala de aula que tem como finalidade atrair os alunos do ensino fundamental para a aprendizagem da matemática. Na manhã de segunda-feira, 22, os universitários levaram os jogos que ele mesmos confeccionaram e servem como recurso didático, para a escola Antônio de Oliveira Dantas, em Mâncio Lima, e nesta terça-feira, 23, os trabalhos foram apresentados aos alunos da Escola Madre Adelgundes Becker, no Bairro Miritizal, em Cruzeiro do Sul.

Um total de 44 diferentes tipos de jogos foram confeccionados pelos acadêmicos que estão concluindo o curso de Matemática na UFAC através do Programa de capacitação de professores. Eles já lecionam em escolas da zona rural e concluíram neste período de férias das escolas em que trabalham, mais um módulo do curso superior. Os jogos foram desenvolvidos como trabalho escolar e servem como parte da nota de conclusão da disciplina Oficina de Matemática.

Os trabalhos dos estudantes da UFAC despertaram a curiosidade dos alunos das escolas onde foram realizadas as apresentações. Na escola Madre Adelgundes, as crianças prestaram atenção em cada material exposto e se divertiram participarem de brincadeiras aprendendo os números.

O jogo da pescaria foi um dos mais procurados. O estudante da UFAC, Anailson da Silva Francelino explicou, “Aqui eles aprendem as quatro operações da matemática. Cada peixe que eles pescam tem uma pergunta que o aluno tem que responder, se acertar, ganha ponto”.

Além da pescaria os acadêmicos abordaram expressões e outros temas através de jogos de dados, roletas e outros recursos que desenvolvem o raciocínio lógico das crianças. “Estou gostando muito de aprender dessa forma. Seria bom que meu professor de matemática também ensinasse dessa forma que seria muito melhor de aprender” – disse a aluna Antônia Alves de Alves da Silva Costa de 9 anos de idade que cursa o quarto ano do ensino fundamental.

Para o estudante da UFAC, Francisco Albecir Brito da Silva, que também é professor na comunidade Periquito no Rio Liberdade, com a conclusão da disciplina eles voltarão para a sala de aula com mais conhecimentos para dinamizar o processo e ensino aprendizagem. “Nem todos esses recursos eu vou utilizar para ensinar os meus alunos, mas grande maioria e agora sei fazer e aproveitar para desenvolver melhor minhas aulas” – afirmou.

Os jogos que produzidos pelos acadêmicos foram doados para as duas escolas onde os trabalhos foram apresentados. O professor Isaac Dayan Bastos da Silva, que ministrou a disciplina para os universitários, aprovou o resultado dos trabalhos. “O objetivo do material é justamente esse, de atrair os alunos para a escola e garantir que eles aprendem de uma forma mais dinâmica” – disse Isaac.


Prefeitura entre em acordo e cancela demissão de tutores do PETI


Um grupo de 38 professores que trabalham como tutores do PETI – Programa de Erradicação do Trabalho Infantil – procurou o Ministério Público na manhã desta segunda-feira, 21, para buscar apoio contra a demissão que foi anunciada pela prefeitura. Antes de conversar com os promotores, os servidores tiveram a informação de vereadores que haviam chegado a um acordo com o prefeito Vagner Sales que concordou em manter todos os tutores no trabalho até o final de seu mandato.


Um grupo de 38 professores que trabalham como tutores do PETI – Programa de Erradicação do Trabalho Infantil – procurou o Ministério Público na manhã desta segunda-feira, 21, para buscar apoio contra a demissão que foi anunciada pela prefeitura. Antes de conversar com os promotores, os servidores tiveram a informação de vereadores que haviam chegado a um acordo com o prefeito Vagner Sales que concordou em manter todos os tutores no trabalho até o final de seu mandato.

Os professores prestaram concurso para o quadro permanente do município e foram admitidos em 2008 para compor o quadro de tutores do PETI. Na semana passada eles foram surpreendidos pelo anúncio de que a prefeitura havia extrapolado o percentual permitido para pagamento de tutores do Programa do Governo Federal e, por isso, estaria demitindo o grupo.

A notícia caiu como uma bomba para os servidores que pretendiam impetrar uma ação na justiça para evitar a demissão. Com esse objetivo os professores procuraram o Ministério Público com o apoio do Sindicato dos Trabalhadores em Educação. O vice-presidente estadual do sindicato e um assessor jurídico acompanhavam os servidores.

No entanto, antes do grupo adentrar a Promotoria, os vereadores Gilvan Freitas, Luiz do Correio e Francisco Ribeiro, surgiram como mensageiros e informaram o resultado de uma reunião que acabavam ter com o prefeito. “O prefeito nos garantiu que nenhum de vocês será demitido, pelo menos até o final de seu mandato. Para resolver as questões do pagamento de salário, a secretária de assistência social já está em Brasília e tem 99% de chance de ser garantido através do Governo Federal. Caso contrário, o prefeito afirmou que os salários serão pagos pelo município, mas vocês já podem retornar ao trabalho” – disse o presidente.

A informação foi um alívio para os professores que estavam preocupados com a possibilidade de ficarem sem a renda mensal. “Nenhum pai de família fica feliz com a notícia de que vai ficar desempregado e por isso estávamos preocupados e não poderíamos aceitar essa decisão que seria arbitraria, porque prestamos um concurso para o quadro permanente e não havia motivo para nossa demissão. Mas agora ficamos mais tranqüilos com essa garantia de que não vão nos tirar do trabalho” – disse o professor Jailson Oliveira de Souza.

Correios devem ter solução esta semana, afirma Gladson


Em ofício enviado ao gabinete parlamentar de Brasília, a Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos (ECT) confirmou ao deputado Gladson Cameli (PP) a assinatura de contrato para normalização da Linha A10 da Rede Postal Aérea Noturna (RPN), que opera no trecho entre Porto Velho-São Paulo.

Em ofício enviado ao gabinete parlamentar de Brasília, a Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos (ECT) confirmou ao deputado Gladson Cameli (PP) a assinatura de contrato para normalização da Linha A10 da Rede Postal Aérea Noturna (RPN), que opera no trecho entre Porto Velho-São Paulo.

A retomada das operações, que se inicia na próxima sexta-feira(26), deve normalizar o problema de atraso no encaminhamento aéreo das cargas postais do sul, sudeste e centro-oeste destinadas ao Acre.A Linha 10 tem como complemento a Linha 7869-1,que faz o trecho Porto Velho Rio Branco e opera normalmente.”Felizmente,foi retomado o trecho completo e a entrega de cargas e encomenda postal no Acre deve voltar à normalidade”,disse o deputado.

Gladson e Perpetua Almeida (PC do B) estiveram semana passada na Agência Central dos Correios, na capital federal, para solicitar uma solução ao problema do atraso no encaminhamento das cargas e encomendas postais para o Estado. O atraso,inclusive,levou o Ministério Público Federal(MPF)a estabelecer prazo para que os Correios locais tomassem as providências necessárias.

Na reunião da Agência Central,a Diretoria de Operações(Diope) havia informado que por problemas financeiros e até judiciais mais da metade das linhas aéreas que prestavam serviço ao Correios suspenderam seus vôos em todo o país.Para o deputado acreano,a expectativa agora é que o Acre saia do isolamento postal “e que entregas urgentes e de prazo fixado,como boletos de cobrança,cheguem ao destino no tempo certo,sem prejuízo à população”.

Segundo o deputado, a ECT deverá mesmo firmar um convênio com a Força Aérea Brasileira (FAB) para usar aviões da Aeronáutica em casos de emergências, o que garantiria a entrega no prazo sem suspensão de rotas aéreas postais.

A ECT informou ainda que as obras dos Correios paralisadas no Acre deverão ter nova licitação,”cabendo a administração local as providências de praxe”,enquanto que a alegada falta de funcionários deve ser sanada com a realização de concurso público. O deputado aguarda ainda uma resposta a sua solicitação aos Correios de implantação de uma agência com banco postal na Vila Santa Luzia, em Cruzeiro do Sul. ”Uma reivindicação justa que vai beneficiar toda a comunidade local”,resumiu o parlamentar.