domingo, 14 de março de 2010

Agricultor aparecer após 20 dias perdido na floresta



O agricultor Antônio José Firmino da Silva, 28, que estava desaparecido desde o dia 21 de fevereiro, conseguiu sair da floresta nesta sexta-feira, 12. Após 20 dias no meio do mato, comendo palmito e frutas, Tonhão, como é chamado pelos amigos da comunidade Novo Acre aonde mora, chegou à casa de um morador no rio Valparaíso.

O agricultor Antônio José Firmino da Silva, 28, que estava desaparecido desde o dia 21 de fevereiro, conseguiu sair da floresta nesta sexta-feira, 12. Após 20 dias no meio do mato, comendo palmito e frutas, Tonhão, como é chamado pelos amigos da comunidade Novo Acre aonde mora, chegou à casa de um morador no rio Valparaíso.

O agricultor contou que saiu para caçar e se perdeu na densa floresta da comunidade Novo Acre, no rio Liberdade, ao perseguir um bando de porcos. Segundo ele saiu na captura dos animais e conseguiu matar três, mas após tirar o couro dos porcos, tentou pegar o caminho de volta e não encontrou mais.

“Na ida observei que atravessei apenas um igarapé. Quando fui retornar passei pelo mesmo igarapé e mais na frente atravessei outro. Daí, já não encontrei o caminho de volta” –disse Tonhão.

Os amigos ainda realizaram várias buscas na floresta, mas não conseguiram encontrá-lo. Uma turma de moradores da comunidade passou vários dias à procura, efetuou disparos como sinal para tentar localizar o colega, mas ele não chegou a ouvir o alerta.

Tonhão afirmou que nos dois primeiros dias chegou a entrar em desespero, mas não desistiu de buscar a saída e tentou seguir em várias direções. A luz no fim do túnel surgiu no quinto dia quando chegou à margem de outro igarapé e, segundo ele, começou a acreditar que se seguisse a descida da água poderia chegar a alguma comunidade.

Foi assim que o agricultor que levava apenas uma espingarda com um cartucho carregado e uma lanterna, conseguiu chegar a um povoado no rio Valparaíso. Durante todo o tempo ele se alimentou de uma fruta que os povos da floresta chamam de Golosa ou jenipapo, de goiaba do mato e cocão. Para dormir o agricultor afirmou que procurava sempre o tronco de uma árvore. “Tirava umas palha e cercava o tronco para proteger do frio e dos animais, mas não conseguia dormir devido o tanto de carapanã” – disse.

Tonhão afirmou que, durante a aventura, o que mais chamou sua atenção foi à quantidade de animais silvestres que encontrou pelo caminho. “Vi bandos de anta, de porcos, de queixado, jabutis, muitos veados e outros animais. Nunca imaginei que existisse tanta caça como eu encontrei. Mas, ainda bem que não encontrei nenhuma fera. O único animal perigoso que vi foi uma cobra surucucu, mesmo assim eu matei” – afirmou.

Ao chegar à comunidade no Rio Valparaíso, Antônio José foi bem recebido por morador que pediu auxilio ao presidente do Sindicato dos Trabalhadores Rurais. João Nascimento, o Todo Feio, fez o resgate de Tonhão na madrugada de sábado e pela manhã levou o agricultor ao Pronto Socorro para uma avaliação médica. O rapaz chegou à cidade ainda debilitado, com cicatrizes pelo corpo e os pés bastante inchados.
“Agora vou demorar muito tempo para fazer outra caçada, mas preciso ir porque lá quem não caça não come, mas só vou sair para perto de casa” – declarou Tonhão.

Igreja Batista do Bosque comemora um ano de evangelização em Cruzeiro do Sul



O pastor Carlos Mariano e sua esposa Jamile Mariano chegaram a Cruzeiro do Sul no dia 26 de janeiro de 2009, com a missão de implantar a Igreja Batista do Bosque. As primeiras células foram realizadas na área da casa pastoral, onde um pequeno grupo de discípulos se reuniu para realizar as celebrações.

O pastor Carlos Mariano e sua esposa Jamile Mariano chegaram a Cruzeiro do Sul no dia 26 de janeiro de 2009, com a missão de implantar a Igreja Batista do Bosque. As primeiras células foram realizadas na área da casa pastoral, onde um pequeno grupo de discípulos se reuniu para realizar as celebrações.

O Pastor da Igreja Batista do Bosque, Carlos Mariano, explica como são realizadas as reuniões na igreja. “As nossas reuniões são feitas em células. Realizamos nas casas, tem duração de uma hora. Compartilhamos a palavra de Deus e oramos uns pelos outros e por isso que nós temos essa nomenclatura de célula, mas poderia ser um culto no lar, um culto familiar.”

A área da casa pastoral já estava pequena para a realização dos cultos. Então os fiéis da Igreja passaram a se reunir no auditório do hotel Lucca e Samara. A igreja crescia a cada dia e o auditório não tinha mais espaço para todos. Foi então que a Igreja conseguiu um lugar para realizar suas reuniões.
Reformas foram feitas e no dia 19 de dezembro de 2009, foi o grande dia da inauguração. A igreja hoje está localizada na Avenida Coronel Mâncio Lima, com um grande espaço para a realização dos cultos, com programação todas as quartas e domingos às 19h.

Em seu primeiro aniversário a Igreja Batista do Bosque realizou diversas programações para seus fiéis. “Então o aniversário da igreja consolidou realmente e agora nós estamos com uma agenda para 2010, muito abençoada” – afirma o Pastor Mariano.

Segundo o Pastor Mariano, Cruzeiro do Sul é uma terra com pessoas sedentas, amáveis e hospitaleiras. “A bíblia diz: Bem aventurada é a nação cujo Deus é o senhor. Deus não se esqueceu de Cruzeiro do Sul e nós cremos que o maior problema da sociedade é ausência de Deus no coração. Deus tem olhado para a nossa cidade e eu creio que há uma grande benção para Cruzeiro do Sul, que Deus vai derramar e a igreja está com as portas abertas para todo mundo conhecer – conclui o pastor.

Sede em Rio Branco

A igreja Batista do Bosque tem sede em Rio Branco e já tem 50 anos de existência ela atualmente está sobre a presidência do pastor Agostinho Gonçalves. A igreja está com um projeto para a construção de uma catedral em nível de região norte, com uma estrutura para cinco mil pessoas e ambiente climatizado. Um projeto ousado e desafiador porque a obra está avaliada em R$ 5 milhões.

De acordo com o pastor da Igreja em Cruzeiro do Sul, Carlos Mariano, a igreja tem filial em outros municípios do Acre e pretende expandir por outros países como o Haiti.

Edvaldo Magalhães assume interinamente o governo do Estado



O presidente da Aleac, Edvaldo Magalhães (PCdoB), assumiu o governo do Estado nesta quinta-feira, 11. Em solenidade realizada ao meio-dia, na Secretaria Estadual de Articulações Políticas, Edvaldo foi empossado pelo vice-governador César Messias (PP) que ocupava o cargo interinamente no lugar do governador Binho Marques, ausente do país, participando de evento nos Estados Unidos.

O presidente da Aleac, Edvaldo Magalhães (PCdoB), assumiu o governo do Estado nesta quinta-feira, 11. Em solenidade realizada ao meio-dia, na Secretaria Estadual de Articulações Políticas, Edvaldo foi empossado pelo vice-governador César Messias (PP) que ocupava o cargo interinamente no lugar do governador Binho Marques, ausente do país, participando de evento nos Estados Unidos. Messias viaja nesta tarde para Porto Velho (RO) onde participará do VII Fórum dos Governadores da Amazônia. A presidência da Aleac passa a ser ocupada pelo primeiro vice-presidente da Casa, deputado Helder Paiva (PR).

Esta mudança temporária na configuração política do Acre, que perdurará até domingo, representa a conquista da normalidade constitucional do Estado nos últimos doze anos, segundo palavras de Edvaldo. "Não gera turbulência política e sequer especulação. O César (Messias) já assumiu outras vezes, até no anonimato.

Hoje estamos dando esta visibilidade para lembrar que, em outros tempos, o vice-governador assumia e tomava decisões que alteravam o processo administrativo do governador titular. Já o presidente da Aleac ficava torcendo para um dia assumir o governo só para fazer besteiras", declarou Edvaldo na solenidade.

César Messias fez um breve pronunciamento destacando as qualidades políticas e a experiência administrativa de Edvaldo Magalhães à frente da Aleac. Também participaram da solenidade, o prefeito em exercídio de Rio Branco, Eduardo Farias (PC do B), o deputado Helder Paiva (PR), o deputado licenciado Delorgem Campos (PSB), o secretário de Relacões Institucionais do governo, Carlos Alberto Ferreira Araújo, e o procurador adjunto da Procuradoria Geral do Estado, Roberto Barros dos Santos, no momento chefe interino da Casa Civil do governo estadual. Membros da cúpula do PC do B também prestigiaram o evento, entre eles a fundadora do partido, Maria Rita.