sexta-feira, 7 de maio de 2010

Diarista morre asfixiado ao descer para limpar cacimba


Um rapaz de 18 anos de idade morreu asfixiado na manhã desta sexta-feira, 07, ao descer em uma cacimba para fazer a limpeza. Jhonata Silva de Souza descia por uma corda quando sentiu que estava faltando oxigênio. Outro rapaz que segurava a corda disse que Jhonata ainda reclamou que a cacimba estava ficando quente e desmaiou antes de chegar ao fundo do poço.


Mazinho Rogerio
Fotos Aureo Neto


Um rapaz de 18 anos de idade morreu asfixiado na manhã desta sexta-feira, 07, ao descer em uma cacimba para fazer a limpeza. Jhonata Silva de Souza descia por uma corda quando sentiu que estava faltando oxigênio. Outro rapaz que segurava a corda disse que Jhonata ainda reclamou que a cacimba estava ficando quente e desmaiou antes de chegar ao fundo do poço.

O incidente aconteceu no Bairro Formoso às 9h30m. Os dois diaristas foram contratados pelo dono de um terreno, que iniciou a construção de uma casa esta semana, para tirar a sujeira de dentro da cacimba. Jhonata amarrou um pedaço de galho na ponta da corda e descia sob o controle do colega de trabalho que controlava a descida através de um mecanismo chamando na região de “Bolinete”.

Passando da metade do poço que tem 13 metros de profundidade, o rapaz começou a reclamar da temperatura que, segundo o outro, estaria muito quente. Logo em seguida afirmou que estava faltando oxigênio e com dificuldades para respirar. Mesmo assim, o diarista continuou na tentativa de ir até ao fundo, mas desmaiou antes de da chegada.

Homens do Corpo de Bombeiros foram acionados e em poucos minutos estavam no local. Para entrar no poço e retirar o rapaz, um bombeiro teve que utilizar uma garrafa com oxigênio. Fora da cacimba a equipe de resgate ainda tentou reanimar o diarista, mas não teve jeito.

“As pessoas que fazem esses serviços em poços nessas profundidades correm sérios riscos. A água comprime um gás que diminuir a concentração de oxigênio e causa a asfixia” – disse o Sargento Édem, do Corpo de Bombeiros, que comandou a missão de resgate do diarista.

O colega de Jhonata foi à casa da família para informar do ocorrido. A mãe do rapaz entrou desespero e ficou em estado de choque no momento que identificou o corpo do filho que já havia sido levado ao Necrotério da cidade para a realização do exame cadavérico.

BNDES faz avaliação positiva sobre obras que financia no Acre


Há uma semana um grupo de técnicos do setor de planejamento e economistas do BNDES está visitando o Acre e conhecendo obras do Governo do Estado em Rio Branco, Capixaba, Xapuri, Brasiléia e Feijó. Como última etapa de sua visita, o grupo conheceu em Cruzeiro do Sul as obras da Ponte do Juruá - maior do estado com 550 m de extensão - e o estádio Arena do Juruá. Ainda nesta sexta, o grupo retorna a Rio Branco, de onde seguirá para o Rio de Janeiro.



Escrito por Flaviano Schneider

Desempenho do Governo do Acre é exemplo positivo para nova linha de financiamento do banco aos estados

Há uma semana um grupo de técnicos do setor de planejamento e economistas do BNDES está visitando o Acre e conhecendo obras do Governo do Estado em Rio Branco, Capixaba, Xapuri, Brasiléia e Feijó. Como última etapa de sua visita, o grupo conheceu em Cruzeiro do Sul as obras da Ponte do Juruá - maior do estado com 550 m de extensão - e o estádio Arena do Juruá. Ainda nesta sexta, o grupo retorna a Rio Branco, de onde seguirá para o Rio de Janeiro.

Segundo explicou o engenheiro Roberto Pereira, da área de Planejamento do BNDES e chefe da comitiva, o objetivo do grupo é examinar os resultados dos apoios que têm sido dado ao Estado e quais efeitos foram alcançados. "A missão é basicamente no sentido de visitar os projetos aprovados, verificar se eles foram bem realizados; se a população está satisfeita; se o meio ambiente foi respeitado e o se o desenvolvimento econômico foi alcançado; enfim verificar o que acontece com os investimentos que foram realizados", disse.

Roberto afirma que, embora seja a primeira visita e o estudo terá prosseguimento, o grupo teve uma ótima impressão. "Nós achamos que o Governo do Acre tem realizado todos os investimentos com que foi apoiado de uma maneira muito correta, sempre com a preocupação de desenvolvimento social, de manutenção de boa qualidade ambiental e de desenvolvimento econômico do estado. Nossa impressão é positiva. O Estado avançou muito nos últimos anos".

O secretário estadual de Planejamento, Gilberto Siqueira, e o diretor do Deracre, Marcos Alexandre, acompanharam a comitiva do BNDES em sua jornada pelo Estado. Siqueira explicou que está havendo uma troca de experiências entre o BNDES e o Governo do Estado, pois o banco está pensando em estruturar melhor uma linha de crédito para os estados e o Acre é um estudo de caso, um modelo para que eles possam aperfeiçoar essa linha de financiamento.


Parceiro desde 2002

Segundo Marcos Alexandre, o BNDES é um grande parceiro do Acre desde 2002 quando foi assinado o primeiro contrato, apoiando grandes obras que o governo vem desenvolvendo. Ele acha importante que o BNDES venha verificar as obras que estão financiando, bem como as obras que o governo vem executando com financiamento de outras fontes como Banco Mundial e Banco Interamericano.

A comitiva - segundo informou- visitou obras em Rio Branco e os investimentos na área produtiva em Capixaba, Xapuri, Assis Brasil, Brasiléia, como o frigorífico de aves, Seringal Cachoeira, a ponte Brasil-Peru em Assis Brasil. Na 5ª feira o destino foi o município de Feijó, onde o grupo visitou a ponte do Envira e conheceu os investimentos na cidade. Ao final do dia os técnicos fizeram uma avaliação de todos esses investimentos.

"É um grande prazer receber uma comissão de técnicos do BNDES para que a gente possa planejar novos projetos e investimentos para o futuro e ao mesmo tempo verificar esta grande obra que está sendo construída. A ponte do Juruá é a maior do nosso estado, um desafio para a engenharia e a gente podendo demonstrar todo o esforço que o governo vem fazendo para que a gente possa entregar a obra dentro do cronograma", avalia.

Marcos informou ainda que o BNDES está abrindo uma linha de financiamento para o setor privado também, de forma que os empresários possam investir nos seus negócios e assim gerar emprego e renda na região. Ele lembrou ainda outro fato relevante: "Eles estão levando esta experiência do Acre para outros estados do país, de modo a multiplicar isto pelo Brasil afora".

Sobre a experiência do BNDES com o Acre, Roberto Pereira comentou: "O que acho importante é o espírito com que a coisa foi feita de realizar obras em prol do desenvolvimento do estado sem agredir o meio ambiente, com a preocupação social. Nesse sentido essas obras servirão de exemplo para outros estados. É claro que cada estado tem sua peculiaridade, sua particularidade, mas essa preocupação que o estado do Acre tem com a sociedade, com a floresta, com o meio ambiente sem dúvida deve ser observada e percebida para ser replicada para outros estados".

SINTEAC realiza assembléia para informa categoria sobre negociações com o governo


Na manhã desta terça-feira, (07), dirigentes do SINTEAC realizaram uma assembléia de caráter informativa sobre a situação da greve dos servidores da rede estadual de educação. A previsão é que ainda nesta sexta-feira o governador, Binho Marques, se reuna com uma comissão dos trabalhadores para apresentar uma nova proposta.




Na manhã desta terça-feira, (07), dirigentes do SINTEAC realizaram uma assembléia de caráter informativa sobre a situação da greve dos servidores da rede estadual de educação. A previsão é que ainda nesta sexta-feira o governador, Binho Marques, se reuna com uma comissão dos trabalhadores para apresentar uma nova proposta.

Os professores de Cruzeiro do Sul entraram em greve na segunda-feira, (03), e esperam a nova proposta do governo para cessar a o movimento. De acordo com o sindicato, agora à tarde o governo deverá dá uma posição em relação às reivindicações dos servidores que, entre outros direitos, exigem aumento salarial para toda categoria.

"Solicitamos aumento salarial para todo o quadro da Seretaria Estadaul porque, de acordo com o que havia apresentado o governo, os professores aposentados teriam aumento zero, assim como os que estão em serviços nas coordenações de de laudo médico" - sustentou o presidente do SINTEAC em Cruzeiro do Sul, Valdenísio Martins.
Se a propsota apresentada pelo governo atender os interesses os servidores as aulas poderão ser retomadas na segunda-feira, (10). "Se não, vamos dá continuidade a greve até que tenámos um resultado positivo" - afirmou Valdenísio.

Representantes dos alunos também estiveram presentes na assembléia realizada nesta sexta-feira. Segundo o Presidente da União Municipal dos Estudantes Secundaristas - UMES, Willian Denis, a classe mais afetada nessa greve não são os professores e sim os estudantes.

“Nós entendemos que os professores devem ser valorizados pelo estado, mas nessa greve quem está sendo mais prejudicado são os estudantes. Nós estamos mais preocupados com quem vai fazer vestibular no final do ano. O governo precisa resolver logo esse problema para ninguém ficar prejudicado”.

Ainda de acordo com o presidente do SINTEAC em Cruzeiro do Sul os alunos não serão prejudicados por causa da greve. “ A greve é legítima, é um direito do trabalhador e nós estamos conscientes que existe uma carga horária a cumprir.

Com greve ou sem greve esses 200 dias letivos eles acontecem. A escola tem autonomia suficiente para rever o ano letivo para que nenhuma aluno seja prejudicado. Existem várias alternativas que as escolas utilizam como projetos educativos dentro da escola e o gestor sabe como fazer. Isso é legal para que o ano letivo não seja prolongado por muito tempo” – afirmou o presidente.

Até o final da tarde os professores irão decidir se a greve continua ou não. Após a decisão que o governo deve apresentar hoje, o sindicato vai reunir novamente a categoria para tomar os novos rumos do movimento.

Kattiúcia Silveira

Vereadores aprovam projeto que isenta famílias carentes do pagamento do IPTU


Nesta quinta-feira (06), o prefeito Vagner Sales esteve pela segunda vez na Câmara Municipal para justificar as alterações no IPTU deste ano que foi motivo de protesto pela população de Cruzeiro do Sul. O prefeito também explicou detalhes de um Projeto de Lei que a Prefeitura enviou à Câmara para apreciação dos vereadores que isenta as famílias de baixa renda do pagamento do imposto.


Nesta quinta-feira (06), o prefeito Vagner Sales esteve pela segunda vez na Câmara Municipal para justificar as alterações no IPTU deste ano que foi motivo de protesto pela população de Cruzeiro do Sul. O prefeito também explicou detalhes de um Projeto de Lei que a Prefeitura enviou à Câmara para apreciação dos vereadores que isenta as famílias de baixa renda do pagamento do imposto.

A primeira proposta da Prefeitura era que pessoas que teria que pagar até 30 UNIFES, valor em torno de R$ 80,00, não pagariam IPTU este ano. No novo projeto apresentado nesta quinta-feira, o município isenta os proprietários de imóveis que teriam que pagar até 50 UNIFES. Com isso, de acordo com Vagner Sales, seriam isentos do imposto os proprietários de terrenos que teriam imposto a pagar em torno de R$ 130.

“Com esse projeto estamos isentando do pagamento do IPTU um total de 9 mil famílias. Esses vão receber o carnê do IPTU, mas constando que está isento. Logo em seguida a isenção, a prefeitura vai expedir o documento do terreno para todos que foram beneficiados” – garantiu o prefeito.

Logo em seguida às explicações, o prefeito Vagner Sales ainda respondeu algumas perguntas dos vereadores. Depois que dos questionamentos, o prefeito deixou a sessão e os vereadores iniciaram os debates sobre o projeto.

O Vereador Paulo Soriano ainda propôs uma emenda à matéria elevando a isenção para pessoas que teriam que pagar pelo IPTU um valor referente a 70 UNIFES. Mas, no final os parlamentares decidiram deixar de lado a emenda e aprovaram por unanimidade o projeto da prefeitura. Com isso, os donos de imóveis que teriam que pagar até 130 reais pelo IPTU não pagarão o imposto esse ano.

O vereador Paulo Soriano disse que ainda vai apresentar um anteprojeto para isentar os que teriam que pagar até 70 UNIFES.

O prefeito Vagner Sales garantiu que para quem não tem direito a isenção, será feita a revisão dos valores. “Pode haver alguns erros de cálculo no valor que está sendo cobrado para algumas pessoas porque muitos nem permitiram que a equipe da prefeitura fizesse o levantamento de seus imóveis. Tiveram casos que os imóveis foram medidos através de satélite porque os proprietários não deixaram a equipe fazer o trabalho. Então pode haver caso em que o valor esteja a mais. Mas, essas pessoas devem procurar a prefeitura que será feita a correção do valor” – afirmou.