segunda-feira, 12 de abril de 2010

Binho mostra avanços do Estado em entrevista às emissoras do Sistema Público de Comunicação


O governador Binho Marques concedeu nesta segunda-feira, 12, entrevistas aos programas Gente em Debate, da Rádio Difusora Acreana; Jornal da Aldeia, da Rádio Aldeia FM; e ao Jornal do Meio Dia, da TV Aldeia.

Escrito por Edmilson Ferreira

Governador falou aos programas Gente em Debate, Jornal da Aldeia e Jornal do Meio respondendo a perguntas e ouvindo sugestões da comunidade

O governador Binho Marques concedeu nesta segunda-feira, 12, entrevistas aos programas Gente em Debate, da Rádio Difusora Acreana; Jornal da Aldeia, da Rádio Aldeia FM; e ao Jornal do Meio Dia, da TV Aldeia. Na Difusora, onde o programa foi conduzido pelos jornalistas Júnior César e Jacira Abdon, e na TV Aldeia, cujo jornal é apresentado por Jorge Henrique, Binho respondeu a perguntas gravadas e feitas ao vivo por ouvintes e telespectadores. Todos os assuntos foram abordados e Binho Marques fez um balanço de tudo o que já foi feito pelo seu governo e o que será realizado até o dia 31 de dezembro, quando conclui o terceiro mandato de um mesmo projeto político.

"Desde 1999, somando o que o governador Jorge Viana realizou, o que foi feito é superior à soma de todos os governos. Só neste terceiro governo, a gente fez com que a folha de pagamento saísse de R$ 11 milhões para R$ 22 milhões", disse o governador ao responder questão sobre os investimentos em saúde e sobre o PSF Móvel, uma das ações do ProAcre para garantir atendimento médico nas comunidades remotas.

O Programa de Saúde da Família (PSF Móvel) está chegando aos dez maiores rios do Acre, realizando atendimento nas comunidades-polo, que são maiores e que servem de referência para comunidades menores (denominadas CAU - Comunidade de Atendimento Universal, e CAP - Comunidades de Atendimento Prioritário).

"Jorge Viana construiu as bases e em nosso governo consolidamos os serviços e ampliamos a contratação de médicos", informou o governador. "Nós vamos entregar ao próximo governador uma estrutura invejável em saúde. Se nós temos um desafio, este está no atendimento e isso está sendo transformado", completou. A padronização dos postos de saúde depende da boa interação entre governo e prefeituras, as quais encontram grandes dificuldades para gerir o sistema.

"O governo do Acre é o único que está investindo nos municípios", disse. O Governo do Estado remunera as prefeituras pelo atendimento na saúde à mulher e à criança. Ganha mais quem trabalha mais.

Para melhorar a saúde na capital, Binho tem conversado com o prefeito Raimundo Angelim e a proposta é de se fazer um redesenho da rede. "É melhor um número de centros e postos com atendimento de qualidade. É melhor poucos funcionando bem que muitos funcionando mal", considerou o governador.

O ouvinte da rádio, Antônio de Paula, perguntou sobre urbanização das cidades e Binho respondeu que o ex-governador Jorge Viana deu início à política de investimentos nos municípios, algo que só acontecia - e precariamente - na capital. O governador elencou os vários investimentos que estão em andamento em Brasiléia, Feijó (Parque do Buritizal), Cruzeiro do Sul, Mâncio Lima, Rodrigues Alves e todos os demais. "Essas melhorias significam qualidade de vida", afirmou Binho.

No Jornal do Meio-Dia, o telespectador Paulo, do bairro do Aviário, pediu informações sobre saúde e áreas de risco. Binho disse que Governo e Prefeitura estão acompanhando de perto a situação das famílias, que há 54 canteiros de obras habitacionais em Rio Branco, sendo que a prioridade no assentamento são pessoas provenientes dessas áreas. Andém, do São Francisco, perguntou sobre o lançamento de esgoto na região do igarapé São Francisco. "Até o final do ano teremos 70% do esgoto produzido na capital completamente tratado. Em 2011, serão 100%. O bairro do São Francisco está no plano de expansão da coleta de esgoto", resumiu o governador.

Saiba o que o governador falou nas entrevistas:

INDÚSTRIA

No Gente em Debate, o advogado e administrador de empresas Heitor Júnior quis saber quais as novidades do Governo para indústria. "É o setor que mais tem crescido no Acre", respondeu o governador, citando que regularmente recebe empresários interessados em investir no Acre. O ex-governador Jorge Viana criou o Distrito Industrial, investindo R$ 4 milhões em dinheiro público - e a iniciativa privada aplicou R$ 100 milhões com seus próprios recursos na implementação do projeto. "Nós agora desapropriamos área para duplicar o Distrito Industrial e criamos o Polo Logístico de Rio Branco; inauguramos o Polo Moveleiro de Cruzeiro do Sul, o qual caminha para um Distrito Industrial. A meta que estamos atingido é de termos uma grande indústria de desenvolvimento sustentável em cada regional", informou Binho Marques, relacionando programas como o Florestas Plantadas, a produção de látex e a indústria energética ao avanço da industrialização do Acre.

MICROEMPRESAS

O ouvinte Wellington, microempresário do ramo de peças para motocicletas em Rio Branco, perguntou ao governador sobre programas para o setor. Binho respondeu que os microempreendimentos são responsáveis os maiores empregadores e que os investimentos já estão acontecendo. Desde 2007, lembrou o governador, o governo vem realizando, junto com o Sebrae, ações e investimentos para viabilizar o SuperSimples, programa que beneficia as microempresas, entre outros projetos que minimizem a carga tributária e facilitem a vida do segmento.

PROACRE NO PURUS

O morador da Vila de São José do Purus, em Sena Madureira, quis saber quando as ações do ProAcre chegarão àquela comunidade. "O Purus é prioritário para nós. Vamos chegar ali em breve", disse o governador. O ProAcre vai garantir médicos, educação e produção rural, evitando que as pessoas tenham de ir para a cidade em busca de melhor condição de vida.

MEIO AMBIENTE NO PROACRE

Ainda no programa Gente em Debate, o presidente da Associação dos Moradores da Vila Jerusalém, localizada às margens do rio Acre, em Rio Branco, Francisco Silva, perguntou sobre o tema meio ambiente no contexto do ProAcre. "O meio ambiente é central no ProAcre", disse o governador, citando o programa de Roçados Sustentáveis como um dos esteios desse componente. Além disso, há o programa de Compra da Produção e o repasse de mais de quarenta barcos para escoamento da produção sustentável. "Toda nossa produção está ligada ao meio ambiente", sintetizou Binho Marques.

O projeto Folha Defumada Líquida (FDL) é uma grande alternativa, uma importante possibilidade de reativação dos seringais no Vale do Juruá, onde está sendo implantado. No Vale do Acre, há famílias que chegam a faturar R$ 2 mil ao mês com o FDL.

BR 364

O Departamento Estadual de Infraestrutura Rodoviária, Hidroviária e Aeroportuária do Acre (Deracre) está iniciando as obras de reabertura da BR 364 em direção a Cruzeiro do Sul, o que faz todos os anos desde 1999. "É uma estrada de importância social muito grande", disse o governador, esclarecendo que a reabertura não é obra definitiva. "Primeiro, reabre-se a estrada, depois são retomadas as obras de asfaltamento". Alguns trechos e obras não sofreram interrupção mesmo diante do pesado inverno amazônico, como as pontes e a recuperação do trecho entre o rio Liberdade e Tarauacá.

SEGURANÇA PÚBLICA

No Jornal da Aldeia, da Rádio Aldeia FM, Binho Marques resumiu ações, programas e projetos de seu governo. Na área de segurança pública, por exemplo, lembrou de tudo o que já foi feito e dos desafios próximos, como o investimento nas pessoas. "Policiais cada vez mais enfrentam situações que não estavam acontecendo. Nossa polícia tem se dedicado, apesar dos percalços. O grande desafio é uma polícia que trabalhe com lógica e, por isso, dividimos o sistema em regionais. Esse é o caminho e tenho certeza que o futuro governador dará continuidade".

RAMAIS

O telespectador José Gomes perguntou sobre a situação dos ramais do Projeto de Assentamento Tocantins, em Porto Acre, ao que Binho respondeu que o governo "está parando de enxugar gelo" em ramais, investindo no asfaltamento das vias coletoras e promovendo tal desenvolvimento que o Acre já tem uma classe média rural - pessoas com nível financeiro melhorado, com condições de adquirir bens móveis e imóveis e melhorar de vida. A proposta de se investir R$ 100 milhões a partir do Pacto Agrário já foi superada, podendo chegar aos R$ 400 milhões até o fim do governo.

ANO ELEITORAL

2010 é um ano diferente, com a Copa do Mundo na África do Sul e as eleições gerais, dois eventos que movimentam o País. No Jornal do Meio Dia, na TV Aldeia, Binho Marques reafirmou o trabalho intenso de seu governo em todas as áreas, o que faz com que o mandato de apenas quatro anos esteja valendo por oito anos. "Estamos conseguindo com muito trabalho", disse, assegurando que mesmo o trabalho resultante da soma de dois mandatos e os governos de Jorge Viana se tornam superiores a tudo o que foi feito na história do Estado. "O futuro governador vai poder trabalhar mais acelerado, quem sabe fazendo 16 anos em quatro", brincou o governador.

TRÂNSITO NA CAPITAL

Vários outros telespectadores fizeram perguntas, considerações, elogios, sugestões e reivindicações. O telespectador Joel, por exemplo, quis saber sobre a 4ª Ponte e o vendedor Osvaldo, ambos moradores de Rio Branco, perguntou sobre medidas para o trânsito da capital. Binho informou que além de obras como a da 4ª Ponte, a Rua Pernambuco e a Avenida Amadeo Barbosa, estão sendo contratados engenheiros de trânsito para que seja encontrada a melhor sincronia dos sinais de trânsito, de modo que o fluxo possa fluir melhor. Além disso, há um norteador, que é o Plano Diretor de Trânsito de Rio Branco, base das políticas para o setor.

Com indicação e estímulo do senador Tião Viana, o Governo do Acre apontou ao PAC 2 a implantação de corredores do VLT (veículo leve sobre trilhos) que deve facilitar o transporte coletivo e melhorar o trânsito na capital. A Organização Central de Atendimento (OCA) atuará com 250 serviços de vários órgãos municipais, estaduais e federais, mas não deverá complicar o trânsito no Centro porque está localizada próximo ao Terminal Urbano e destina-se a facilitar a obtenção de documentos e informações pelas pessoas mais pobres.



Dona Zinha comemora, em família, centenário de vida


Com os cabelos presos, bem penteados e um vestido azul florido com a ajuda da esposa do neto, senta. A voz fraca, mas um sorriso no rosto. Francisca da costa Ribeiro, dona Zinha como é chamada por todos, completou 100 anos no dia dois de abril. A mãe de oito filhos, 42 netos, 82 bisnetos e 22 tataranetos comemorou seus 100 anos numa festa com toda a sua família.

Com os cabelos presos, bem penteados e um vestido azul florido com a ajuda da esposa do neto, senta. A voz fraca, mas um sorriso no rosto. Francisca da costa Ribeiro, dona Zinha como é chamada por todos, completou 100 anos no dia dois de abril. A mãe de oito filhos, 42 netos, 82 bisnetos e 22 tataranetos comemorou seus 100 anos numa festa com toda a sua família.

“Eu só não nasci foi mentirosa, graças a Deus. Porque quase que nasci no dia da mentira, mas Deus não deixou porque ele sabe que eu não minto.” Com um sorriso no rosto, dona Zinha fala sobre sua vida, sobre os seus 100 anos.

Nasceu em um seringal, depois de seu casamento veio morar em Cruzeiro do Sul. “Eu lembro nós pequenos e o papai meio adoentado, mas tava trabalhando. Meus pais eram pessoas muito boas. No dia do meu casamento eu tomei a bênção aos meus pais e depois passei a noite chorando, porque tinha deixado eles”.

Desde moça sempre vaidosa, dona Zinha para a gravação por causa de um fio solto no vestido. “Eu sempre fui vaidosa, sempre gostei de me vestir bem. Lembro-me de uma vez que queria um tecido bem bonito e o meu padrasto não quis comprar, comprou um bem ruim, eu fiquei porque precisava.”

Ficou viúva cedo, aprendeu a ler, lia sempre a bíblia, muito religiosa dona Zinha lembra as briguinhas que tinha com o marido por causa da religião. “Meu marido era muito bom para mim, mas ele não gostava que eu fosse evangélica. Ele ficou adoentado e logo após faleceu, mas morreu salvo porque eu orava e ele aceitou Jesus. Ele me deixou meus bens mais preciosos, meus filhos”.

A centenária se emociona também ao lembrar-se de seu primeiro filho que faleceu após nascer. “Era Jandiro o nome dele, ele era bem gordinho e esperto, mas ele nasceu com uma doença que tava dando naquele tempo nas moças grávidas, eu escapei por sorte, mais o meu bichinho morreu”.

Trabalhadora dona Zinha sempre ajudou os pais e depois para sustentar seus filhos. “Eu sempre trabalhei nunca tive preguiça. Eu trabalhava com um menino no colo e outra na barriga. Eu to só esperando eu melhorar que eu quero ajudar as meninas aqui em casa”.
Os filhos e demais familiares fizeram uma festa para comemorar os 100 anos de dona Zinha, que ficou feliz ao ver toda a família reunida. “Eu gostei da minha festa, só não vieram todos da minha família, tinha um netinho doente que também não veio. Mas eu gostei muito”.

Bem disposta e sempre bem humorada dona Zinha ao se despedir de mim diz “Vocês vão fazer essa matéria para o pessoal saber que tem uma velha aqui”.

Kattiúcia Silveira