quinta-feira, 18 de março de 2010

Agricultor é atingido por terçado no Miritizal


O agricultor Emanuel Teles de Souza, 46, foi atingido por golpes de terçado, na noite desta quarta-feira (17) no bairro Miritizal. A vitima estava indo visitar um amigo, conhecido como Tim, quando foi ferido. A Polícia suspeita que “Caboco” e Jeferson, que andavam com bebidas e um terçado, são os possíveis autores do crime. O agricultor foi atingido nos braços e acabou perdendo três dedos.

O agricultor Emanuel Teles de Souza, 46, foi atingido por golpes de terçado, na noite desta quarta-feira (17) no bairro Miritizal. A vitima estava indo visitar um amigo, conhecido como Tim, quando foi ferido. A Polícia suspeita que “Caboco” e Jeferson, que andavam com bebidas e um terçado, são os possíveis autores do crime. O agricultor foi atingido nos braços e acabou perdendo três dedos.

Emanuel é morador do ramal da Buritirana e estava a 15 dias na cidade residindo no bairro Remanso. Emanuel pedia socorro e uma senhora o encontrou no trapicho de sua casa. O Comando de Operações Especiais - COE e o SAMU enfrentaram lama para chegar e socorrer a vitima. O agricultor foi levado ao hospital e submetido a uma cirurgia de emergência.

Kattiúcia


Falta de gás preocupa consumidores em Cruzeiro do Sul


A cidade de Cruzeiro do Sul está há uma semana desabastecida de gás de cozinha e muitos consumidores que não dispõem de estoque em casa já procuram pelo produto em outros municípios da região. O estoque das distribuidoras se esgotou e a previsão é que só no final desta semana uma balsa com 10 mil botijas chegue á cidade.


A cidade de Cruzeiro do Sul está há uma semana desabastecida de gás de cozinha e muitos consumidores que não dispõem de estoque em casa já procuram pelo produto em outros municípios da região. O estoque das distribuidoras se esgotou e a previsão é que só no final desta semana uma balsa com 10 mil botijas chegue á cidade.

Desde o final desta semana a população de Cruzeiro do Sul tem tido dificuldades para comprar gás de cozinha. O produto se esgotou primeiramente nos pontos de venda espalhados pela cidade e em seguida acabou o estoque dos depósitos de duas distribuidoras que abastecem todos os municípios da região.

Em razão disso, muitos consumidores de Cruzeiro do Sul tiveram que se deslocar ao município Mâncio Lima para comprar uma botija. Entretanto, no comércio da cidade vizinha, distante a 32 quilômetros, já está difícil de comprar o produto. Temendo uma grande demora para que as balsas cheguem com gás de Manaus, alguns consumidores compraram mais de uma botija com carga.

A falta de gás nas cidades do Juruá foi ocasionada pela dificuldade de transporte no rio que ainda não manteve um volume de água adequado para a navegação de grandes embarcações. No entanto, a empresa responsável pelo abastecimento garante que até o final desta semana o abastecimento será controlado. Uma balsa com 10 mil botijas de gás deve chegar no próximo sábado e outra com mas 17 mil já está a caminho da cidade.


Tião Viana defende retomada de investimentos em ferrovias no Brasil


O senador Tião Viana (PT-AC) disse nesta quarta-feira (17) que o estado do Acre tem interesse político em retomar a discussão em torno da expansão das ferrovias como matriz de transporte de cargas e de massa. Ele assinalou que vários países estão se voltando para esse modelo de transporte e investindo fortemente nesse setor, como os Estados Unidos.


O senador Tião Viana (PT-AC) disse nesta quarta-feira (17) que o estado do Acre tem interesse político em retomar a discussão em torno da expansão das ferrovias como matriz de transporte de cargas e de massa. Ele assinalou que vários países estão se voltando para esse modelo de transporte e investindo fortemente nesse setor, como os Estados Unidos.

Tião Viana citou um documento elaborado pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea), sobre a matriz brasileira do transporte de carga. Neste documento, o Ministério dos Transportes afirma que para obter um cenário de equilíbrio da matriz de transporte de carga em 2025, a participação das ferrovias deveria aumentar dos atuais 25% para 35%, a do transporte aquaviário passaria de 13% para 29%, e a do transporte rodoviário cairia de 58% para 30%.

- Mas essa mudança depende de muito investimento. De acordo com o Ipea, o investimento global será da ordem de R$112 bilhões para que se possa assegurar uma nova realidade no transporte ferroviário no Brasil em termos de substituição ao transporte rodoviário e, ao mesmo tempo, expansão do aquaviário - ressaltou.

O senador disse que se trata de uma expansão que envolve mais de 4 mil quilômetros de ferrovia. Ele explicou que um traçado ideal, que interligaria o Brasil de Leste a Oeste, sairia da região de Muriaé, e passaria por Ipatinga e Paracatu em Minas Gerais; Brasília; Uruaçu em Goiás; Cocalinho, Ribeirão das Castanheiras e Lucas do Rio Verde em Mato Grosso; Vilhena e Porto Velho em Rondônia, depois seguiria para Rio Branco e Cruzeiro do Sul no Acre, até chegar à localidade de Boqueirão da Esperança, na fronteira Brasil-Peru.

Tião Viana pediu unidade política para viabilizar as condições orçamentárias para o financiamento público dessa política de longo prazo do governo brasileiro. Ele salientou que no último dia 13 de março foi realizada uma reunião em Nova Vilhena, em Rondônia, quando foram discutidas as perspectivas dessa interligação Leste/Oeste do Brasil. O senador sugeriu que uma reunião entre parlamentares e o diretor-geral do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit), seja realizada em maio.

A vitória dos trabalhadores do Mercado Joãozinho Melo


Esta semana chegou ao fim mais um capítulo de um impasse entre Prefeitura de Cruzeiro do Sul e comerciantes que ocupam o Mercado Joãozinho Melo. Em conseqüência ao apelo da Associação dos Micro e Pequenos Empresários, o juiz que responde pelo Juizado Especial em Cruzeiro do Sul, Clóvis Lodi, proferiu Liminar, em favor dos comerciantes, determinando que a Eletroacre estabeleça o fornecimento de energia elétrica para os pontos comerciais do Mercado Público Municipal.


Esta semana chegou ao fim mais um capítulo de um impasse entre Prefeitura de Cruzeiro do Sul e comerciantes que ocupam o Mercado Joãozinho Melo. Em conseqüência ao apelo da Associação dos Micro e Pequenos Empresários, o juiz que responde pelo Juizado Especial em Cruzeiro do Sul, Clóvis Lodi, proferiu Liminar, em favor dos comerciantes, determinando que a Eletroacre estabeleça o fornecimento de energia elétrica para os pontos comerciais do Mercado Público Municipal. A empresa se negava em ligar as lojas à rede de energia, em obediência a ordens da prefeitura que exigia que os comerciantes assinassem um Termo de Concessão para terem direito ao uso dos pontos comerciais.

O impasse foi gerado assim que o Governo do Estado concluiu a obra de reconstrução do prédio público que agrega mais de 90 comerciantes que se aproveitam da venda de produtos variados para sustentar as famílias. Para entregar o mercado, a prefeitura elaborou um documento com regras para que os pequenos empresários cumpram ao utilizar os boxes. Os comerciantes não concordavam com as determinações e se recusaram a assinar o Termo de Concessão exigido pela prefeitura.

Os comerciantes já trabalhavam no mercado antes da recuperação e só voltaram após um ano que ficaram alojados em um local sem as mínimas condições de trabalho, período em que a obra era executada. No início de fevereiro eles receberam as chaves dos comércios. O governo do estado, mesmo contrariando a prefeitura, distribuiu as lojas entre os antigos ocupantes dos pontos comerciais.

A decisão judicial foi deferida na terça-feira, 16, e a Eletroacre, assim que foi notificada mandou os técnicos para fazer a instalação da energia para as lojas. Os comerciantes comemoraram a chegada da luz e afirmaram que só agora poderão recuperar o tempo perdido reativar o comércio. No período em que ficaram sem energia, ele utilizaram a luz de velas.

“Nossos clientes se afastaram. Ninguém visitava aqui devido a escuridão. E nós não tínhamos como beber uma água gelada durante o trabalho, sofríamos com o calor porque não podíamos ligar um ventilador, para arrumar a mercadoria nas prateleiras era no escuro ou na luz da vela. Não entendo porque o prefeito fez isso com a gente. Agora estamos mais tranqüilos, graças ao juiz que entendeu nossa situação” – afirmou o comerciante Evandro Melo.

“Trabalho neste local há 35 anos e nunca tinha passado por um constrangimento como esse. É ruim você querer trabalhar e não puder porque dificultam nossa atividade. Já passamos 1 ano sem vender quase nada esperando a conclusão desse mercado e ainda tivemos que passar por essa situação. Mas, ainda bem que conseguimos e agora tenho certeza que vai melhorar a venda” - comemorou o comerciante Manoel Correia, sorridente ao ver a lâmpada acender em seu comércio.

Todavia, a Liminar do juiz não dá direito aos pequenos empresários de trabalharem no mercado sem atender as regras impostas pela prefeitura. De acordo com a decisão, o entendimento sobre as determinações do Termo de Concessão, deverá ser feito entre o Poder Executivo do município e os comerciantes. “Mas esperamos que o juiz possa interceder nas negociações para que possamos chegar a um acordo que não prejudique os trabalhadores que precisam desse mercado para sustentar as famílias” – enfatizou o presidente da um entendimento com os Associação dos micro e pequenos empresários, Elson Costa.



Prefeitura de Cruzeiro do Sul inaugura nova estrutura para o CRAS


O Centro de Referência de Assistência Social terá mais espaço para realizar as atividades de atendimento na proteção social básica de famílias em situação de vulnerabilidade em Cruzeiro do Sul.


O Centro de Referência de Assistência Social terá mais espaço para realizar as atividades de atendimento na proteção social básica de famílias em situação de vulnerabilidade em Cruzeiro do Sul.

A solenidade de inauguração do prédio onde está funcionando a nova estrutura do CRAS, foi realizada na manhã de quarta-feira (17). Várias autoridades que representam instituições que atuam na área de proteção social estiveram presentes. O Centro de Referência de Assistência Social trabalha com pessoas de baixa renda, consideradas em condições vulneráveis, 90% delas são beneficiárias do Programa Bolsa Família.

O prédio onde está funcionando o CRAS, está localizado no Bairro da Cobal onde funcionava o Lar Novo Dia que atendia abandonadas ou em situação de risco. Segundo a coordenadora do CRAS, Ana Luísa Dias da Silva, a nova estrutura vai proporcionar melhores condições para a realização das atividades que envolvem a formação de grupos de convivência, oficinas e cursos profissionalizantes que além de servir de terapia ocupacional, prepara as pessoas para criarem suas próprias fontes de renda.
A maior parte das pessoas atendidas, na grande maioria mulheres grávidas e menores em situação de risco, faz parte do Cadastro Único para Programas Sociais.

Como cerca de 10 mil famílias do município vivem neste perfil, a equipe do CRAS faz uma seleção através dos cadastros e busca nos bairros aquelas pessoas que querem participar dos cursos e que precisam de ajuda psicossocial. O atendimento com educadores e psicólogo também é realizado nos casos de encaminhamento do Ministério Público e do Conselho Tutelar.

O prefeito Vagner Sales reconhece a importância do trabalho desenvolvido pelo CRAS e explica que de uma só vez, duas coisas boas aconteceram. “Neste prédio ficavam as crianças retiradas das ruas ou que viviam em situação de risco, elas se sentiam presas, agora estão numa casa com amplo espaço para brincarem e participarem de suas atividades. Já este prédio com uma boa estrutura, será muito bom, para essas pessoas que precisam de ajuda e cuidados”. De acordo com Vagner Sales, uma emenda parlamentar foi destinada para a construção de um prédio para abrigar definitivamente o CRAS.


MEC SE POSICIONA SOBRE CRIAÇÃO DA UNIVERSIDADE DA FLORESTA


Depois e acolher reivindicação de alunos e professores para autonomia do Campus Floresta, e sua conversão em Universidade Federal da Floresta do Juruá, o deputado Henrique Afonso fez gestão junto ao Ministério da Educação, com apoio de membros da bancada federal, e recebeu esta semana resposta animadora do Ministro da Educação.


Depois e acolher reivindicação de alunos e professores para autonomia do Campus Floresta, e sua conversão em Universidade Federal da Floresta do Juruá, o deputado Henrique Afonso fez gestão junto ao Ministério da Educação, com apoio de membros da bancada federal, e recebeu esta semana resposta animadora do Ministro da Educação.

De acordo com o ofício encaminhado pelo ministro, o MEC reconheceu a importância estratégica da proposta da Universidade da Floresta, cuja criação e consolidação do Campus Ufac – Floresta fez parte do Primeiro Ciclo de Expansão para o Interior, previsto pelo Plano Nacional de Desenvolvimento da Educação – PDE, e do Programa de Apoio a Planos de Reestruturação e Expansão das Universidades Federais – REUNI.

De acordo com o MEC, será feito um estudo de viabilidade econômica e social para posterior alocação dos recursos necessários no Orçamento Geral da União. Por considerar a importância da demanda, a Secretaria de Educação Superior – SESU incluirá o pleito no Plano Nacional de Educação/2011 – 2020.

“A criação da Universidade Federal da Floresta trará grandes benefícios para toda região, ampliando a oferta de ensino superior à população e, ao mesmo tempo, gerando conhecimentos científicos e tecnológicos necessários à desenvolvimento econômico e social do Juruá, do Acre e conseqüentemente do país”, afirmou o deputado federal Henrique Afonso.


Produtos importados do Peru não pagarão impostos federais


A notícia foi dada nesta tarde por Jair Santos, assessor da Assembleia Legislativa, que confirmou que os produtos que vão ser importados do Peru para Cruzeiro do Sul não sofrerão incidência de impostos federais.

A notícia foi dada nesta tarde por Jair Santos, assessor da Assembleia Legislativa, que confirmou que os produtos que vão ser importados do Peru para Cruzeiro do Sul não sofrerão incidência de impostos federais.

O anúncio é mais um incentivo à integração entre a região de Ucayaly com o Juruá com vista à concretização de intercâmbio comercial entre as duas fronteiras. Segundo Jair, os voos comerciais [carga e passageiros] vão ter início no próximo dia 5 de abril. Quatro empresas vão atuar na rota Cruzeiro-Pucalpa-Cruzeiro.

São elas: Rio Linhas Aéreas, North American Float, Aerobran e Tucano Táxi Aéreo.
Com o processo de alfandegamento [licença para receber voos do Peru] para o aeroporto de Cruzeiro adiantado, a Infraero já começou as mudanças para o trabalho dos agentes da Receita, Anvisa e Polícia Federal, informa o superintendente Dílson Osvaldo.

A integração comercial, cultural e social entre Ucayaly/Pucalpa com o Juruá é um antigo sonho das duas regiões que está, a cada dia, se tornando realidade.
Agência Aleac