terça-feira, 13 de abril de 2010

Crianças da comunidade Santa Maria deixam de ir a aula devido péssimas condições da escola


Os moradores da Santa Maria, na BR 307, estão revoltados com a situação da escola comunidade e pedem ajuda da prefeitura para fazer a reforma da unidade de ensino. A Escola não possui água encanada e faltam alimentos para a merenda. Os pais, vendo as condições precárias que enfrentam os professores e alunos, decidiram fazer greve e as crianças e adolescentes da comunidade não estão freqüentando as aulas.

Os moradores da Santa Maria, na BR 307, estão revoltados com a situação da escola comunidade e pedem ajuda da prefeitura para fazer a reforma da unidade de ensino. A Escola não possui água encanada e faltam alimentos para a merenda. Os pais, vendo as condições precárias que enfrentam os professores e alunos, decidiram fazer greve e as crianças e adolescentes da comunidade não estão freqüentando as aulas.

Os pais dos estudantes decidiram não deixar os filhos freqüentarem a escola por falta de água, merenda e materiais de limpeza. A escola que possui apenas uma sala de aula e uma secretaria, desde 2000 quando foi construída, nunca passou por nenhuma reforma.

A moradora, Francisca Silvana, diz que a comunidade está sofrendo há 10 anos e que já procuraram melhorias através do poder publico, mas ainda não foram atendidos. “Nó não estamos exigindo do bom e do melhor, estamos pedindo o que é direito da comunidade e dos nossos filhos. Quando um prefeito se candidata ele diz que vai melhorar a qualidade de vida da população, mas no nosso caso não está acontecendo”.

Segundo a moradora Maria de Nazaré Miranda, seus filhos levam de casa a merenda e a água para a escola e a merendeira é quem busca água em um igarapé que fica próximo. “Eles levam de casa a água e a merenda para a escola, porque isso não tem lá. O prefeito começou a fazer uma cacimba, mas ficou por isso mesmo, deixaram no meio de viagem. O lugar mais próximo da escola que tem água é um igarapé que fica próximo da escola. A merendeira busca água lá pra poder beber e fazer a merenda”.

O presidente da associação da comunidade, Francisco Freitas da Silva, diz que está há mais de um ano na presidência e que sempre foi assim. “Eu cheguei a levar um abaixo assinado para o prefeito ele está sabendo que nós estamos em greve, fui conversar com o Ivo e ele disse que ia arrumar mais não arrumou. Eu não sei nem o que eu fazer”.

Um dos professores que leciona na escola não quis da entrevista com medo de ser prejudicado. A greve dos moradores começou na terça-feira, (06), e só vai terminar, de acordo com os pais dos alunos, quando a prefeitura resolver apresentar soluções para os problemas da unidade de ensino

Kattiúcia Silveira


Binho abre Jogos Escolares 2010: "é o símbolo da altivez do Acre"


Os Jogos Escolares 2010 foram abertos pelo governador Binho Marques nesta útima segunda-feira, 12, no Ginásio Álvaro Dantas, em cerimônia que contou com as presenças de autoridades como o prefeito em exercício de Rio Branco, o vereador Juraci Nogueira, a deputada federal Perpétua Almeida, a secretária de Estado da Educação, Maria Corrêa, o deputado estadual Ney Amorim e o secretário de Esportes, Turismo e Lazer, Cassiano Marques, além de estudantes e desportistas.

Escrito por Edmilson Ferreira

25 mil estudantes olímpicos e paraolímpicos participam das competições. Qualidade atlética, disciplina e autoestima crescem proporcionalmente ao avanço da educação


Os Jogos Escolares 2010 foram abertos pelo governador Binho Marques nesta útima segunda-feira, 12, no Ginásio Álvaro Dantas, em cerimônia que contou com as presenças de autoridades como o prefeito em exercício de Rio Branco, o vereador Juraci Nogueira, a deputada federal Perpétua Almeida, a secretária de Estado da Educação, Maria Corrêa, o deputado estadual Ney Amorim e o secretário de Esportes, Turismo e Lazer, Cassiano Marques, além de estudantes e desportistas. "Os Jogos Escolares são o símbolo de que hoje o Acre tem altivez", disse o governador.

Na cerimônia de abertura dos Jogos Escolares, a Tocha Olímpica foi conduzida pelos atletas Kelington Silva e Maikon Moreira, do Dom Bosco. Binho recebeu a Tocha das mãos de Kelington e a repasou às autoridades, até que fosse acesa a Pira Olímpica, marcando o início das competições.



Incentivar o esporte como ação educativa é a proposta do Governo do Estado para transformar o Acre em um lugar melhor para os jovens. Há doze anos, quando os Jogos Escolares foram retomados, as escolas públicas não ofereciam ambiente adequado para a prática esportiva. Promovido pelo Governo do Estado do Acre, através da Secretaria de Estado de Educação, Secretaria de Esportes Turismo e Lazer e Prefeituras Municipais, os Jogos Escolares do Acre têm por finalidade promover a ampla mobilização e integração da juventude, tendo em vista aumentar a participação em atividades esportivas em todo o Estado.

A cerimônia foi marcada pela emoção com a entoação do Hino Acreano e a apresentação de uma peça baseada na música "Ciranda da Rosa Vermelha" por estudantes do Instituto de Ensino Especial Dom Bosco, que assim como a Associação dos Pais e Amigos dos Excepcionais leva atletas para as disputas paraolímpicas. Para a secretaria de Estado da Educação, Maria Corrêa, os Jogos Escolares são importantes no rendimento escolar. De seu lado, o deputado estadual Ney Amorim, que já participou dos Jogos, desejou boas disputas para todos.

O professor Alex Dantas é um dos maiores entusiastas dos Jogos Escolares. Docente no Colégio Estadual Armando Nogueira (Cean), Alex Dantas quer levar seus alunos às principais posições na competição estadual e na fase nacional, que será realizada em Fortaleza (CE). "Faremos o possível, temos grandes atletas", disse o professor, cujas equipes representaram, na edição passada, 50% da delegação acreana na etapa nacional. "Sempre treinamos bastante. As aulas começam numa semana e na outra já estamos nas quadras", declarou o técnico. Velas de 12 anos sobre um bolo confeitado foram sopradas por atletas olímpicos e paraolímpicos.

Arbitragem de alto nível

Os árbitros dos Jogos Escolares 2010 são do quadro profissional das confederações. No futsal, por exemplo, um dos juízes é o vendedor autônomo Antônio Neuriclaudio, dos quadros da Confederação Brasileira de Futebol (CBF) e da Federação Acreana de Futebol (FFAC).

Antônio é veterano na arbitragem. Há onze anos atua em jogos de futebol da Série D e Série C do Campeonato Brasileiro, entre muitos outros torneios. Foi ele quem apitou a memorável partida de inauguração da Arena da Floresta, em que o Rio Branco venceu a Seleção Brasileira Sub-20 pelo placar de 2 a 0. "O futsal masculino do Acre está evoluindo muito", observou o árbitro.

Credibilidade na comunidade escolar é a principal marca dos Jogos

Cerca de 25 mil estudantes estarão participando dos Jogos em todos os 22 municípios, segundo estimativas da Setul. A atleta Isabele Oliveira fez o Juramento do Atleta. Ela é campeã em voleibol pelo Colégio Armando Nogueira nos jogos de 2009. Quando começou, em 1999, os JE reuniram apenas 5.000 alunos. "A grande marca desses 12 anos é a credibilidade dos jogos perante as escolas", avaliou Shirley Torres, que desde 1999 organiza a competição.

Em futsal, devido ao grande número de participantes, foi necessário criar um zoneamento em Rio Branco: 200 escolas passaram por um processo denominado "peneirada" para definir quem participaria da fase municipal.

Na capital, os jogos já começaram nesta terça-feira, 13, e serão realizados até o próximo dia 20 de abril. O evento é sempre marcado pela integração entre estudantes de Rio Branco e dos municípios do interior. As escolas classificadas na etapa municipal participam da seletiva que acontece em duas regionais, sendo que uma éem Rio Branco e a outra em Cruzeiro do Sul. Em seguida, os vencedores disputam a fase estadual, e os ganhadores seguem para a nacional.

Enfermeiras mantêm plantão nas quadras

O atendimento em saúde é realizado em tempo integral para os participantes dos Jogos Escolares em Rio Branco. Equipes compostas de duas enfermeiras que prestam apoio ao Programa Saúde na Escola permanecem nos ginásios Álvaro Dantas, Sesi e Diogo Feijó realizando serviços contra, principalmente, as contusões. A jovem Tharita, por exemplo, estudante do Projeto Poronga na Escola João Maria, localizada no bairro do Taquari, acabara de jogar no Ginásio Álvaro Dantas e sentiu dores na coxa direita. Recorreu então às enfermeiras e recebeu aplicação de uma pomada contra dor e massagem com gelo.

"Se ocorrer algo mais grave e for necessário uma remoção, a gente leva o estudante para a Unidade de Pronto Atendimento ou chama o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência", informou Ivone Nogueira, que trabalha junto com Suelen Silva. "Ontem (2ª-feira) uma menina se cortou durante um jogo e foi levada para a UPA do Segundo Distrito, e depois para casa", completou Suelen.

Paraolímpicos fazendo bonito no Acre e nas competições nacionais

Em 2008, foram incluídos nos Jogos Escolares os jogos paraolímpicos, que naquele mesmo ano conseguiu chegar à fase nacional da competição trazendo sete medalhas de prata e bronze. Já em 2009, os paraolímpicos triplicaram o número de medalhas ganhas, levando o Acre a ficar entre os oito primeiros Estados dos 26 que participaram do evento.

De acordo com Maria D´ávila, do IDB, pelo menos seis atletas paraolímpicos estão prontos para a competição. Eles devem participar em atletismo, natação, bocha e arremesso de dardo.

Alfonsinho Nemetala é cadeirante de 18 anos e conseguiu classificação para a fase nacional do campeonato de bocha. "Minha esperança é trazer medalha", disse o jovem que estuda no Instituto Dom Bosco.

"É o maior evento esportivo do Acre", diz governador
Os Jogos Escolares começaram em 1999 com as Olimpíadas Colegiais. Naquele ano participaram 5.000 alunos de todo o Estado. Ao término do primeiro mandato da Frente Popular do Acre o Governo do Estado, através da Setul e SEE, havia dobrado esse número.

Em 2001, Fabiano de Oliveira conquistou a primeira medalha de ouro para o Acre na etapa nacional. Em 2007, a equipe de voleibol da Escola São José, de Cruzeiro do Sul, sagrou-se campeã nacional. Além do ouro, teve o melhor atleta da competição na modalidade, o jovem Diego Oliveira, que foi incluído no Programa Bolsa Atleta para manter-se treinando e participando das competições. Desde então, o Acre se mantém nas divisões especiais do voleibol e também do handebol. Em 2008, a equipe masculina de handebol do Colégio Estadual Barão do Rio Branco foi vice-campeão nacional, perdendo o título por apenas um gol de diferença.

"É o maior evento esportivo do Acre", disse o governador, lembrando que estão sendo investidos cerca de R$ 1,5 milhões nos Jogos Escolares deste ano.

Eletricitários do Acre aderem paralisação nacional


Os servidores da Eletroacre paralisaram as atividades na manhã desta segunda-feira, (12). A paralisação é a nível nacional e foi determinada pelo SNE – Sistema Nacional dos Eletricitários e pela FNU – Federação Nacional dos Urbanitários.

Os servidores da Eletroacre paralisaram as atividades na manhã desta segunda-feira, (12). A paralisação é a nível nacional e foi determinada pelo SNE – Sistema Nacional dos Eletricitários e pela FNU – Federação Nacional dos Urbanitários.

A manifestação é uma forma de protesto contra a não implantação do PUCR – Plano Unificado de Carreira e Remuneração. As antigas empresas dos estados, no dia 25 de março, se unificaram na Eletrobrás. No primeiro momento o PUCR seria uma forma de elevar os salários, só que isso ainda não aconteceu e os servidores decidiram parar.
Segundo o delegado do sindicato da Eletroacre, Cleuson Gouveia, já foram feitas duas reuniões e não houve nenhum avanço para a melhoria dos salários.

“Essa paralisação é para elevar os nossos salários, para ficar a nível da Eletrobrás, o que significa um auxiliar administrativo da Eletrobrás hoje ele recebe em torno de R$ 1700,00 reais e um auxiliar administrativo da Eletroacre ele ta recebendo em torno de R$ 700,00 reais. O que acontece,nesse plano de carreira foi prometido que no primeiro momento haveria a regularização dos nossos salários, só que isso ainda não aconteceu”.

Estão parados em torno de 70% dos servidores da Eletroacre e 30% trabalham para que a greve não se torne ilegal. “Quem quiser qualquer atendimento nós estamos funcionando com 30% dos servidores. Porque nós não podemos parar totalmente, porque se não se torna uma greve ilegal. Então se você quiser fazer o seu pedido para religar a energia, nós estamos fazendo, no plantão nós estamos funcionando normal” – afimrou.

No dia 15 deste mês haverá uma reunião em Brasília para a regularização dos salários. Se não houver avanços os sindicatos vão se reunir e ficar parados até a Eletrobrás se manifestar.

Kattiúcia Silveira