sexta-feira, 24 de setembro de 2010

Antonia Sales há mais de 20 anos dedica sua vida para trabalhar para o povo do Acre, lado a lado com seu esposo Vagner Sales

Antonia Sales é uma voz imbatível na Assembléia Legislativa, defende seu povo com garra e coragem.
Antonia Sales é uma voz imbatível na Assembléia Legislativa, defende seu povo com garra e coragem.
Durante todo o seu mandato Antonia visita ribeirinhos, ramais, bairros chega à todos, pois a parlamentar acredita que só assim um político pode representar bem seu povo, vendo suas reais necessidades para reivindicar seus direitos junto ao poder publico.

Antonia Sales apresentou vários projetos, dentre eles o projeto que destinava as milhas compradas pelo Estado para o TFD (Tratamento Fora do Domicílio) que ajudava os mais humildes, acabando com a fila de espera, tendo em vista que alguns pacientes esperam tanto que chegam à morte e mesmo assim o Governador vetou o projeto que beneficiava os mais carentes.

Antônia Sales também foi a parlamentar que mais apresentou indicações pedindo melhorias para a população, num total de 115 indicações, além de ter sua luta voluntaria na saúde. Antonia Sales acredita que sem saúde ninguém consegue trabalhar e sem trabalhar não consegue sustentar sua família.
A casa de Antonia Sales não tem muro, grade nem cachorro e sim um tapete bem grande dizendo BEM VINDO A CASA DO POVO.

Assessoria

Vale do Juruá cria sub-regional da Associação Brasileira de Alzheimer

Em ato solene no auditório do Ministério Público, em Cruzeiro do Sul foi criada e instalada na quinta-feira, 23 de setembro, a sub-regional do Juruá da Associação Brasileira de Alzheimer (Abraz-AC).
A Abraz é uma sociedade civil e sem fins lucrativos, que tem como missão ser o ponto de referência das pessoas envolvidas com a doença de Alzheimer (dA) e outras demências, reunindo uma comunidade de familiares, cuidadores e profissionais, oferecendo-lhes meios de atualização, favorecendo intercâmbio de experiências e apoiando ações voltadas ao bem estar do portador, da família, do cuidador e do profissional. No Acre, a Abraz faz parte da Central de Articulação das Entidades de Saúde (CADES) que presta assessoria a 26 entidades ligadas à área de saúde. Dezenas de representantes da sociedade civil prestigiaram o evento e assinaram a ata de fundadores.

Um fato inédito, como destacou a presidente da Abraz-AC, Maria Leitão Bastos, foi a presença no evento dos presidentes dos Conselhos Nacional, Estadual e Municipal dos direitos da Pessoa Idosa, respectivamente, José Luis Telles, Ismael Cunha Neto e Maria das Vitórias. Maria Leitão preside a ABRAZ-AC desde sua fundação em 2003e foi a principal incentivadora para a abertura da sub-regional do Juruá que deverá atuar em todos os municípios do Vale do Juruá, inclusive os dos vales do Tarauacá e Envira. Segundo informou o próximo passo é abrir uma sub-regional no Alto Acre, na qual serão inseridos também bolivianos e peruanos, irmãos fronteiriços.

Ela demonstrou muita satisfação em ver que a Abraz está se expandindo no Estado: “Ser útil nos dá satisfação e a alegria é de ter conquistado novos voluntários. Nós cuidamos principalmente de quem cuida. Essa doença é o mal do século. As pessoas estão vivendo mais e os números de idosos afetados pela doença não param de subir. Graças a Deus podemos ajudar essas pessoas, cuja terapia principal é o amor e melhorar suas vidas”.

Maria Leitão informa que existem cerca de 40 mil idosos no Acre. Quanto ao número de portadores de dA, segundo ela não há levantamento, pois a entidade só conhece as pessoas que a procuram mas, se for calculado pelo percentual estabelecido pela Organização Mundial de Saúde o Acre pode ter três mil idosos atingidos por algum tipo de demência, sendo a mais comum delas a dA.

Presidente eleita foi professora durante 50 anos

A professora aposentada Regina Maia foi escolhida para presidir a entidade recém-fundada. Ela tem uma extensa biografia de trabalho em Cruzeiro do Sul tendo sido professora por 50 anos, passando por diversos cargos inerentes ao magistério destacando-se como conselheira de jovens. “Aceitei a indicação e estou satisfeita. Gosto de ser útil e não é minha idade que vai me fazer parar. Quero ter disponibilidade e saúde e encontrar o apoio e a cooperação de todos, porque uma andorinha só não faz verão. Com certeza esse grupo vai surpreender. Vamos fazer um bom trabalho” - disse.Os demais membros da diretoria são: vice-presidente - Samira Daniel da Silva; secretária - Cleide Ferreira dos Santos Messias; tesoureira - Vania Moria Lobão Viga; diretor-científico - Reginaldo Brandão; diretora jurídica - Edilene da Silva Corrêa; diretor de comunicação, Flaviano Schneider. Conselho Fiscal: Rosinei Alves Pequeno, Maria das Vitórias S. Medeiros e Angela Maria Valente de Figueiredo. Grupo de Apoio: Alcione Damila Borges e Lulu Amorim Barboza.

Saúde pública e Alzheimer
Segundo o médico José Luiz Telles, presidente do Conselho Nacional dos Direitos da Pessoa Idosa, há uma constatação de que principalmente os profissionais de saúde que trabalham nas unidades básicas – que tem os primeiros contatos com pessoas idosas ou com seus familiares - tem muito pouco conhecimento da doença de Alzheimer e suas fases. Para ele, já que não existe um tratamento que cure e nem medidas preventivas que garantam imunidade à doença, a melhor medida de saúde pública é o diagnóstico precoce que deve e pode ser feito numa unidade básica de saúde desde que os profissionais tenham conhecimento e saibam identificar possíveis portadores na conversa com pacientes e seus familiares.

Segundo José Luiz, principalmente os países em desenvolvimento tiveram sua população envelhecida muito rapidamente. Como a doença de Alzheimer tem maior manifestação acima dos 80 anos, que é a faixa de idade que mais cresce no planeta, inclusive no Brasil, o cenário é que haja um rápido crescimento também do número de portadores de dA. “O nosso sistema não está preparado seja do ponto de vista do cuidado à saúde, da qualificação dos profissionais e também do apoio comunitário e familiar, mas digo que a sociedade como um todo não está preparada para lidar com a DAE é urgente que fique. Em todos os níveis de organização, é preciso estabelecer orientações e diretrizes para lidar o melhor possível com o portador de dA e familiares.

Para o médico, os cuidadores se sentem muito solitários e é preciso criar espaços comunitários como centros de convivência para portadores de dA de modo que elas possam ocupar o seu dia a dia em exercícios mentais, terapias ocupacionais que tem o efeito, juntamente com medicamentos, de retardar o desenvolvimento da doença e também um apoio adicional importante para os cuidadores, que ficam isolados dentro de casa cuidando de seus familiares.

Ele considerou de fundamental importância a organização da Abraz no vale do Juruá, pois seus voluntários vão identificar portadores, organizar grupos familiares e nesses grupos será possível orientar sobre os melhores cuidados e principalmente os cuidadores terão espaço para expressar seus sentimentos . “Cuidar de uma pessoa com doença de Alzheimer é muito difícil; gera medo, gera dor, ansiedade, raiva. Portanto esses espaços coletivos são pontos de apoio, onde podem aflorar esses sentimentos e essas pessoas não se sintam sozinhas. Vejo com muita felicidade , a organização da sub-regional da Abraz no Juruá”.

A doença de Alzheimer, mais conhecida popularmente como demência ou 'caduquice', é um distúrbio neuro-degenerativo que provoca o declínio de algumas funções intelectuais, reduz a capacidade de trabalho e de interação social, altera o comportamento e a personalidade do paciente. O surgimento da doença é um impacto para a família do paciente, pois muda completamente o ritmo da vida familiar, já que é necessária uma assistência constante ao portador, surgindo assim uma dependência que só tende a se aprofundar com o passar do tempo. Só resta cuidar do paciente, com muito amor e carinho, contribuindo assim para retardar a degeneração, prolongando e tornando mais confortável o tempo de vida que resta ao doente.
Até o ano de 2050, uma em cada 85 pessoas do planeta poderá estar sofrendo da doença de Alzheimer, alcançando a cifra de 100 milhões de pessoas.

Sinais indicadores

Há vários sinais indicadores de que a pessoa está apresentando um possível sintoma de demência, podendo ser doença de Alzheimer. Esta pessoa deve ser encaminhada a um médico ou serviço de saúde para avaliação, diagnóstico e tratamento. A DA é neurodegenerativa, progressiva e irreversível, para a qual não existe prevenção e poucas alternativas de tratamento farmacológico. Quanto mais cedo for iniciado o tratamento e cuidado, mais pode ser feito pelo portador, já sendo possível reduzir significativamente a progressão da doença, na maioria dos casos.

Os sinais, segundo publicação da ABRAZ são os seguintes:

Perda de memória que afeta as relações pessoais (esquecimento de nomes, telefones, compromissos);
Dificuldades em executar tarefas domésticas simples como acender e apagar o fogo do fogão;
Problema com vocabulário (esquecimento de palavras comuns ou substituição por outras totalmente erradas);
Desorientação de tempo e espaço (dificuldade para localizar-se dentro de casa ou localizar a casa na rua onde vive);
Incapacidade para julgar situações (diminuição ou perda de senso crítico, levando a pessoa a ter comportamentos não usuais ou estranhos frente a outras pessoas);
Problemas com raciocínio abstrato (por exemplo, dificuldade em entender e controlar o próprio dinheiro ou cartão bancário);
Colocar objetos em lugares errados (por exemplo, a pessoa guarda o relógio no açucareiro, ou um ferro elétrico na geladeira);
Mudanças de humor ou comportamento (calma seguida de choro ou sinais de raiva, sem nenhuma razão aparente);
Mudanças na personalidade (por exemplo, a pessoa demonstra medo, complexo de perseguição, desconfiança e/ou confusão);
Perda de iniciativa (a pessoa torna-se muito passiva, necessitando de estímulos para voltar a se envolver em alguma atividade).
* Diretor de Comunicação da Abraz-AC

Escrito por Flaviano Schneider*
Fotos Elson Costa

Itamar de Sá é Candidato Ficha Limpa

O candidato a deputado estadual pelo PT, Itamar de Sá, rechaçou a noticia de que estivesse com problemas com a Justiça.
O candidato a deputado estadual pelo PT, Itamar de Sá, rechaçou a noticia de que estivesse com problemas com a Justiça. Segundo comentou, o que foi divulgado não reflete a realidade. Sua candidatura, inclusive, foi autorizada por todos os juízes membros do TRE do Acre, com decisão unânime por seis votos a zero. “O site do TRE/AC pode ser acessado por qualquer cidadão. Minha situação é de completa regularidade perante a Justiça Eleitoral. Estou apto à disputa e muito animado com a campanha que estamos fazendo”, comentou Itamar.

Com relação ao TCU, lembrou que seu nome jamais constou da lista de gestores com contas reprovadas. Disse ainda que todas as justificativas solicitadas pela corte de contas sempre foram atendidas e sanadas. “Essa noticia mentirosa que foi divulgada a partir de um site de notícia do Juruá é a tentativa desesperada de adversários e atende a interesses escusos com objetivo de prejudicar nossa campanha nessa reta final”.

Da redação de ac24horasem Rio Branco, Acre