sexta-feira, 5 de novembro de 2010

COMBATE À MALÁRIA CONTINUA INTENSO

As ações de coleta, diagnósticos e tratamento da malária, assim como a borrifação espacial e intra-domiciliar nas áreas que apresentam maior risco da doença são desenvolvidos constantemente no Juruá.
As ações de coleta, diagnósticos e tratamento da malária, assim como a borrifação espacial e intra-domiciliar nas áreas que apresentam maior risco da doença são desenvolvidos constantemente no Juruá.

Todas as manhãs, dezenas de agentes de endemias saem para inúmeras localidades no município de CZS com uma única missão: diminuir os índices de malária registrados da região. Por ser uma terra endêmica praticamente todos estão sujeitos a contrair a malária em Cruzeiro do Sul.

Porém, mesmo com todo o empenho da equipe imunizadora, ainda existe por parte dos moradores certo aborrecimento ao trabalho realizado. “Além de encontrarmos muitas residências fechadas, o que impede o trabalho de imunização, ainda percebemos em algumas localidades o descaso para com o trabalho por parte de população. É preciso ter uma maior conscientização da importância de um trabalho como este, que visa acima de tudo, diminuir o numero da doença na região”, relatou Rudson Guimarães, supervisor do primeiro distrito.

De acordo com a gerente de endemias, Simone Daniel, mesmo com a execução de ações de prevenção e combate a malária, os dados apresentam uma média mensal de mil e duzentos casos da doença. Ela enfatizou que muitas comunidades já reconhecem a importância das ações desenvolvidas, além dos próprios cuidados que cada pessoa deve apresentar para não se mostrar susceptível a malária.

A gerente destaca ainda enfatizou a importância da correta utilização dos mais de 25 mil mosqueteiros entregues em Cruzeiro do Sul. “Os mosqueteiros vieram pra somar grandiosamente às outras ações que já estavam sendo realizadas e estão sendo realizadas”.

A equipe imunizadora realiza também junto às visitas domiciliares um trabalho de educação e saúde e informação. Principalmente esclarecendo os cuidados a serem tomados durante esta época do ano, quando começam as chuvas torrenciais, momento propício a proliferação da doença.

A endemia de Cruzeiro do Sul conta com uma equipe de quase 250 pessoas, que estão envolvidas nas ações de combate a malária. Além do trabalho intenso que a equipe realiza contra a malária, o setor também é responsável pela prevenção da doença de chagas e febre amarela, leishmaniose e da dengue.

Dayana Maia

IBGE CALCULA MENOS DE 80 MIL HABITANTES EM CRUZEIRO DO SUL

Censo 2010 do IBGE está chegando ao fim em todo território brasileiro. E para surpresa de muitos, a população cruzeirense aumentou apenas em 319 pessoas, afirma resultado parcial do censo 2010.
Censo 2010 do IBGE está chegando ao fim em todo território brasileiro. E para surpresa de muitos, a população cruzeirense aumentou apenas em 319 pessoas, afirma resultado parcial do censo 2010.

No Vale do Juruá, a coleta de dados já foi encerrada, resta somente a supervisão por parte dos supervisores para confirmação de dados. A partir de agora será dado início às entrevistas nos mais de 200 domicílios que foram encontrados fechados pelos recenseadores durante o período de coleta de informações.

Porém baseado no trabalho já realizado, o IBGE divulgou dados parciais sobre o populacional de Cruzeiro do Sul. E os números foram abaixo das expectativas dos cruzeirenses, por conta do baixo acréscimo de apenas de 319 habitantes. Há três anos, a contagem estimou a população em pouco mais de 76 mil habitantes. No ano passado, a população foi de 77.004 pessoas. E neste ano de 2010, o Censo previu uma população de 77.324 habitantes.

O coordenador do Censo para a região do Juruá, Eleutério Batalha, justificou os dados que eram esperados. A seca do Rio Juruá impediu a visita dos recenseadores aos locais mais distantes. Outro fato agravante é a dificuldade dos recenseadores em adquiri informações nas residências.

Dayana Maia