quarta-feira, 31 de março de 2010

Náuas vai enfrentar o Vasco sem Bergson e Germano


A equipe do Náuas entra em campo na quarta rodada do estadual sem dois jogadores que foram titulares no início do Estadual. Germano foi dispensado pela diretoria e Bergson, ídolo da torcida, não compareceu aos treinos desta semana. O técnico Neneca busca agora novas alternativas para compor o ataque e o meio de campo para a partida contra o Vasco neste domingo, no estádio de Mâncio Lima que mudou o nome de Totão para Arena do Japiim.

A equipe do Náuas entra em campo na quarta rodada do estadual sem dois jogadores que foram titulares no início do Estadual. Germano foi dispensado pela diretoria e Bergson, ídolo da torcida, não compareceu aos treinos desta semana. O técnico Neneca busca agora novas alternativas para compor o ataque e o meio de campo para a partida contra o Vasco neste domingo, no estádio de Mâncio Lima que mudou o nome de Totão para Arena do Japiim.

O atacante Germano que veio de Manaus e foi titular nas duas primeiras partidas, não fará mais parte da equipe juruaense. A diretoria do clube decidiu rescindir o contrato com o jogador no início desta semana. Apesar ter marcado o gol que deu a única vitória, até agora, para o Náuas, sobre o Rio Branco, Germano foi dispensado porque, segundo o técnico, não rendeu como esperava a diretoria e os torcedores da equipe.

“O Germano foi dispensado por deficiência técnica e por indisciplina. Ele não foi bem nos dois primeiros jogos, a própria torcida cobrou isso, e como ele já não estava com a cabeça aqui, tinha uma proposta para outro clube, achamos melhor liberá-lo o mais rápido possível. Até porque a gente não queria também atrapalhar o lado dele profissional” – esclareceu Neneca.

Já a estrela do Náuas das últimas temporadas hoje é motivo de polêmica. A torcida ainda busca explicação para a ausência de Bergson nos treinos desta semana. Após uma conversa com a diretoria o jogador deixou o clube e não compareceu mais aos treinos.
“Nós conversamos e agimos da melhor maneira possível já que ele estava mal fisicamente, mal tecnicamente, pode-se dizer de passagem, os dois jogos que ele fez na Arena japiim, não foram condizentes com aquilo que nós pretendíamos.

Mas, é um grande jogador que eu conto com ele assim que retornar. Não sei qual é o problema dele, se é psicológico ou mesmo problema com a diretoria, mas o grupo quer contar com ele o mais rápido possível. Deixo claro aqui que ele não foi liberado. O que tem que ser falado é que ele se ausentou dos treinos, o motivo é por mim desconhecido. Mas, se tiver a baixa do Bergson, vamos atrás de outro jogador, mas não para o meio de campo e sim para a lateral esquerda que o que a gente mais precisa” – afirmou o técnico.

Para substituir Bergson no meio de campo uma das opções de Neneca é Poló que fez o primeiro jogo contra o Galo no último domingo e marcou o gol que deu o empate para a equipe de Cruzeiro do Sul. Uma segunda alternativa é Willamy que esteve no banco nos dois últimos jogos e poderá ser titular neste domingo contra o Vasco. No ataque será mantido Serginho que já foi titular no jogo contra o Atlético.


Gladson defende acordo para aposentados.


A presidência da Câmara dos Deputados e a Confederação Brasileira de Aposentados e Pensionistas (Cobap) realizaram, ontem em Brasília, uma exaustiva reunião para disponibilizar a votação do projeto de lei 1/07, que determina reajuste igual para aposentados do INSS e salário mínimo.

A presidência da Câmara dos Deputados e a Confederação Brasileira de Aposentados e Pensionistas (Cobap) realizaram, ontem em Brasília, uma exaustiva reunião para disponibilizar a votação do projeto de lei 1/07, que determina reajuste igual para aposentados do INSS e salário mínimo. Com base nas discussões, o deputado Gladson Cameli defendeu um acordo entre aposentados e Governo Federal a fim de colocar o projeto em pauta no plenário da Casa no mais curto espaço de tempo. ”É hora de votar um projeto que mexe com milhões de pessoas. Muitas delas ainda responsáveis diretas pelo sustento da própria família e agregados”, disse o deputado.

O parlamentar acreano quer levar a idéia do acordo até a liderança de seu partido, o PP, que poderá facilitar as articulações junto a outras lideranças e agilizar o encaminhamento da questão. O acordo foi ainda defendido pelo próprio presidente da Câmara ,Michel Temmer, que aconselhou a busca do diálogo com o ministro-chefe da Secretaria - Geral da Presidência da República, Luiz Dulci. Segundo Gladson, o projeto estabelece que as aposentadorias e pensões devam ser reajustadas pelo índice de inflação mais o Produto interno Bruto (PIB) integral, exatamente como ocorre com o salário-mínimo. O Governo admite, no máximo, aumento com base na inflação e metade do PIB.

Gladson adiantou ainda que Temmer tem interesse de levar o projeto à votação, desde que haja um mínimo de consenso. Para o deputado, é fundamental a Cobap entre em contato com o Governo Central, que já vem conversando com as grandes centrais sindicais sobre o tema.”A grande reclamação da Cobap é que não vem sendo ouvida pelo Governo”.De acordo com o deputado, resta agora apostar nas negociações e realizar todas as tentativas para a conclusão de um acordo.”Caso contrário, Governo Federal terá um desgaste muito grande em pleno ano eleitoral.Ou a oposição pode ainda aproveitar a tramitação a MP que reajusta o salário-mínimo para trancar a pauta”.

Gladson explicou que existem duas emendas à MP do salário-mínimo: uma estabelece reajuste para os aposentados e pensionistas baseado em 100% do crescimento do PIB, exatamente como é dado ao salário-mínimo. A outra determina um reajuste menor - 80% do PIB. O deputado terminou por informar que o Governo já vem sinalizando publicamente que poderá chegar aos 80% reivindicados. ”Agora tudo depende de muita conversa e argumento para chegar a bom termo. É o que todos esperamos”, sintetizou o parlamentar.


Jorge Viana representa Governo do Acre na despedida de Armando Nogueira


O estádio do Maracanã ficou iluminado durante a noite desta segunda-feira, 29, em homenagem ao jornalista Armando Nogueira, que morreu no início da semana, no Rio de Janeiro. O corpo foi velado no estádio e levado nesta terça até o Cemitério São João Batista, na capital fluminense, onde foi enterrado.No caixão, duas bandeiras: a do Botafogo (time do coração) e do Acre, estado onde nasceu.

Acompanhado do Secretário de Comunicação do Acre, ex-governador acompanha velório e enterro do jornalista acreano no Rio de Janeiro

O estádio do Maracanã ficou iluminado durante a noite desta segunda-feira, 29, em homenagem ao jornalista Armando Nogueira, que morreu no início da semana, no Rio de Janeiro. O corpo foi velado no estádio e levado nesta terça até o Cemitério São João Batista, na capital fluminense, onde foi enterrado.No caixão, duas bandeiras: a do Botafogo (time do coração) e do Acre, estado onde nasceu.

O Presidente do Fórum Estadual de Desenvolvimento Sustentável e ex-governador Jorge Viana, acompanhado do Secretário de Comunicação, Aníbal Diniz, participaram do momento de despedida, representando o Governo do Acre como homenagem ao acreano de Xapuri que fez história no jornalismo brasileiro.O Governador Binho Marques não pôde acompanhar devido a uma agenda de convênios em Brasília, mas mandou seu abraço à família de Armando Nogueira através dos dois representantes acreanos.

Durante viagens ao Rio de Janeiro, Jorge Viana costumava visitar o jornalista que já estava convalescendo da doença nos últimos anos. Para o ex-governador, a ida ao velório para prestar as últimas homenagens em nome do Governo do Estado, é uma forma de o povo do Acre agradecer ao jornalista pelo importante trabalho que ele realizou. "Uma homenagem à mudança radical que ele promoveu no jornalismo brasileiro, notadamente na televisão, e o seu amor pelo esporte e por suas origens acreanas e xapurieneses".

Agencia de Noticias do Acre