terça-feira, 16 de março de 2010

SEE e UnB formam 225 pedagogos no Vale do Juruá na modalidade de ensino à distância


Em solenidade realizada no templo da Igreja Assembleia de Deus, em Cruzeiro do Sul, 225 professores do Vale do Juruá, pertencentes à rede estadual de Ensino e dos quadros municipais, receberam o diploma de pedagogos. Eles fazem parte das primeiras turmas a se formarem na modalidade de ensino à distância oferecida gratuitamente através de parceria entre o Governo do Estado, por meio da Secretaria de Estado de Educação (SEE), e a Universidade de Brasília (UnB).

Escrito por Flaviano Schneider
Fotos Onofre Brito


Compreensão das novas tecnologias representou grande desafio para a maioria dos formandos

Em solenidade realizada no templo da Igreja Assembleia de Deus, em Cruzeiro do Sul, 225 professores do Vale do Juruá, pertencentes à rede estadual de Ensino e dos quadros municipais, receberam o diploma de pedagogos. Eles fazem parte das primeiras turmas a se formarem na modalidade de ensino à distância oferecida gratuitamente através de parceria entre o Governo do Estado, por meio da Secretaria de Estado de Educação (SEE), e a Universidade de Brasília (UnB).

Como informou a secretária de Educação Maria Corrêa, em todo o Estado estão se formando 861 professores em Pedagogia pela UnB. Ela recordou que o programa foi iniciado no ano 2000 - quando o governador Binho Marques era secretário de Educação - através de parceria com a UFAC. Há um segundo grupo com cerca de 800 professores que se formarão até o final do ano, ainda através da parceria com a UnB. "Até 2011, todos nossos professores da rede estadual e das redes municipais de Ensino terão nível superior e também habilitados a utilizar as novas tecnologias, de forma que o uso delas vai ajudá-los daqui para frente no aperfeiçoamento e na busca por novos conhecimentos", garantiu.

A coordenadora geral do curso e vice-diretora da Faculdade de Educação da UnB, Laura Maria Coutinho, representou o reitor da UnB, José Geraldo de Souza. Ela disse que o diploma outorgado aos professores acreanos é o mesmo outorgado aos alunos do curso presencial de Pedagogia da UnB. Para ela, o diferencial do curso no Acre foi a oportunidade de trabalhar online. Laura Maria elogiou o desempenho da Secretaria de Educação do Acre, decisivo para o bom resultado obtido e destacou o fato de que as mediadoras do curso também estavam se graduando como especialistas em formação de professores online.

A oradora oficial das turmas, professora Célia Rocha, incentivou os colegas formandos a continuarem sua busca pelo conhecimento com os novos recursos tecnológicos colocados ao alcance de todos, no desenrolar do curso. "Esta graduação de hoje é muito importante porque como pedagogos somos capazes de refletir sobre o que acontece na sociedade. Hoje temos a mente bem mais ampla. Podemos refletir e mudar. Ajudar nossos alunos a compreender que eles são responsáveis pela transformação social. Somos mediadores do conhecimento do aluno, e precisamos mostrar que ele é capaz e pode transformar o mundo", disse.

Quatro municípios

Dez turmas se formaram no Vale do Juruá; quatro em Cruzeiro do Sul e duas em Mâncio Lima, Rodrigues Alves e Marechal Thaumaturgo. O presidente da Assembleia Legislativa do Acre, Edvaldo Magalhães, também presente à solenidade, ressaltou a importância de o curso ter chegado até aos municípios mais isolados: "Esses mesmos professores que hoje estão se formando são os mesmos que para fazer o Ensino Médio tiveram que se separar de suas famílias. E agora estão se formando, utilizando uma tecnologia de ponta, através da internet, com cursos semipresenciais, em que eles não precisam se deslocar de seu ambiente de trabalho e nem se separar de seus familiares. Além disso, recebem o diploma de uma das universidades mais bem conceituadas do Brasil". Edvaldo também chamou a atenção à grandiosidade do programa em execução pela SEE que ao final terá formado mais de nove mil professores com curso superior noAcre.

Pais, parentes e amigos lotaram o templo da Assembleia de Deus, para prestigiar o dia da concretização de um sonho por parte de muitos professores que não vislumbravam a possibilidade de continuar seus estudos. Ainda compareceram à solenidade os prefeitos de Rodrigues Alves, Francisco Ernilson de Freitas; de Mâncio Lima, Cleidson Rocha; o vereador Francisco Vieira da Silva, representando a Câmara de Vereadores de Cruzeiro do Sul; o secretário de Educação de Cruzeiro do Sul, Ivo Galvão; e o coordenador da SEE em Cruzeiro do Sul, Amarizio Saraiva de Freitas. A cerimônia foi muito bonita com destaques para o Hino Nacional Brasileiro, cantado com força e emoção pelos presentes, a entrada dos formandos e ao final a entrega do cobiçado diploma.

A nova tecnologia foi um desafio

Se por um lado, o governo do Estado teve que investir em infraestrutura tecnológica e adequação de espaços para atender a proposta do curso, como rede de computadores ligados à internet e material didático diferenciado, além da mobilização de recursos humanos, para grande parte dos formandos o desafio foi a utilização das novas tecnologias.

Como disse o professor José Maria Bezerra, de Marechal Thaumaturgo: "O maior desafio foi que a maioria sabia nem ligar o computador. Também entra para a história de Thaumaturgo o fato de termos iniciado e terminado o curso sem precisar sair do município".

A formanda Elisângela da Silva Costa confirmou: "Foi um desafio enorme. Eu não tinha contato com computadores. Para mim foi um obstáculo muito grande, pensei até em desistir, mas segui em frente e, graças a Deus e com apoio da minha família, aprendi a usar o computador e aqui estou formada".

Rosineis Souza de Oliveira levou o filho e a sobrinha, ainda crianças: "Eles vieram ver minha vitória", disse. Ela atua há nove anos como professora, desejava muito formar-se em Pedagogia, mas até então não tinha tido a oportunidade, que surgiu após a parceria do Acre com a UnB. Emocionada, assim se expressou: "Foi uma vitória árdua e um dos maiores triunfos da minha vida. Vou colocar meu diploma em lugar muito especial na minha casa".

Eles vieram ver minha vitória. Foi uma vitória árdua e um dos maiores triunfos da minha vida. Vou colocar meu diploma em lugar muito especial na minha casa.
Rosineis Souza de Oliveira, formanda






Polícia Militar apreende 8 quilos de maconha


A Polícia Militar apreendeu na madrugada desta terça-feira (16), oito quilos de maconha trazida em um barco de Pucalpa, no Peru, Carlos Moreira do Carmo, 55, Avelino Lomas Moreira, 24, moradores de Pucalpa e Jorge Viana Sabino, 23, morador do Rio Juruá Mirim Seringal Caipora – Boa Vista, que estavam transportando a droga foram encaminhados a Delegacia de Flagrantes. A droga foi encontrada no porta mala de um táxi nas proximidades do minhocão.


A Polícia Militar apreendeu na madrugada desta terça-feira (16), oito quilos de maconha trazida em um barco de Pucalpa, no Peru, Carlos Moreira do Carmo, 55, Avelino Lomas Moreira, 24, moradores de Pucalpa e Jorge Viana Sabino, 23, morador do Rio Juruá Mirim Seringal Caipora – Boa Vista, que estavam transportando a droga foram encaminhados a Delegacia de Flagrantes. A droga foi encontrada no porta mala de um táxi nas proximidades do minhocão.

Segundo o delegado, Vinicius de Andrade Almeida, a droga veio de barco e ao chegar no porto de Cruzeiro do Sul, um dos homens foi chamar um táxi para levá-los. O motorista do táxi e dois dos homens esperava o terceiro chegar.

A Polícia Militar verificou as malas e nelas havia 8 quilos de maconha. Os dois foram presos em flagrante e o terceiro tentou fugir, mas os outros quando viram falaram que a droga era dele. O taxista foi levado à delegacia para servir de testemunha no caso.
De acordo com Carlos Moreira do Carmo, a droga era sua e que iria vender para recuperar um dinheiro que tinha perdido em um trabalho.

“Esses dois garotos não tem nada haver com essa droga, ela é minha. Eu ia vender para recuperar R$ 35 mil que perdi em um trabalho.”

Carlos Moreira é tio de Avelino Lomas Moreira e os dois são peruanos e ele afirma que Jorge Viana Sabino era apenas o dono do barco que transportavam eles. Os três serão encaminhados ao Presídio.

Kattiúcia Silveira


Cônsul japonês visita Aleac e diz que seu país quer transferir tecnologia para o Acre


Com ajuda de uma intérprete, o cônsul lembrou que o Acre foi o primeiro Estado da Amazônia procurado por imigrantes japoneses nos anos de grande valorização da borracha e que o seu governo continua interessado em ajudar o Estado. Jiro afirmou que seu país tem interesse em repassar tecnologias que visem aprofundar os cuidados com a floresta da região.

Jiro Shibasaki visitou nesta manhã a Assembleia Legislativa e foi recebido pelo presidente da Casa, deputado Edvaldo Magalhães.

Com ajuda de uma intérprete, o cônsul lembrou que o Acre foi o primeiro Estado da Amazônia procurado por imigrantes japoneses nos anos de grande valorização da borracha e que o seu governo continua interessado em ajudar o Estado. Jiro afirmou que seu país tem interesse em repassar tecnologias que visem aprofundar os cuidados com a floresta da região.

O presidente Edvaldo Magalhães, por sua vez, contou as experiências locais na preservação da floresta e disse que o Acre está inaugurando na Amazônia o modelo de ‘florestas públicas’, que vai possibilitar a exploração sustentada da madeira em três áreas da BR-364, nos municípios de Feijó, Tarauacá e Cruzeiro. E prometeu também levar o conteúdo do encontro com a autoridade japonesa ao conhecimento do governador.

-Vou conversar com o governador Binho Marques sobre a intenção do seu país, que nos interessa muito – disse o deputado Edvaldo.

No final do encontro, que durou 40 minutos, as duas autoridades trocaram presentes. O cônsul entregou ao parlamentar uma manta especial em tecido japonês e recebeu do presidente da Aleac uma peça da clássica marchetaria do Acre.


César Messias recebe cônsul-geral do Japão


O governador em exercício do Acre, César Messias, recebeu nesta segunda-feira, 15, o cônsul geral do Japão em Manaus, Jiro Shibasaki, marcando a Semana da Cultura Japonesa no Acre. Há cerca de 100 anos, o Estado recebeu os primeiros imigrantes japoneses na região Norte, abrigando hoje um grupo de mais de 50 famílias de descendentes nipônicos. "Nós admiramos muito a cultura japonesa.

Jiro Shibasaki participa da Semana da Cultura Japonesa no Acre e apresentou proposta para investimento em projetos comunitários no Estado

O governador em exercício do Acre, César Messias, recebeu nesta segunda-feira, 15, o cônsul geral do Japão em Manaus, Jiro Shibasaki, marcando a Semana da Cultura Japonesa no Acre. Há cerca de 100 anos, o Estado recebeu os primeiros imigrantes japoneses na região Norte, abrigando hoje um grupo de mais de 50 famílias de descendentes nipônicos. "Nós admiramos muito a cultura japonesa.

As famílias que aqui vieram ajudaram e ajudam a fazer do Acre um bom lugar para se viver na Amazônia", disse o governador. É a primeira visita oficial de Jiro Shibasaki ao Acre e ele apresentou proposta de investimento em projetos de ação social em comunidades urbanas ou rurais do Estado.

A Semana da Cultura Japonesa, que teve início no dia 13 de março, conta com patrocínio do Consulado Geral do Japão em Manaus, através do seu departamento cultural e com o apoio do Serviço Social do Comércio (Sesc) e do Serviço de Apoio a Pequenas e Micro Empresas (Sebrae).

A realização é da Associação Cultural Nipo-Brasileira do Acre que programou série de atividades como oficinas, exposições, exibição de vídeo, demonstração de pratos típicos e apresentação de técnicas de bonsai, cultivo de plantas em miniatura.

"As relações entre Japão e Acre são bastante fortes porque os primeiros imigrantes vieram para o Acre e só depois foram para outros Estados da região Norte", afirmou o cônsul.

Foi em 18 de junho de 1908 que chegou ao porto de Santos o Kasato Maru, navio que trouxe ao Brasil as primeiras 165 famílias de japoneses. A grande parte destes imigrantes era formada por camponeses de regiões pobres do norte e sul do Japão, os quais foram trabalhar nas lavouras de café, em São Paulo, sonhando ganhar dinheiro e voltar para o Japão. Em seguida, várias famílias decidiram ir morar na Amazônia, chegando primeiro ao Acre, onde contribuíram em muitas situações, mas de modo decisivo na melhoria dos hábitos alimentares ao iniciarem a produção de frutas, verduras e legumes em escala.

César Messias recebeu de Jiro Shibasaki um caminho de mesa que há mais de 100 anos é produzido na cidade de Kawashima como lembrança do encontro. O governador retribuiu com uma caixa em marchetaria.

Gladson Cameli visita comunidade do seringal Paraíso, no rio Murú


Numa visita realizada a comunidade Paraíso, localizada no rio Murú, a 5 horas de barco do município de Tarauacá, o deputado federal Gladson Cameli (PP), passou os últimos cinco dias escutando reivindicações acerca de saúde, educação e agricultura, feitas pelas lideranças rurais da região.


Numa visita realizada a comunidade Paraíso, localizada no rio Murú, a 5 horas de barco do município de Tarauacá, o deputado federal Gladson Cameli (PP), passou os últimos cinco dias escutando reivindicações acerca de saúde, educação e agricultura, feitas pelas lideranças rurais da região.

Entre algumas das solicitações, as famílias ribeirinhas apresentaram a necessidade de construção de uma hospedaria para as pessoas atendidas pelo programa Saúde Itinerante, com ações presentes entre a comunidade durante todo final de semana passado.

Gladson esteve acompanhado do prefeito de Tarauacá, Vando Torquato e do vereador Lulu Nery, do PP, que também têm acompanhado as reivindicações dos ribeirinhos.

Ao ouvir a comunidade, Gladson Cameli afirmou que pretende alocar emendas para aquisição de barcos para atender os ribeirinhos do seringal Paraíso.

Na próxima viagem, o deputado pretende ouvir a população do seringal Mucuripe com o objetivo de fazer do seu mandato um gabinete itinerante, tornando-se cada vez mais presente na vida da população acreana.

“Sabemos que muitas famílias acreanas vivem isoladas nos distantes seringais do nosso Estado. Por isso, é necessário que nós como representantes do povo possamos nos deslocar de nossos gabinetes e conhecer a verdadeira realidade que ainda assola nossos ribeirinhos”, disse Cameli.

Apesar de reconhecer o esforço do Governo do Estado em reduzir o índice de problemas educacionais e de saúde das comunidades rurais, Cameli acredita que é possível fazer muito mais, ampliando para mais e melhor a atenção a todas as famílias do Estado.

"Com o projeto que existe hoje em curso no Acre é possível notar os avanços registrados no nosso Estado, e certamente devemos fortalecer ainda mais o objetivo de fazer da nossa região um dos melhores lugares para se viver", finalizou.

Prefeitura de Cruzeiro do Sul inicia a distribuição de 4.500 kits de material escolar


No retorno às aulas os alunos da rede Municipal de Ensino de Cruzeiro do Sul estão ganhando um kit de material escolar, fornecido pela Prefeitura, para desonerar os pais na tradicional compra de cadernos, lápis, cola, borracha e outros itens essenciais aos estudos.

No retorno às aulas os alunos da rede Municipal de Ensino de Cruzeiro do Sul estão ganhando um kit de material escolar, fornecido pela Prefeitura, para desonerar os pais na tradicional compra de cadernos, lápis, cola, borracha e outros itens essenciais aos estudos. Na Escola Francisca Lima da Silva, na Vila São Pedro, zona rural do município, o Prefeito Wagner Sales ouviu a diretora Cássia Paulino falar, emocionada, que “essa é uma grande ajuda porque nem todos os pais têm condições de comprar o material escolar das crianças”.

Ao entregar o material escolar e colchões novos para os alunos do Maternal da escola da Vila São Pedro, o Prefeito lembrou que só começou a estudar aos 14 anos, e que a grande maioria dos pais na zona rural são ainda analfabetos porque, quando eram crianças, os governantes não tinham a Educação como a prioridade nas suas gestões. Vagner prometeu que ao término do seu mandato onde houver sete ou oito crianças, haverá uma escola da rede Municipal.

Apesar da Prefeitura ter dobrado o número de kits de material escolar (ano passado foram distribuídos dois mil), embora tenha construído 12 escolas novas, ter reformado 15 outras que estavam em estado precário, e mesmo ampliando algumas outras com novas salas de aula, o Secretário de Educação Ivo Galvão afirma que ainda é preciso fazer mais. “Ainda não estamos satisfeitos com as melhorias nas nossas escolas, porque sabemos que ainda temos muito o que fazer”, afirmou.
Assessoria de Comunicação – Prefeitura de Cruzeiro do Sul


Náuas decepciona torcida na estréia do Estadual


O Náuas não conseguiu superar o Independência no jogo de estréia das duas equipes neste domingo, 14, no estádio Totão em Mâncio Lima. Cerca de dois mil torcedores assistiram a derrota da equipe do Juruá por 2 X 1 e deixaram o estádio decepcionados com a atuação dos jogadores.

Por Mazinho Rogerio
O Náuas não conseguiu superar o Independência no jogo de estréia das duas equipes neste domingo, 14, no estádio Totão em Mâncio Lima. Cerca de dois mil torcedores assistiram a derrota da equipe do Juruá por 2 X 1 e deixaram o estádio decepcionados com a atuação dos jogadores.

A equipe de Cruzeiro do Sul era considerada favorita já que fez uma melhor campanha do que o Independência na temporada do ano passado. Mas, o que se viu foi um jogo de muita técnica por parte da equipe do independência que logo no primeiro tempo marcou com J. Maria que aproveitou uma bola que veio da linha de fundo e colocou no canto, sem chances para o goleiro Darlan.

Na etapa inicial o Náuas não chegou a levar perigo ao adversário. Não criou quase nenhuma chance de gol e os jogadores foram para o intervalo com o placar de 1 X O para o time da capital que veio desacreditada e não se intimidou com a torcida que ainda acreditava em uma virada do time da casa.

“Esperamos que o time melhore e consiga mudar o placar no segundo tempo” – disse o deputado Edvaldo Maglhães, presidente a Assembléia Legislativa do Estado que assistiu o jogo acompanhado do prefeito Burica de Rodrigues Alves, e de Cledson Rocha e Ériton Maia , prefeito e vice de Mâncio Lima. Edvaldo Magalhães, além de torcedor fanático do Náuas, é um dos apoiadores da equipe.

Na etapa final o técnico Neneca fez algumas substituições. Saiu Germano, que não rendeu na parida, e entrou Ítalo que deu mais velocidade ao ataque e ainda conseguiu deixar tudo igual. Desviou uma bola de uma cobrança de escanteio e marcou o único gol do Náuas na partida.

A equipe de Cruzeiro do Sul ainda ficou perdeu dois jogadores. A expulsão de Doni e Romarinho favoreceu a equipe do Independência que fechou o placar aos 38 minutos. Paquito recebeu a bola na entrada da área e chutou forte no canto direito do gol de Darlan.

“Acho que faltou competência da nossa equipe. Entramos confiantes e não conseguimos nosso objetivo. Mas o Campeonato começou agora e vamos trabalhar para enfrentar o Rio Branco” – disse o técnico Neneca.

J. Maria, que marcou o primeiro do Independência, já defendeu o Náuas na última temporada. O jogador disse que o grupo conseguiu o objetivo de sair com os três pontos da partida fora de casa. “Viemos sempre pensando em vitória e tivemos o empenho do grupo que fez com que tivéssemos o resultado positivo”.

Fotos Aureo Neto